A RBLA, a ALAB e o AILA WORLD CONGRESS RIO 2017: relações e repercussões

Vera Lúcia Menezes de Oliveira e Paiva, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Belo Horizonte, MG, Brasil

Andréa Machado de Almeida Mattos, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, MG, Brasil

Paula Tatianne Carréra Szundy

Paula Tatianne Carréra Szundy

Paula Tatianne Carréra Szundy tem Doutorado em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2005) e pós-doutorado pelo King’s College London (2015-2016). É Professora Adjunta do Programa de Letras Anglo-Germânicas da Universidade Federal do Rio de Janeiro e presidente da Associação de Linguística Aplicada do Brasil (ALAB).

Com vasta experiência como linguista aplicada, a entrevistada é organizadora de coletâneas e autora de diversos capítulos e artigos na área de Linguística Aplicada. Sua experiência também inclui a representação político-acadêmica da área junto à ALAB durante dois biênios a frente dessa Associação (2010-11 e 2016-2017).  Como presidente da ALAB já coordenou a organização de eventos regionais e nacionais e presidirá o Congresso Mundial de Linguística Aplicada em 2017.

Na entrevista que se segue, Paula Szundy descreve e avalia as inter-relações entre a Revista Brasileira de Linguística Aplicada e a Associação de Linguística Aplicada do Brasil, além de discutir possíveis repercussões no cenário nacional e internacional que o número especial da RBLA sobre “Inovações e desafios epistemológicos na Linguística Aplicada”,  tema do AILA WORLD CONGRESS RIO 2017, trará para a área.

1. Qual é a importância da Revista Brasileira de Linguística Aplicada (RBLA) para a Associação de Linguística Aplicada no Brasil?

A história da RBLA está, desde sua fundação, imbricada com a da Associação de Linguística Aplicada do Brasil (ALAB). Com seu primeiro volume publicado em 2001 durante gestão da ALAB presidida pela Profa. Vera Menezes que, desde então, assumiu sua edição, a RBLA representa um espaço importante para circulação e divulgação, em âmbito nacional e internacional, de conhecimentos construídos e ressignificados por linguistas aplicados brasileiros. A ampliação de dois para quatro números anuais em 2010 retrata a efervescência e pluralidade de pesquisas, interfaces e expertises que caracterizam a Linguística Aplicada no Brasil. Dada a escolha frequente do periódico por associados da ALAB para publicar seus estudos, tanto nos números gerais quanto nos temáticos, a RBLA contribui bastante significativamente para dar visibilidade às diversas paisagens epistemológicas que orientam as (inter)ações entre os membros da ALAB e seus parceiros brasileiros e/ou estrangeiros na Linguística Aplicada e/ou nas diversas áreas com que esta estabelece interfaces. Além de representar um instrumento privilegiado para a divulgação, reflexão sobre e problematização dos estudos situados das linguagens desenvolvidos por membros da ALAB, sejam eles associados plenos ou estudantes, considero também fundamental ressaltar o papel central da RBLA na formação de pesquisadores. Por ser um periódico de acesso aberto através do SciELO, lido por alunos de graduação e pós-graduação, os artigos publicados na RBLA contribuem para a (trans)formação teórica, política e ideológica daqueles que serão a futura geração de linguistas aplicados brasileiros e que, portanto, (re)definirão o papel da ALAB como Associação que os representa.         

 

2. Como o Congresso da Associação Internacional de Linguística Aplicada (AILA), a se realizar em 2017, no Brasil, poderá ajudar a tornar a RBLA mais internacional?

O 18° Congresso Mundial de Linguística Aplicada, a se realizar na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), no período de 23 à 28 de julho de 2017, reunirá cerca de dois mil pesquisadores do mundo inteiro, que apresentarão palestras, simpósios, comunicações orais, pôsteres e workshops relacionados ao tema “Inovações e desafios epistemológicos na Linguística Aplicada”, tema sobre o qual a RBLA organizará um número temático em inglês. Além de representar um lócus para a divulgação desse volume e da RBLA como um todo, o AILA WORLD CONGRESS RIO 2017 também pode contribuir para sua maior internacionalização através da publicação de um futuro número especial com uma seleção de trabalhos apresentados durante o Congresso. Como os Congressos da AILA não publicam anais, uma chamada para artigos completos selecionados para apresentação no 18° Congresso Mundial de Linguística Aplicada certamente atrairia a diversidade de participantes e de tópicos que caracterizam os eventos da AILA, contribuindo para um mapeamento dos estudos situados sobre as linguagens no âmbito da Linguística Aplicada ao redor do mundo e, a partir da divulgação desse volume entre os participantes do Congresso e Associações de Linguística Aplicada ao redor do mundo filiadas à AILA, para uma maior internacionalização da RBLA. 

 

3. Quais são as possíveis repercussões de um número sobre Innovation and Epistemological challenges in Applied Linguistics para a Linguística Aplicada (LA) no Brasil?

A escolha do tema “Inovações e desafios epistemológicos na Linguística Aplicada” para congregar trabalhos a serem apresentados durante o 18° Congresso Mundial de Linguística Aplicada visa fomentar discussões acerca de agendas de pesquisa inovadoras para endereçar práticas sociais e sobre como tais agendas desafiam as formas como compreendemos, produzimos e transformamos conhecimento na área. Lançado durante o Congresso, o número da RBLA sobre esse tema, desenhará um esboço de agendas de pesquisa epistemologicamente inovadoras que vem caracterizando as formas de se fazer Linguística Aplicada no Brasil e no mundo. Esse esboço pode contribuir para ampliar ainda mais o caráter problematizador e a reflexividade que vêm caracterizando as discussões no escopo da Linguística Aplicada brasileira, contribuindo, através do olhar crítico sobre as formas de se produzir conhecimento na América Latina e/ou em outras partes do planeta, para os redesenhos epistemológicos almejados durante AILA WORLD CONGRESS RIO 2017.

 

4. Que impacto você acredita que essa publicação pode ter no cenário internacional da LA?

Ao congregar um conjunto de artigos que desafiam formas tradicionais de se produzir conhecimento na Linguística Aplicada e desvelar caminhos epistemológicos outros que criem inteligibilidades sobre os usos e abusos das linguagens nas sociedades contemporâneas, o número especial da RBLA sobre o tema “Inovações e desafios epistemológicos na Linguística Aplicada” pode contribuir para que linguistas aplicados ao redor do mundo ampliem o conhecimento sobre as vertentes indisciplinares e transgressivas da Linguística Aplicada, especialmente sobre as formas como tais vertentes têm sido reinterpretadas e transformadas no âmbito da Linguística Aplicada no Brasil. Como, provavelmente, esse número incluirá trabalhos de pesquisadores de outros países da América Latina e do mundo, pode também se tornar um registro de como linguistas aplicados que enunciam de espaços, situações e tempos distintos veem, de posições ideológicas igualmente heterogêneas, o que significa estabelecer agendas de pesquisa epistemologicamente inovadoras na Linguística Aplicada. Logo, em conjunto com o 18° Congresso Mundial de Linguística Aplicada, esse número da RBLA pode contribuir para a reflexão sobre e problematização das formas de se produzir conhecimento na área entre-lugares, em cenários que ultrapassem fronteiras nacionais.

 

5. O que a ALAB espera da RBLA para os próximos anos?

Além de esperar que a RBLA se mantenha como um espaço importante para divulgação, circulação e problematização de conhecimentos na área de Linguística Aplicada, a ALAB também prevê que as fronteiras disciplinares e temáticas dos trabalhos publicados pela Revista sejam cada vez mais desafiadas e ampliadas. Essa superação de fronteiras disciplinares e ampliação temática, permitiria, por um lado, o desafio de barreiras disciplinares ainda bem delimitadas em muitos dos artigos aceitos para publicação e, por outro, a inclusão de temas que ainda carecem de mais voz na Linguística Aplicada, tais como questões de sexualidade, gênero, raça, migração, movimentos juvenis, multi/translingualismo etc. Enquanto questões acerca dos usos situados das linguagens na esfera educacional ainda continuarão ocupando um lugar de destaque nas publicações da RBLA, imaginamos que processos de (des/re)construção de significados em esferas outras que não as escolares terão cada vez mais espaço no periódico, que passará a refletir de forma ainda mais ampla a pluralidade de fenômenos abarcada pelos campos aplicados dos estudos das linguagens. Por fim, esperamos que futuramente a RBLA passe a integrar, de forma mais sistemática, em seus números uma maior variedade de gêneros (entrevistas, debates, book notes, respostas a artigos específicos etc.) e modalidades semióticas (áudios, vídeos, podcasts etc.).

Links externos

Revista Brasileira de Linguística Aplicada – RBLA: www.scielo.br/rbla

Associação de Linguística Aplicada no Brasil: www.alab.org.br/

Associação Internacional de Linguística Aplicada: www.aila2017.com.br/index.php/pt/

Sobre Vera Menezes

Vera Menezes

Vera Menezes

Vera Menezes, coeditora da Revista Brasileira de Linguística Aplicada, é doutora em Linguística e Filologia e professora de Linguística Aplicada na Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais. É uma das pioneiras no ensino e pesquisa em educação a distância na área de Letras e, atualmente, coordena o Núcleo de Pesquisa Lingtec e o Curso de Especialização em Linguagem Tecnologia e Ensino. É uma das editoras-chefe da Revista Brasileira de Linguística Aplicada, revista Qualis A1. Foi agraciada com a Medalha Santos Dumont, Categoria Prata em 2010. Foi presidente da Comissão de Especialistas em Letras da SESu/MEC (2000/2002) e presidente da ALAB (2000/2002). E-mail: vlmop@veramenezes.com

Sobre Andréa Mattos

Andréa Mattos

Andréa Mattos

Andréa Mattos, coeditora da Revista Brasileira de Linguística Aplicada, é doutora em Estudos Linguísticos em Inglês e professora de Inglês e Linguística Aplicada na Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais.  Atualmente é professora adjunta da Faculdade de Letras da UFMG. Tem experiência na área de Linguística Aplicada, com ênfase em Ensino de Língua Estrangeira, atuando principalmente nos seguintes temas: linguística aplicada, ensino de língua inglesa, desenvolvimento do professor de língua estrangeira, pesquisa em sala de aula, reflexão crítica e novos letramentos. E-mail: andreamattosufmg@gmail.com

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

PAIVA, V. L. M. .O and MATTOS, A. M. A. A RBLA, a ALAB e o AILA WORLD CONGRESS RIO 2017: relações e repercussões [online]. SciELO em Perspectiva: Humanas, 2016 [viewed ]. Available from: http://humanas.blog.scielo.org/blog/2016/07/05/a-rbla-a-alab-e-o-aila-world-congress-rio-2017-relacoes-e-repercussoes/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post Navigation