Pesquisa aponta como mulheres percebem o câncer de colo do útero

Equipe editorial, Revista Psicologia Reflexão e Crítica, UFRGS, Porto Alegre, RS, Brasil

prc_logoO estudo Illness Perception, Knowledge and Self-Care about Cervical Cancer (Percepção da doença, Conhecimento e Autocuidado sobre o Câncer de colo do útero), conduzido por Castro, Peuker, Lawrenz e Figueiras, inaugura a área editorial de Psicologia da Saúde da Revista Psicologia Reflexão e Crítica (volume 28, número 3). Apresenta os resultados de um estudo que comparou a percepção da doença, o conhecimento e o autocuidado em mulheres com e sem lesões precursoras de Câncer de colo do útero, todas usuárias de uma Unidade Básica de Saúde. As pesquisadoras perceberam que as mulheres de ambos os grupos, com e sem lesões precursoras, não apresentaram diferenças na percepção de risco, percepção sobre a doença e autocuidado. Com isso, a pesquisa mostra que, apesar de estarem em situação de risco, as mulheres com lesões precursoras não ajustaram sua percepção da doença, conhecimento e autocuidado à sua situação de vulnerabilidade ao câncer. Os resultados alertam para a importância da prevenção e da necessidade de sensibilizar as mulheres sobre o risco da doença, já que a falta de conhecimento e ideias erradas podem dificultar o trabalho de prevenção e diagnóstico precoce. O câncer de colo do útero tem relação fundamental com a infecção pelo HPV (Papiloma Vírus Humano), presente em 98% dos casos. O HPV tem contágio sexual e a maioria das infecções podem se resolver espontaneamente. No entanto, podem surgir lesões que, se não tratadas, podem levar ao câncer de colo do útero. É preciso uma mudança na percepção de “estar em risco” para que as mulheres possam aderir ao exame de rastreio anual (Papanicolau), que pode diagnosticar precocemente a doença. No nível ambiental, a pesquisa aponta que é preciso uma mobilização social para a prevenção e conscientização sobre a doença, através de campanhas de vacinação e capacitação de profissionais da saúde. Já no âmbito individual, é necessária uma modificação das crenças distorcidas sobre a doença e um ajuste na percepção de risco. Por isso, o psicólogo da saúde tem papel fundamental na prevenção do Câncer de colo do útero e na promoção da saúde da mulher.

Para ler o artigo, acesse:

CASTRO, EK., PEUKER, AC., LAWRENZ, P., and FIGUEIRAS, MJ. Illness Perception, Knowledge and Self-Care about Cervical Cancer. Psicol. Reflex. Crit. [online]. 2015, vol.28, n.3, pp. 483-489. [viewed 04th August 2015]. ISSN 1678-7153. DOI: 10.1590/1678-7153.20. Available from: http://ref.scielo.org/s2qjvh

Link externo:

Revista Psicologia: Reflexão e Crítica – http://www.scielo.br/prc/

Instituto Nacional do Câncer. (2014). Estimativas 2014 – Incidência de câncer no Brasil. Retrieved from http://www.inca. gov.br/estimativa/2014/

Instituto Nacional do Câncer. (2014). Vacinas contra infecção pelo HPV: Ainda existem várias dúvidas. Retrieved from http://www.inca.gov.br/impressao.asp? op=pr&id=1933

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

Pesquisa aponta como mulheres percebem o câncer de colo do útero [online]. SciELO em Perspectiva: Humanas, 2015 [viewed ]. Available from: http://humanas.blog.scielo.org/blog/2015/08/12/pesquisa-aponta-como-mulheres-percebem-o-cancer-de-colo-do-utero/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post Navigation