O Decolonial é o tema da Semana Especial da Revista Brasileira de Estudos da Presença para o Blog SciELO em Perspectiva | Humanas

Gilberto Icle, Editor-chefe da Revista Brasileira de Estudos da Presença, Porto Alegre, RS, Brasil

A Revista Brasileira de Estudos da Presença [Brazilian Journal on Presence Studies] foi criada em 2011 pelo GETEPE-Grupo de Estudos em Educação, Teatro e Performance da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Desde sua criação, o periódico alcançou um desenvolvimento bastante acentuado, posicionando-se como um dos principais periódicos de Artes Cênicas da América Latina e o único dessa área a figurar na coleção SciELO.

O periódico tem como principal finalidade a divulgação de pesquisas artístico-científicas no campo das Artes Cênicas e nas áreas de interface que dão sustentação e mantêm diálogo com as diferentes linguagens e os múltiplos contextos das artes e das ciências do espetáculo vivo, em especial, a Educação, a Antropologia, a Filosofia e a História.

De 2011 a 2018 a Revista Brasileira de Estudos da Presença – RBEP publicou de forma online 229 artigos, sendo 113 de pesquisadores vinculados a Universidades e centros de pesquisas estrangeiros. Isso mostra o rápido processo de internacionalização do periódico, que recebe cerca de 150 a 300 artigos por ano, com destaque para a recepção de trabalhos estrangeiros que perfazem, no momento, cerca de 20% a 30% desse total.

Esse dado mostra a potência da RBEP e sua disseminação no exterior, pois as Artes Cênicas se constituem como uma área de menor dimensão, tanto no Brasil quanto em diversos países do mundo, respondendo por uma parcela muito ínfima da produção científica mundial.

Mesmo assim, a RBEP tem atraído um número considerável de leitores, interessados em temas tão diversos quantos os publicados no periódico. A organização de dossiês e seções temáticas regulares tem possibilitado a publicação de trabalhos voltados a temas já consolidados no campo das Artes Cênicas, bem como a outros, emergentes. Vejamos alguns exemplos: Etnocenologia, Performance, Política, Genética Teatral, Teatro Pós-dramático, Neurosciências, Educação Somática, Escola, Dramaturgia, Tecnologia, Relações Ético-raciais, Imagem. Além disso, o periódico organizou dossiês sobre artistas de cena como: François Delsarte, Pina Bausch, Jerzy Grotowski, Gordon Craig.

Para esta semana especial do Blog SciELO, vamos apresentar nosso número 4 de 2018: “Poéticas e Pedagogias Decoloniais” – um tema interdisciplinar e de profunda relevância nos tempos atuais, mostrando-se especialmente central para o campo das Artes Cênicas na medida em que colocam em primeiro plano o debate sobre posições epistemológicas contra hegemônicas (MIGNOLO,2003; QUIJANO, 2000).

O número conta com cinco artigos bilíngue com a temática decolonial e, como de praxe, três artigos na seção Outros Temas.

O tema de capa abre com o artigo de Lîlâ Bisiaux, intitulado “Deslocamento epistêmico e estético do teatro decolonial” nas versões em português e francês. Trata-se de trabalho realizado a partir do estudo de caso da peça Kay pacha, do dramaturgo e militante equatoriano Juan Francisco Moreno Montenegro. A partir desse estudo, a autora francesa coloca em xeque as relações coloniais nos Estudos Teatrais e na Estética do teatro.

O segundo artigo, em português e em inglês, intitula-se “Corpo e descolonialidade em composição poética cênica” e é assinado pelos pesquisadores brasileiros Marina Fazzio Simão e Juliano Casimiro de Camargo Sampaio. A pesquisa procura questionar se o processo artístico poderia ser tomado como meio de decolonialidade e o faz a partir de uma intersecção teórica nos campos da arte, da antropologia e da filosofia.

A seguir, apresentamos o texto de Miki Seifert, chamado “Representando o hífen” com versões em português e em inglês. A pesquisadora neozelandesa propõe uma espécie de matriz metodológica com acento decolonial como possibilidade de pesquisa para a área da performance.

O penúltimo artigo, com versões em português e em inglês, é de autoria dos pesquisadores brasileiros Maria Aparecida Bergamaschi e Dannilo Cesar Silva Melo. Ele se chama “Karaí Arandú na Bienal do Mercosul: educação guarani como possibilidade para uma estética decolonial” e reflete sobre uma vivência denominada mediação (inter)cultural em uma escola guarani e em uma exposição de arte na 10ª Bienal do Mercosul, usando, para isso, do vocabulário próprio dos povos indígenas.

A seção finaliza com o artigo “Decolonizar o currículo? Possibilidades para desestabilizar a formação em performance” da pesquisadora norte-americana Janet O’Shea. Em versões em português e em inglês, o texto propõe uma espécie de decolonização dos currículos de dança e de performance no ensino superior.

A seção Outros Temas é formada, por sua vez, por três instigantes trabalhos que, com efeito, dizem respeito a diferentes temáticas.

O primeiro chama-se “Poéticas do corpo na criação artística em Marina Abramović e Elke Hering” e é assinado por Carla Carvalho, Leomar Peruzzo e Pedro Gottardi. O segundo é de autoria de Weslley Fontenele e intitula-se “Sobre não folclorizar o popular: reinterpretando as culturas ditas populares via Torquato Neto”. O número fecha com o artigo “Entre a ilusão e a teatralidade: Rosalind Krauss, Michael Fried e o minimalismo” de Manoel Silvestre Friques.

Na sequência, o professor Gilberto Icle, comenta sobre as origens do periódico, os desafios para mantê-lo, o convite para a semana Especial no Blog SciELO e a temática do número.

Referências

MIGNOLO, W. Historias locales / diseños globales: colonialidad, conocimietos subalternos y pensamiento fronterizo. Madrid: Akal, 2003.

QUIJANO, A. Eurocentrismo y América Latina. In: LANDER, Edgardo (Org.). Colonialidad del saber y eurocentrismo. Buenos Aires: UNESCO-CLASCO, 2000. p. 122-151.

Para ler os artigos, acesse

Rev. Bras. Estud. Presença vol.8 no.4 Porto Alegre out./dez. 2018

Link externo

Revista Brasileira de Estudos da Presença – RBEP: www.scielo.br/rbep

Sobre Gilberto Icle

Gilberto Icle

Gilberto Icle

Gilberto Icle é doutor em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. É professor permanente no Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e no Programa de Pós-graduação em Artes Cênicas da Universidade de Brasília. É bolsista de produtividade 1D do CNPq. E-mail: gilbertoicle@gmail.com

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

ICLE, G. O Decolonial é o tema da Semana Especial da Revista Brasileira de Estudos da Presença para o Blog SciELO em Perspectiva | Humanas [online]. SciELO em Perspectiva: Humanas, 2018 [viewed ]. Available from: http://humanas.blog.scielo.org/blog/2018/10/22/o-decolonial-e-o-tema-da-semana-especial-da-revista-brasileira-de-estudos-da-presenca-para-o-blog-scielo-em-perspectiva-humanas/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post Navigation