Fatores emocionais e seu impacto para a atividade empreendedora

Gilberto Perez, Editor-chefe da Revista de Administração Mackenzie – RAM, São Paulo, SP, Brasil.

Vitória Batista Santos Silva, Suporte técnico da Revista de Administração Mackenzie – RAM, São Paulo, SP, Brasil.

O empreendedorismo é uma prática considerada como vantajosa para incrementos na economia sob vários aspectos, tais como auxiliar na geração de inovação, gerar incrementos nos ganhos de uma empresa ou até mesmo na criação de novas empresas. Principalmente em um momento de crise econômica, como é o caso do momento atual para muitos países, o empreendedorismo pode ser visto como uma saída para atenuar problemas gerados pela perda do posto de trabalho, ou para o fechamento de alguns negócios, por conta da pandemia causada pela Covid-19. A RAM – Revista de Administração Mackenzie publicou em sua edição 22.2 um estudo que trata justamente sobre a importância da paixão empreendedora na intenção de empreender.

O estudo “A influência da paixão empreendedora e da criatividade nas intenções empreendedoras”, de Bignetti, et al. (2021), tem como objetivo buscar compreensão a respeito dos efeitos da paixão empreendedora – definida no artigo como um sentimento relativo à autoidentidade, que leva à atividade de empreender (Cardon, et al., 2013) – e da criatividade, na intenção empreendedora, além de discutir o papel mediador da autoeficácia entre as variáveis pessoais e cognitivas e a intenção empreendedora. O artigo traz como diferencial a discussão sobre os impactos das universidades para a intenção empreendedora.

Imagem:mary1826.

Foram utilizados os resultados de uma pesquisa que considerou 338 respostas válidas entre estudantes de administração e de informática de uma universidade brasileira. O método utilizado foi o de modelagem por equações estruturais, considerando uma amostragem não probabilística. As hipóteses inicialmente assumidas seriam de que os fatores mencionados, paixão empreendedora, criatividade e a autoeficácia, estariam positivamente relacionados com a intenção empreendedora, bem como também foi levada em conta a hipótese de que a autoeficácia poderia ser considerada um fator mediador entre a criatividade e a intenção empreendedora, e entre a paixão empreendedora e a intenção empreendedora.

Os resultados indicaram uma relação direta e indireta entre a paixão empreendedora e a intenção de empreender. Foi identificada também uma relação indireta entre a criatividade e a intenção empreendedora, uma vez que a hipótese que presumia a relação entre as duas variáveis não foi confirmada. Uma das principais contribuições do estudo consiste em apresentar a relevância de fatores emocionais para o empreendedorismo.

Para ler o artigo, acesse

BIGNETTI, B., et al. A INFLUÊNCIA DA PAIXÃO EMPREENDEDORA E DA CRIATIVIDADE NAS INTENÇÕES EMPREENDEDORAS. RAM, Rev. Adm. Mackenzie [online]. 2021, vol.22, n.2 [viewed 05 May 2021]. https://doi.org/10.1590/1678-6971/eramr210082. Available from: http://ref.scielo.org/rtrcj7

Links externos

Corpo Docente PPGA Mackenzie: https://www.mackenzie.br/pos-graduacao/mestrado-doutorado/sao-paulo-higienopolis/administracao-de-empresas/corpo-docente/

RAM. Revista de Administração Mackenzie – RAM: www.scielo.br/ram

Revista de Administração Mackenzie: http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/RAM

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

PEREZ, G. and SILVA, V. B. S. Fatores emocionais e seu impacto para a atividade empreendedora [online]. SciELO em Perspectiva: Humanas, 2021 [viewed ]. Available from: https://humanas.blog.scielo.org/blog/2021/05/27/fatores-emocionais-e-seu-impacto-para-a-atividade-empreendedora/

 

One Thought on “Fatores emocionais e seu impacto para a atividade empreendedora

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Post Navigation