Distâncias sociais e desigualdades educativas: fenômenos imbricados

Helena Sampaio, Editora Associada da Revista Pro-Posições, Campinas, SP, São Paulo

pp_logoEm seu novo número a Pro-Posições (volume 26, número 2) apresenta o dossiê “Elites y sectores médios: fronteras morales y desigualdad educativa” organizado por Sandra Ziegler. Inscritos nas discussões clássicas sobre o peso da escolarização na produção e legitimação das desigualdades escolares e extraescolares, os estudos investigam as estratégias, práticas e orientações que as novas gerações dos grupos com posições de privilégio internalizam com vistas a delimitar a sua posição e pertencimento na sociedade. Os trabalhos analisam esses processos de diferentes perspectivas e chamam a atenção para as diversas estratégias educacionais acionadas pelos grupos que buscam tanto se consolidar como manter suas posições de privilégio na sociedade; apontam ainda, nos distintos contextos nacionais, para a imbricada relação que existe entre sistemas educacionais e processos de maior ou menor mobilidade e/ou fechamento social.

No conjunto dos artigos, o dossiê discute três questões importantes. A primeira remete aos processos mediante os quais as escolas reforçam a construção de um “nós” em oposição a um “outros”. Nessas construções destaca-se a presença de dispositivos de diferenciação que ampliam distâncias e contribuem para o fechamento social. Nos diferentes contextos nacionais, as dinâmicas escolares tanto se alteram em função das mudanças que ocorrem na composição social do sistema educacional como este último também engendra mecanismos de seleção e segregação que contribuem para fortalecer a diferenciação dos grupos e a inscrição deles nos distintos espaços sociais. A segunda questão refere-se à existência de incidências mútuas entre o sistema educacional e as dinâmicas sociais mais amplas. Ao privilegiarem tanto atores e instituições externos ao sistema educacional como processos mais estritamente escolares, os artigos apontam para as dinâmicas de retroalimentação que existem entre os diferentes espaços e atores. Uma terceira questão abordada no dossiê diz respeito aos modos específicos mediante os quais se dão os processos de segregação escolar nos sistemas educacionais da Argentina, Brasil e Chile. Diante das desigualdades educacionais, do crescimento das matrículas e dos processos recentes de privatização da oferta escolar — fenômenos gerais aos sistemas educacionais dos três países —, os artigos mostram o papel que as escolas desempenham na formação de comunidades internamente homogêneas e cada vez mais distantes umas das outras; nesse aspecto, chamam a atenção para o caráter relacional e dinâmico desses processos de construção das diferenças dos grupos assentados na sua coesão interna e na sua oposição em relação a “outros”. Ao tratar dessas questões, o dossiê propicia uma aproximação de como as fronteiras morais e a constituição de comunidades de referência, que compartilham princípios, saberes e modos de agir comuns, contribuem para a conformação de velhas e novas dinâmicas que mantêm a experiência da desigualdade por meio dos sistemas educacionais.

Nos três países onde foram realizadas as pesquisas, constata-se a presença de dinâmicas sociais que propiciam o estabelecimento de fronteiras, a realização de escolhas e a internalização de orientações de classe; tais dinâmicas, embora transcendam o sistema educacional, contribuem para delimitar espaços de identificação e de pertencimento nos quais as instituições educacionais desempenham um papel fundamental tanto para a definição da posição do grupo na sociedade mais ampla, como para a construção de sua autoimagem em oposição à imagem dos “outros” que não pertencem ao mesmo espaço social.

Contato:

Facultad Latinoamericana de Ciencias Sociales – FLACSO, Buenos Aires, argentina – sziegler@flacso.org.ar

Para ler os artigos, acesse:

ZIEGLER, S. Introducción. Pro-Posições [online]. 2015, vol.26, n.2, pp. 25-32. [viewed 26th October 2015]. ISSN 1980-6248. DOI: 10.1590/0103-7307201507701. Available from: http://ref.scielo.org/b5jbyw

GESSAGHI, V. “Ser sencillo, ser buena persona”: clasificaciones morales y procesos de distinción en las experiencias educativas de la “clase alta” argentina. Pro-Posições [online]. 2015, vol.26, n.2, pp. 33-50. [viewed 26th October 2015]. ISSN 1980-6248. DOI: 10.1590/0103-7307201507702. Available from: http://ref.scielo.org/y35gh4

SILVA, S. B. Educar la moral del pobre: fronteras simbólicas y gobierno de los pobres por parte de la elite económica católica de Santiago de Chile. Pro-Posições [online]. 2015, vol.26, n.2, pp. 51-73. [viewed 26th October 2015]. ISSN 1980-6248. DOI: 10.1590/0103-7307201507703. Available from: http://ref.scielo.org/zwr9xz

FUENTES, S. La formación moral de los jóvenes de elite en circuitos de educación privada en Buenos Aires. Pro-Posições [online]. 2015, vol.26, n.2, pp. 75-98. [viewed 26th October 2015]. ISSN 1980-6248. DOI: 10.1590/0103-7307201507704. Available from: http://ref.scielo.org/ddtcws

PEROSA, G. S., LEBARON, F., and LEITE, C. K. S. O espaço das desigualdades educativas no município de São Paulo. Pro-Posições [online]. 2015, vol.26, n.2, pp. 99-118. [viewed 26th October 2015]. ISSN 1980-6248. DOI: 10.1590/0103-7307201507705. Available from: http://ref.scielo.org/z2k3sn

MENDEZ, A. Lenguajes, retóricas y repertorios de egresados de un colegio público “de elite”. Pro-Posições [online]. 2015, vol.26, n.2, pp. 119-139. [viewed 26th October 2015]. ISSN 1980-6248. DOI: 10.1590/0103-7307201507706. Available from: http://ref.scielo.org/v6w7xv

BERGAMASCHI, M. A., and SOUSA, F. B. Territórios etnoeducacionais: ressituando a educação escolar indígena no Brasil. Pro-Posições [online]. 2015, vol.26, n.2, pp. 143-161. [viewed 26th October 2015]. ISSN 1980-6248. DOI: 10.1590/0103-7307201507709. Available from: http://ref.scielo.org/yndybg

MELLADO, M. V. Socialización y formación de las élites políticas argentinas: itinerarios universitarios y aprendizajes. Pro-Posições [online]. 2015, vol.26, n.2, pp. 163-185. [viewed 26th October 2015]. ISSN 1980-6248. DOI: 10.1590/0103-7307201507707. Available from: http://ref.scielo.org/bd7vvh

DAINEZ, D., and NARANJO, G. Los docentes ante las demandas de las políticas de educación inclusiva para la atención de niños con diferentes discapacidades: casos de México y Brasil. Pro-Posições[online]. 2015, vol.26, n.2, pp. 187-204. [viewed 26th October 2015]. ISSN 1980-6248. DOI: 10.1590/0103-7307201507710. Available from: http://ref.scielo.org/j3fhvd

SILVA, S. P., SANTOS, C. P., and OLIVEIRA FILHO, P. Os significados do TDAH em discursos de docentes dos anos iniciais. Pro-Posições [online]. 2015, vol.26, n.2, pp. 205-221. [viewed 26th October 2015]. ISSN 1980-6248. DOI: 10.1590/0103-7307201507708. Available from: http://ref.scielo.org/scpntt

SANTOS, S. V. S. Walter Benjamin e a experiência infantil: contribuições para a educação infantil. Pro-Posições [online]. 2015, vol.26, n.2, pp. 223-239. [viewed 26th October 2015]. ISSN 1980-6248. DOI: 10.1590/0103-7307201507711. Available from: http://ref.scielo.org/h23cw2

Link externo:

Revista Pro-posições – http://www.scielo.br/pp

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

SAMPAIO, H. Distâncias sociais e desigualdades educativas: fenômenos imbricados [online]. SciELO em Perspectiva: Humanas, 2015 [viewed ]. Available from: http://humanas.blog.scielo.org/blog/2015/11/10/distancias-sociais-e-desigualdades-educativas-fenomenos-imbricados/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post Navigation