Sequestraram o Salão de Abril! Formas de organizar práticas artísticas de resistência nos espaços da cidade de Fortaleza

Mariana Maia Bezerra, Professora das Faculdades de Ciência e Tecnologia do Nordeste, Fortaleza, CE, Brasil.

Luma Louise Souza Lopes, Professora da Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, CE, Brasil.

Joelma Soares da Silva, Professora da Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, CE, Brasil.

Ana Silvia Rocha Ipiranga, Professora da Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, CE, Brasil.

O Salão de Abril, foco e contexto da pesquisa, é uma das mais importantes organizações artísticas da cidade de Fortaleza, sendo constituído por um diversificado conjunto de atores que atuam na economia criativa local. O artigo, publicado no periódico Brazilian Administration Review (v. 16, n. 4), teve como objetivo investigar as práticas espaciais de rupturas imbricadas no processo de resistência manifestado no sequestro da edição de 2017 da mostra artística, realizado por artistas, curadores e pesquisadores, integrantes do Fórum de Artes Visuais.

Os resultados evidenciaram uma rede de práticas de rupturas e resistências, entrelaçadas em uma dinâmica de mutualidade constitutiva, performando um novo cotidiano na cidade. O organizar dessa rede destacou a prática do sequestro como uma ponte para alcançar e incluir diferentes espaços de Fortaleza, previamente esquecidos pelas edições anteriores do Salão de Abril. Esses movimentos de spacing (BEYES; STEYAERT, 2012) possibilitaram o surgimento de novos espaços praticados (CERTEAU, 1984), com efeitos na inclusão de amplas margens da cidade.

A presente pesquisa avançou nas discussões que se estabelecem nas fronteiras dos estudos gerenciais, revelando a mutualidade constitutiva entre processos de resistência e práticas espaciais, artísticas e culturais, de rupturas, capazes de trazer à cidade novas fronteiras que desafiam os modos de organização já estabelecidos.

Referências

BEYES, T. and STEYAERT, C. Spacing organization: Non-representational theory and performing organizational space. Organization [online]. 2012, vol. 19, no. 1, pp. 45-61, ISSN: 1350-5084 [viewed 03 March 2020]. DOI: 10.1177/1350508411401946. Available from: https://journals.sagepub.com/doi/10.1177/1350508411401946

CERTEAU, M. The practice of everyday life. London, UK: University of California Press, 1984.

CZARNIAWSKA, B. Shadowing, and other techniques for doing fieldwork in modern societies. Frederksberg: Copenhagen Business School Press, 2007.

Para ler o artigo, acesse

BEZERRA, M. M. et al. Spatial Practices in the City: The Kidnapping of an Arts Organization. BAR, Braz. Adm. Rev. [online]. 2019, vol. 16, no. 4, e180163, ISSN 1807-7692 [viewed 19 March 2020]. DOI: 10.1590/1807-7692bar2019180163. Available from: http://ref.scielo.org/v99byy

Links externos

Brazilian Administration Review –  BAR: www.scielo.br/bar/

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

BEZERRA, M. M. et al. Sequestraram o Salão de Abril! Formas de organizar práticas artísticas de resistência nos espaços da cidade de Fortaleza [online]. SciELO em Perspectiva: Humanas, 2020 [viewed ]. Available from: https://humanas.blog.scielo.org/blog/2020/05/12/sequestraram-o-salao-de-abril-formas-de-organizar-praticas-artisticas-de-resistencia-nos-espacos-da-cidade-de-fortaleza/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Post Navigation