Os quinze anos do periódico ARS: um depoimento

Liliane Benetti, editora do periódico ARS e Professora adjunta da Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Sônia Salzstein é Professora Titular de História da Arte e Teoria da Arte junto ao Departamento de Artes Plásticas da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo. Atualmente é a Chefe do Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da Escola de Comunicações e Artes da USP. É coordenadora do Centro de Pesquisa em Arte Brasileira da ECA-USP. É Editora da ARS, tendo participado da criação da revista, em 2003.

O periódico ARS (São Paulo) é uma publicação quadrimestral do Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo que reúne trabalhos relevantes no debate da arte produzidos no meio universitário e fora dele. Propõe um foco ampliado na abordagem conforme as exigências da própria produção artística contemporânea. Com isso, objetiva contribuir no debate cultural para além dos muros da universidade e interrogar as próprias perspectivas da arte no contexto contemporâneo. Ao mesmo tempo, valoriza a área teórica e a contribuição de disciplinas mais antigas, como a filosofia, a estética e a história da arte, ainda que frequentemente se trate de confrontar ou apontar os limites dessa tradição em face dos desafios da situação contemporânea.

Em 2017, a ARS comemora quinze anos de publicação ininterrupta, somando 30 números. O periódico conta com versões impressa (ISSN 1678-5320) e digital (ISSN 2178-0447). A criação da ARS foi precedida por um intenso processo de discussão e por atividades ligadas à organização de seu projeto, que se desenvolveram a partir de meados de 2002. A ideia foi motivada pela constatação, à época, da escassez de periódicos especializados em artes no país capazes de estimular as discussões intelectuais em condições especialmente favoráveis porquanto isentas dos interesses de uma publicação comercial. O primeiro número foi trazido a público em março de 2003, pelo esforço do comitê editorial então formado por Gilbertto Prado, Marco Giannotti e Sônia Salzstein, docentes dos cursos de graduação e de pós-graduação em Artes Visuais da ECA-USP que ficaram à frente da ARS por cerca de dez anos.

Por ser um periódico publicado por um programa de Pós-Graduação em Artes, ela busca fomentar um ambiente favorável à experimentação e à pesquisa teórica e artística especializadas, enfatizando temas contemporâneos sobre as artes visuais, no intuito de consolidar-se como um lugar propício à institucionalização de um espaço público de discussão exigente dos problemas culturais.

Em quinze anos de existência, a ARS tem mantido um reconhecido padrão de excelência acadêmica, atualmente classificada como A1 segundo o Qualis/CAPES, na área de conhecimento a que se destina (Artes/ Música). Nas áreas correlatas, a ARS também alcançou excelente desempenho, a saber: Qualis A1 em Letras e Linguística; Qualis A2 em Arquitetura, Urbanismo e Design; Qualis A2 em Filosofia. Além disso, é o único periódico dedicado às artes visuais indexada no SciELO (Scientific Eletronic Library Online).

A ARS possui abrangência nacional e internacional e seu Conselho Editorial é, atualmente, bastante diversificado. A publicação adota a revisão por pares em sistema de parecerista ad hoc com colaboração de professores-pesquisadores conceituados de universidades de todo o país, o que garante, ao um só tempo, rigor e transparência aos critérios de avaliação. A ARS oferece acesso livre imediato ao seu conteúdo, de modo gratuito, seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona maior democratização mundial do conhecimento.

Em sua política editorial prioriza a publicação de material original e inédito, de modo que 80% dos artigos e os ensaios visuais especialmente concebidos para o periódico decorrem necessariamente de pesquisas acadêmicas e artísticas novas. Além de trabalhos de artistas, críticos, historiadores de arte e alunos de pós-graduação, a ARS aceita colaborações de pesquisadores, artistas, intelectuais e outros profissionais do meio artístico favoráveis à experimentação e à pesquisa teórica especializada. Ao lado de textos inéditos, são periodicamente republicados textos fundamentais de história, teoria e crítica de arte no sentido de recuperar fontes relevantes de pesquisa bibliográfica para o uso nos cursos de graduação e de pós-graduação.

Desde 2016, a ARS conta com as seguintes seções: Artigos, Ensaios Visuais, Escritos de Artista, Entrevistas, Traduções e Resenhas. Ressaltamos que seções como Ensaios Visuais e Escritos de Artista trazem um material particularmente valioso no âmbito de um programa de pós-graduação que contempla, além das pesquisas teóricas,  pesquisas em poéticas visuais.

Cabe ressaltar o primor do projeto gráfico da ARS, elaborado por Mario Ramiro, artista visual e professor dos cursos de graduação e pós-graduação em Artes Visuais da ECA-USP – que também foi editor da ARS entre 2014 e 2017. Ao longo de seus 30 números, o periódico trouxe capas e ensaios visuais realizados por artistas de renome como Carmela Gross, Evandro Carlos Jardim, Carlos Fajardo, Nelson Felix, Antoni Muntadas, José Resende, Waltercio Caldas, Regina Silveira, Ana Tavares, Jac Leirner, Iole de Freitas, Caio Reizewitz, João Musa, Mario Ramiro, Christy Wyckoff, Carlos Zilio, José Resende, Claudio Mubarac José Spaniol, Albano Afonso e Sandra Cinto, Wlademir Dias-Pino, Dora Longo Bahia, Achim Mohné e Uta Kopp (Colônia, Alemanha), José Leonilson (in memorium), Sofia Borges, Miguel Rio Branco, entre outros.

O periódico se notabiliza também por receber contribuições assíduas de intelectuais e artistas de prestígio nacional e internacional, publicando com frequência ensaios de extrema relevância para a discussão das artes não apenas no Brasil, mas também no exterior. Entre os colaboradores internacionais, destacam-se T.J. Clark, Yve-Alain Bois, Thierry De Duve, Arthur Danto, Hal Foster, Guy Brett, François Soulages, Ulrich Seeberg, Iliana Hernández García, Georges Didi-Huberman, Jorge La Ferla, Serge Guilbaut, David Anfam, Keith Thomas, Edmond Couchot, Julian Stallabrass. Também foram publicados textos de Leo Steinberg, Vilém Flusser, entre outros.

A missão editorial da ARS consiste em 1) incentivar a produção artística e cultural brasileira em geral; 2) oferecer a artistas, professores de arte e pesquisadores atuantes no Brasil e no Exterior, em início de carreira ou com trajetórias profissionais já consolidadas, o fórum privilegiado de debate e intercâmbio de conhecimentos que a vida acadêmica pode propiciar; 3) constituir-se em uma instância de crítica e revigoramento recíprocos para o meio acadêmico e artístico e cultural, favorecendo uma presença propositiva da Universidade na sociedade brasileira; 4) buscar o nível da excelência acadêmica na pesquisa artística, cultural e científica; 5) incentivar o diálogo das artes visuais com outras áreas da produção cultural e científica e 6) formar um público leitor na área especializada da arte e da cultura, público ainda incipiente no ambiente brasileiro.

Atualmente, são editoras da ARS Dária Jaremtchuk, Liliane Benetti, Silvia Laurentiz e Sônia Salzstein.

Link externo

ARS (São Paulo) – ARS: www.scielo.br/ars

Sobre Liliane Benetti

Liliane Benetti

Liliane Benetti

Liliane Benetti é Doutora em História, Teoria e Crítica de Arte pela Universidade de São Paulo (ECA-USP), professora adjunta da Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro (EBA-UFRJ) e editora da revista ARS desde 2016.

 

 

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

BENETTI, L. Os quinze anos do periódico ARS: um depoimento [online]. SciELO em Perspectiva: Humanas, 2017 [viewed ]. Available from: http://humanas.blog.scielo.org/blog/2017/11/27/os-quinze-anos-do-periodico-ars-um-depoimento/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post Navigation