Autoeficácia docente: escala de avaliação específica para professores de alunos com autismo

Renata Corcini Carvalho Canabarro, Doutoranda em Educação, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Santa Maria, RS, Brasil

Maria Cristina Triguero Veloz Teixeira, Professora do Programa de Pós-Graduação em Distúrbios do Desenvolvimento, Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM), São Paulo, SP, Brasil

Carlo Schmidt, Professor do Departamento de Educação Especial, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Santa Maria, RS, Brasil

A autoeficácia docente se constitui como a crença na capacidade para desenvolver as ações pedagógicas que conduzam aos resultados desejados (BANDURA, 1997). Considerando a relevância deste construto para a área da educação especial e a ausência de instrumentos que o avaliem na especificidade do Transtorno do Espectro Autista (TEA), este estudo realizou a tradução e adaptação transcultural da Autism Self-Efficacy Scale for Teachers (ASSET) para a realidade brasileira, publicado na Revista Brasileira de Educação Especial (v. 24, n. 2).

AASSET é uma escala americana de avaliação da autoeficácia de professores que lecionam para alunos com autismo, sendo atualmente o único instrumento internacional disponível para avaliarsuas crenças sobre a capacidade de desempenhar tarefas docentes no ensino destes educandos. Os trinta itens que a compõem investigam o quão confiante os professores se sentem em relação aos principais conhecimentos e habilidades necessárias ao atendimento do aluno com TEA, identificadas a partir de um guia de melhores práticas para educar os alunos com autismo (RUBLE et al., 2013).

Após a autorização da autora original da ASSET, os procedimentos metodológicos envolveram a tradução da escala americana para a língua portuguesa e a retrotradução para a língua inglesa; análise de equivalência semântica, avaliação de especialistas das etapas anteriores e adaptação da escala de pontuação; verificação de clareza e compreensão da escala mediante estudo piloto para consolidação de versão final.

O processo de adaptação transcultural da ASSET para a língua portuguesa do Brasil mostrou indicadores adequados de equivalência semântica, tanto dos significados denotativo quanto conotativo. As adequações de vocabulário coloquial e de manutenção do efeito de cada item na cultura brasileira conferem qualidade e fidedignidade à versão final. Com isto, pesquisadores nacionais podem contar com a ASSET como um importante instrumento a ser utilizado em pesquisas que envolvem a avaliação da autoeficácia docente no contexto da educação de alunos com autismo.

Referência

BANDURA, A. Self-efficacy: the exercise of control. New York: W. H. Freeman, 1997.

RUBLE, L. A. et al. Preliminary Study of the Autism Self-Efficacy Scale for Teachers (ASSET). Res Autism Spectr Disord., v. 7, n. 9, p. 1151-1159, 2013. ISSN: 1750-9467 [reviewed 19 June 2018]. DOI:  10.1016/j.rasd.2013.06.006. Disponível em: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3746771/

Para ler o artigo, acesse

CANABARRO, R. C. C., TEIXEIRA, M. C. T. V. and SCHMIDT, C. Translation and Transcultural Adaptation of the Self-Efficacy Scale for Teachers of Students with Autism: Autism Self-Efficacy Scale for Teachers (Asset). Rev. bras. educ. espec. [online]. 2018, vol.24, n.2, pp.229-246. ISSN 1413-6538. [viewed 20 August 2018]. DOI: 10.1590/s1413-65382418000200006. Available from: http://ref.scielo.org/3m36mr

Link externo

Revista Brasileira de Educação Especial – RBEE: www.scielo.br/rbee

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

CANABARRO, R. C. C., TEIXEIRA, M. C. T. V. and SCHMIDT, C. Autoeficácia docente: escala de avaliação específica para professores de alunos com autismo [online]. SciELO em Perspectiva: Humanas, 2018 [viewed ]. Available from: http://humanas.blog.scielo.org/blog/2018/08/21/autoeficacia-docente-escala-de-avaliacao-especifica-para-professores-de-alunos-com-autismo/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post Navigation