Como é a dinâmica familiar de garotos vítimas de abuso sexual?

Amanda Pinheiro Said, Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Psicologia Clínica e Cultura, Universidade de Brasília, Brasília, DF, Brasil

Liana Fortunato Costa, Professora do Programa de Pós-Graduação em Psicologia Clínica e Cultura, Universidade de Brasília, Brasília, DF, Brasil

O artigo “Dinâmicas familiares de meninos vítimas de abuso sexual”, publicado no periódico Paidéia (v. 29), vem contribuir para a ampliação dos estudos com foco nas vítimas de abuso sexual do sexo masculino. Além de serem escassas as pesquisas, nacionais e internacionais, que coloquem os meninos vítimas de abuso sexual em destaque, também são pouco frequentes as pesquisas que abordem suas questões familiares. Por isso, essa pesquisa visa aprofundar o conhecimento dos meninos vítimas de abuso sexual e de suas dinâmicas familiares por meio da condução de uma pesquisa qualitativa. Para isso, foram feitas análises documentais de três prontuários de meninos atendidos em serviço de saúde pública especializado em violência na cidade de Brasília, Distrito Federal, Brasil. Os meninos tinham entre seis (6) e nove (9) anos. Revelou-se que a família é essencial para a revelação do abuso sexual, bem como os estigmas e os preconceitos que circundam o universo masculino, da mesma forma que a proximidade dos ofensores com as vítimas, representavam importante barreira para a revelação dos abusos.

Em relação aos meninos, é possível que nas famílias haja a perpetuação de estereótipos e estigmas sociais, relacionados a questões de gênero, que interfiram na vivência da masculinidade. Tais estigmas podem também interferir na revelação de situações sexualmente abusivas pelos meninos e influenciar o manejo das possíveis consequências. Além disso, a violência sexual é um fenômeno complexo, multifacetado e que, por vezes, afetam também a vida de seus familiares (TIMMERMAN; SCHREUDER, 2014).

Portanto, uma importante contribuição da pesquisa desenvolvida é a própria escolha do tema, que oportuniza a discussão sobre a família e sua relevância para a vitimização sexual de meninos. Além disso, considera-se que compreender a dinâmica familiar dos meninos vítimas de abuso sexual é um primeiro passo para o oferecimento de melhores intervenções. Isso, por sua vez, contribui para o fortalecimento da família, e de seus membros, para que a proteção e o suporte possam se fazer mais e mais frequentes (GLASS; GAJWANI; TURNER-HALLIDAY, 2016).

Cabe destacar, que o abuso sexual de vítimas do sexo masculino ainda é um assunto inexplorado, e torna-se fundamental que estudos qualitativos e aprofundados como esse ganhem destaque e sejam conduzidos em outros contextos.

Referências

GLASS, S., GAJWANI, R. and TURNER-HALLIDAY, F. Does quantitative research in child maltreatment tell the whole story? The need for mixed-methods approaches to explore the effects of maltreatment in infancy. ScientificWorldJournal 2016, 1869673, 2016. ISSN‎: ‎1537-744X [viewed 22 April 2019]. DOI: 10.1155/2016/1869673. Avaliable from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/27597984

TIMMERMAN, M. C. and SCHREUDER, P. R. Sexual abuse of children and youth in residential care: An international review. Aggression and Violent Behavior, v. 19, n. 6, p. 715-720, 2014. ISSN: 1359-1789 [viewed 22 April 2019]. DOI: 10.1016/j.avb.2014.09.001. Avaliable from: https://psycnet.apa.org/record/2014-54157-013

Para ler o artigo, acesse

SAID, A. P. and COSTA, L. F. Family dynamics of boys victims of sexual abuse. Paidéia (Ribeirão Preto), v. 29, e2908, 2019. ISSN: 0103-863X [viewed 22 April 2019]. DOI: 10.1590/1982-4327e2908. Available from: http://ref.scielo.org/qmckvd

Link externo

Paidéia (Ribeirão Preto) – PAIDEIA: www.scielo.br/paideia

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

SAID, A. P. and COSTA, L. F. Como é a dinâmica familiar de garotos vítimas de abuso sexual? [online]. SciELO em Perspectiva: Humanas, 2019 [viewed ]. Available from: http://humanas.blog.scielo.org/blog/2019/05/06/como-e-a-dinamica-familiar-de-garotos-vitimas-de-abuso-sexual/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post Navigation