Adesão de pacientes ao tratamento e à precariedade

Guilherme Souza Cavalcanti de Albuquerque, pesquisador do Núcleo de Estudos em Saúde Coletiva da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Curitiba, PR, Brasil

tes_logoDocentes e discentes dos cursos de Farmácia, Enfermagem e Medicina da Universidade Federal do Paraná avaliaram a utilização de prescrição pictográfica para analfabetos que frequentavam o programa de controle da hipertensão arterial e do diabetes de Unidade de Saúde da atenção básica do SUS.

No artigo intitulado “Adesão de hipertensos e diabéticos analfabetos ao uso de medicamento a partir da prescrição pictográfica”, de Guilherme Souza Cavalcanti de Albuquerque, Bárbara do Nascimento, Diego Fabian Karvat Gracia, Luisa Preisler, Paulo de Oliveira Perna e Marcelo José de Souza e Silva, publicado no volume 14, número 2 de 2016 da revista Trabalho, Educação e Saúde, os autores concluem que há melhora significativa da adesão ao tratamento medicamentoso, pois a prescrição pictográfica auxilia na melhor compreensão da receita médica por parte dos analfabetos. A adesão do grupo de pacientes que participou do estudo passou de 60% para 93,33% após a implantação da prescrição modificada.

Os pesquisadores questionam, no entanto, esse tipo de intervenção. Mesmo reconhecendo a importância da adesão ao tratamento medicamentoso para o controle da hipertensão e do diabetes, eles ressaltam que a medida é paliativa e gera uma acomodação à condição precária de vida. Contribui para adaptar uma parcela da população à vida sem acesso ao mínimo dos recursos que a humanidade produziu como, por exemplo, a linguagem escrita.

Advogam a ideia de que a promoção efetiva da saúde, que não acomode a população à condição de vida insalubre, deve não somente atuar no nível dos indivíduos, mas nas condições particulares de existência e na estrutura social geral que, em última instância, as determina. Os pesquisadores ressaltam ainda a contradição das práticas hegemônicas da saúde pública que, ao mesmo tempo em que contribuem para manter a vida, auxiliam na preservação das condições patogênicas de existência.

Para ler o artigo, acesse

ALBUQUERQUE, G. S. C. de et al. Adesão de hipertensos e diabéticos analfabetos ao uso de medicamento a partir da prescrição pictográfica. Trab. educ. saúde [online]. 2016, vol.14, n.2, pp.611-624. [viewedth 16 June 2016]. ISSN 1678-1007. DOI: 10.1590/1981-7746-sip00112. Available from: http://ref.scielo.org/xx54wv

Link externo

Trabalho, Educação e Saúde – TES: www.scielo.

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

ALBUQUERQUE, G. S. C. Adesão de pacientes ao tratamento e à precariedade [online]. SciELO em Perspectiva: Humanas, 2016 [viewed ]. Available from: http://humanas.blog.scielo.org/blog/2016/06/28/adesao-de-pacientes-ao-tratamento-e-a-precariedade/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post Navigation