A etnobotânica e o saber local

Arlinda Cantero Dorsa, Editora da Interações – Revista Internacional de Desenvolvimento Local, Campo Grande, MS, Brasil

inter_logoA revista Interações ao longo de dez anos de existência tem procurado priorizar artigos que tratam sobre a Etnobotânica, vista não só como “a ciência que estuda as conceituações desenvolvidas por qualquer sociedade a respeito do mundo vegetal” de acordo com Amorozo (1996, 2008), como também como um campo interdisciplinar que na visão de Caballero (1979), compreende o manejo da flora visto em seus aspectos significativos culturais no estudo e compreensão desse conhecimento. Uma das autoras, que mais contribui com a revista Interações sobre esta temática é a professora Maria Corette Pasa, com doutorado em Ciências e Recursos Naturais pela UFSCAR, e docente na UFMT nos programas de pós-graduação em Ciências Florestais e Ambientais/Mestrado e programa de pós-graduação em Educação em Ciências e Matemática da Rede da Amazônia Legal Brasileira/REAMEC.

No número 2 de 2015 da Interações, a pesquisadora em parceria com a mestranda Karina Gondolo Gonçalves apresentam o artigo “A etnobotânica e as plantas medicinais na Comunidade Sucuri, Cuiabá, MT, Brasil”, a partir de uma pesquisa qualitativa tendo como sujeitos participantes os moradores da Comunidade Sucuri, situada na capital de Mato Grosso e voltada à coleta de informações sobre o uso das plantas da vegetação local, ressaltando a finalidade, formas e uso, objetivando assim o resgate do saber local dessa população. Segundo as autoras, “Esse resgate do saber local serve de base para muitos estudos científicos que acabam testando e confirmando o que esses povos já utilizam na prática por muitos anos” (GONÇALVES; PASA, 2015, p. 255).

A partir dos resultados, as autoras enfatizam que na comunidade Sucuri a prática da conversação local é responsável pela manutenção da biodiversidade e pela sustentabilidade ambiental no tocante às comunidades vegetais nas diferentes etnocategorias botânicas locais.

Para ler o artigo, acesse:

GONCALVES, K. G., and PASA, M. C. A etnobotânica e as plantas medicinais na Comunidade Sucuri, Cuiabá, MT, Brasil. Interações (Campo Grande) [online]. 2015, vol.16, n.2, pp. 245-256. [viewed 14th December 2015]. ISSN 1984-042X. DOI: 10.1590/1518-70122015201. Available from: http://ref.scielo.org/4nfvnq

Referência:

AMOROZO, Maria Christina Mello. A abordagem etnobotânica na pesquisa de plantas medicinais. In: DISTASI, L. C. (Org.). Plantas medicinais: arte e ciência, um guia de estudo interdisciplinar. São Paulo: EDUSP, 1996. p. 47-68.

AMOROZO, Maria Christina Mello. Os quintais – funções, importância e futuro. In: GUARIN NETO,Germano; CARNIELLO, Maria Antônia (Org.). Quintais matogrossenses: espaços de conservação e reprodução de saberes. Cárceres, MT: Editora Unemat, 2008.

CABALLERO, Javier. La etnobotânica. In: BARRER, A. (Ed.). La etnobotânica: tres puntos de vista y uma perspectiva. Xalapa: Instituto de Investigación sobre Recursos Bióticos, 1979. p. 27-30.

Link externo:

Interações (Campo Grande) – Revista Internacional de Desenvolvimento Local – INTER – www.scielo.br/inter

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

DORSA, A. C. A etnobotânica e o saber local [online]. SciELO em Perspectiva: Humanas, 2015 [viewed ]. Available from: http://humanas.blog.scielo.org/blog/2015/12/17/a-etnobotanica-e-o-saber-local/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post Navigation