Tag: Linguística Aplicada

As ciências da linguagem e os discursos sobre a pandemia: a questão da ética

O difícil momento pandêmico que estamos vivendo demanda uma postura ética de cada cidadão, posição defendida por Bakhtiniana (16.4), em “Pandemia, ética e discursos”. A busca e reconhecimento dessas variadas posturas eticamente responsáveis podem ser comprovadas nos artigos do número, que analisam os variados discursos em circulação no período e os valores por eles propalados. Read More →

A presença do intérprete de língua de sinais na escola garante a inclusão social da criança surda?

Qual deveria ser a formação do tradutor-intérprete de LIBRAS? Seria suficiente para a tradução de uma conferência? De uma peça teatral? Ou de uma consulta médica? A presença do tradutor-intérprete garante a inclusão do cidadão surdo nessas e em outras diferentes situações sociais? Bakhtiniana apresenta e debate essas importantes questões da contemporaneidade. Read More →

A compreensão do discurso da literatura, do direito e da educação

Bakhtin nos ensina que não há discurso separado de sua situação, da relação com o ouvinte e das situações que os vinculam (2006, p. 384). É isso que, mais uma vez, podemos comprovar neste número de Bakhtiniana (13.1) em que autores da América Latina (Peru e Brasil) e Europa (Itália e Espanha) mobilizam diferentes perspectivas teórico-discursivas para melhor compreensão do discurso da Literatura, do Direito e da Educação. Read More →

Bakhtinianos brasileiros históricos em Bakhtiniana

O número 2 de 2017 da Bakhtiniana, entre os diferentes estudos do discurso publicados, destaca aqueles de três bakhtinianos brasileiros que já podemos considerar históricos: Beth Brait, Carlos Alberto Faraco e Irene Machado, todos eles envolvidos com a perspectiva dialógica da linguagem ao menos desde a década de 1980. Read More →

Artigo discute o uso de multimodalidade no Ensino de Inglês

Estudo trata o uso da multimodalidade no ensino de inglês como língua estrangeira e na formação de professores usando, como ponto de partida, os recentes processos de migração em massa. O artigo traz detalhes do desenvolvimento da pesquisa e apresenta reflexões relevantes para o incremento de diferentes maneiras de se ler um texto, além de focalizar as diferenças culturais. Read More →

Marxismo e filosofia da linguagem, 37 anos depois da primeira tradução brasileira

A obra de Voloshinov, Marxismo e filosofia da linguagem, publicada na Rússia em 1929, e traduzida do francês para o português no Brasil em 1979, continua levantando importantes questões entre intelectuais das Ciências Humanas: quais os contextos originais de produção e recepção? E das traduções? Como novas traduções propõem novos diálogos e leituras? Essas e outras questões o artigo “MFL em contexto: algumas questões” tenta responder. Read More →

Como o dialogismo pode fundamentar a compreensão de diferentes fenômenos e práticas sociais?

O número 3 de 2016 de Bakhtiniana propõe diálogos variados que nos levam a compreender fenômenos tão diversos quanto a literatura e a teoria literária, as ciências da linguagem, as artes plásticas, o sincretismo religioso, questões éticas e estéticas desde o começo da vida, e ainda o modo como a literatura de cordel vê a ciência. Além deles, uma entrevista com Boris Schnaideman (*1917 – †2016) e três resenhas de obras atuais. Read More →

Argumentação gráfica na revista Pesquisa Fapesp

A comunicação da ciência seria uma atividade de simplificação de raciocínio e de linguagem para facilitar o entendimento do interlocutor? O profundo estudo de Irene Machado (USP) defende e justifica posição contrária a essa tese. Read More →

A popularização da ciência

A ciência contemporânea tem passado a interessar a sociedade como um todo de modo cada vez mais abrangente, não mais se constituindo como atividade solitária ou restrita a um público especializado. Os artigos de Bakhtiniana, número 2 de 2016, tratam desse diálogo entre ciência e sociedade, buscando reconhecer sua especificidade discursiva. Read More →

Bakhtiniana e nosso tempo

No momento em que encerramos esta Semana de divulgação de Bakhtiniana, queremos lembrar algumas palavras de Mikhaïl Bakhtin no conhecido ensaio sobre a Metodologia das Ciências Humanas: “Não existe a primeira nem a última palavra, e não há limites para o contexto dialógico (este se estende ao passado sem limites e ao futuro sem limites)”. Read More →

A Visual and Verbal Analysis on Curiosity: Nicolaes Maes’s Eavesdropper Paintings

The article Eavesdropping on Painting / A bisbilhotice na pintura, written by the Canadian scholar Anthony Wall, focuses on Nicolaes Maes’s eavesdropper paintings, which concern curiosity. Combining Art, History and Bakhtinian concepts, the analysis proposed by the author shows us how paintings of this sort combine surprising verbal and visual languages. Read More →

Instigantes aproximações entre Edward Said e Mikhail Bakhtin

O artigo da canadense Linda Hutcheon (University of Toronto), The review as Bakhtinian rejoinder: Edward W. Said as music reviewer, por meio de lentes bakhtinianas, propõe uma leitura da obra de crítica musical do eminente intelectual Edward W. Said — professor de inglês e de literatura comparada na Universidade de Columbia, conhecido especialmente por seus escritos sobre orientalismo e estudos pós-coloniais. Read More →