Federação de Repositórios: ferramenta de disseminação da informação científica

Terezinha de Fátima Carvalho de Souza, Editora, Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, MG, Brasil

pci_logo Pesquisadores da área de Ciência da Informação desenvolveram estudo sobre federações de repositórios científicos concluindo tratar-se de ferramenta colaborativa ainda pouco estudada, mesmo existindo há aproximadamente 10 anos. Com relação à abrangência identificaram federações globais, nacionais e mais restritas regionalmente. Também de natureza restrita são aquelas organizadas a partir dos tipos dos documentos disseminados e detectaram que as federações mais antigas têm mais características dessa natureza.

Foram identificadas em setembro de 2015, dez federações de vários países, sendo três delas, do Brasil. Conceitualmente, as federações podem representar “ Esforço internacional (NDLTD), regional (LaReferencia) ou unificação de iniciativas isoladas (BDTD), formando colaborativamente uma rede de repositórios ou bibliotecas digitais (LaReferencia, SNRD e REMERI), utilizando um sistema para coletar os metadados (BDCOL), para ofertar em um ponto único de acesso (RCAAP) a documentação, com a utilização de uma ferramenta de busca (oasisbr, CRESP)”.

Verificou-se que todas as federações têm por objetivo potencializar a visibilidade dos documentos referenciados em seu acervo, dos autores e das instituições parceiras. Apesar de apresentar características similares, a contextualização de cada uma delas é diferenciada, sendo a tônica geral a colaboração e que seu estabelecimento se dá através da interoperabilidade e de um portal de busca consolidada.

Problemas identificados revelaram-se como oportunidades de estudo ou desafios a serem vencidos, sendo eles: (a) qualidade dos dados coletados (BDTD, NDLTD); (b) questões de indexação linguística (NDLTD, LaReferencia, RECAAP); (c)navegabilidade (REMERI, CRUESP); (d)problema de busca (SNRD) e (e)duplicidade de registros (oasisbr).

Identificaram tendências diversas, mas, aquela que se revelou mais controversa, refere-se às questões relacionadas a sustentabilidade das federações.

Para ler os artigos, acesse:

SHINTAKU, M., DUQUE, C. G., and SUAIDEN, E. J. Federações de repositórios: conceitos, políticas, características e tendências. Perspect. ciênc. inf. [online]. 2015, vol.20, n.3, pp. 51-66. [viewed 7th December 2015]. ISSN 1981-5344. DOI: 10.1590/1981-5344/2358. Available from: http://ref.scielo.org/mqdxdk

HARNAD, S. et al. The access/impact problem and the green and gold roads to open access. 2004. [viewed 7th December 2015]. Available from: http://eprints.soton.ac.uk/265852/2/serev-revised.pdf

Link externo:

Revista Perspectivas em Ciência da Informação – www.scielo.br/pci

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

SOUZA, T. F. C. Federação de Repositórios: ferramenta de disseminação da informação científica [online]. SciELO em Perspectiva: Humanas, 2015 [viewed ]. Available from: http://humanas.blog.scielo.org/blog/2015/12/08/federacao-de-repositorios-ferramenta-de-disseminacao-da-informacao-cientifica/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post Navigation