A produção de alimentos de origem marinha pode ser sustentável?

Leandro Angelo Pereira, IFPR, Paranaguá, PR, Brasil 

Rosana Rocha, UFPR, Curitiba, PR, Brasil

asoc_logoNesta análise, os pesquisadores afirmam que conceitualmente um sistema de cultivo de organismos marinhos pode sim ser sustentável. A afirmação parte do pressuposto de que a sustentabilidade deve ser considerada como um processo bastante dinâmico, uma utopia a ser perseguida, e não uma meta estática a ser alcançada e sustentável infinitamente. Mas para isso, há a necessidade de se alterar o foco excessivo da área econômica, pois essa, por si só, não garante o desenvolvimento ou a sustentabilidade do sistema. Desta forma, a sustentabilidade deve ser inspirada em novos valores estruturais dos diferentes setores da sociedade e ancorado em ações práticas que levem em consideração a escala a ser trabalhada e as restrições dos limites ambientais.

Para chegar a esta conclusão o trabalho utiliza a maricultura como um exemplo de produção e a partir disso faz uma série de ligações com conceitos das três principais áreas que definem a sustentabilidade (social, econômica e ambiental). Mais precisamente, demonstra algumas contradições da Economia Neoclássica e da Economia da Sobrevivência quando relacionadas à maricultura. Além disso, sob o aspecto social, o trabalho pauta o tema com questões de gênero e como um instrumento de fixação de comunidades. Já na área ambiental, o trabalho conduz a uma análise relacionada à governança de bens naturais comuns e alguns ciclos naturais.

Devido a estas e a outras características (positivas e negativas), o trabalho apresenta um conceito de sustentabilidade multifacetado. E conseguir filtrar estas faces e liga-las a uma determinada área produtiva, tida como potencial para alimentar a população mundial, é de grande valia. Estas informações podem ser úteis tanto para orientar as pessoas diretamente envolvidas com a maricultura, como para gestores de recursos naturais, agentes de fomento e extensão ligados a cadeias produtivas, formadores de opinião e até mesmo para administradores ligados à governança pública.

Para ler o artigo, acesse

PEREIRA, L. A. and ROCHA, R. M. Mariculture and economic, social and environmental bases that determine development and sustainability. Ambient. soc. [online]. 2015, vol.18, n.3, pp.41-54. [viewed 21th March 2016]. ISSN 1809-4422. DOI: 10.1590/1809-4422ASOC622V1832015. Available from: http://ref.scielo.org/5sgxyb

Link externo

Ambiente e Sociedade – ASOC: www.scielo.br/asoc

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

PEREIRA, L. A. A produção de alimentos de origem marinha pode ser sustentável? [online]. SciELO em Perspectiva: Humanas, 2016 [viewed ]. Available from: http://humanas.blog.scielo.org/blog/2016/03/28/a-producao-de-alimentos-de-origem-marinha-pode-ser-sustentavel/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post Navigation