Não fazemos selfies só para sermos admirados: temos 5 motivos para gostar desse tipo de fotografia

Isis Graziele da Silva, psicóloga e pesquisadora, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

O artigo “Narrativas de Selfies Feitas por Jovens” busca responder quais são os sentidos das selfies para jovens e porque esse tipo de fotografia se popularizou tanto na Internet. O estudo foi realizado de 2017 a 2019 pela psicóloga Isis Graziele da Silva, sob orientação do Prof. Daniel Kuperman, na Universidade de São Paulo. Investigar a proliferação das selfies ajuda a entender não só o funcionamento das redes sociais, como também os relacionamentos e adoecimentos psíquicos na contemporaneidade.

Para essa pesquisa, os autores, pertencentes ao Programa de Pós-Graduação em Psicologia Clínica do Instituto de Psicologia da USP, entrevistaram 15 jovens universitários de 18 a 28 anos – público que tem contato constante com fotografia digital e faz uso diário de redes sociais. Cada entrevistado escolheu 5 selfies pessoais e respondeu a duas perguntas: “Por você fez essa foto? Por que a compartilhou?”. As entrevistas foram analisadas segundo o método de pesquisa psicanalítico conhecido por “Psicanálise aplicada”, que busca entender fenômenos e comportamentos sociais.

Imagem: Gustavo Fring.

O estudo revelou que existem, pelo menos, 5 tipos de selfies: a selfie imperativa, a falsa selfie, a selfie inquietante, a selfie memória e a selfie demanda de amor. O que demonstra que a interpretação de que esse tipo de fotografia é feito apenas por uma necessidade narcísica do fotografado de conquistar admiração dos outros não contempla todos os sentidos presentes nesse tipo de foto.

Esse estudo demonstrou que a selfie e seu compartilhamento com os outros possibilitam a construção de uma narrativa de si que dá um novo sentido à experiência vivida e possibilita desdobramentos para essa experiência. Esses resultados mostraram pontos relevantes e pouco discutidos na literatura sobre o assunto. Para uma compreensão ainda maior sobre os significados das selfies, os autores sugerem que novas pesquisas também possam analisar as narrativas de jovens e adultos que não pertencem à classe universitária brasileira.

Para ler o artigo, acesse

SILVA, I. G. and KUPERMANN, D. Selfie Narratives Made by Young People. Paidéia (Ribeirão Preto) [online]. 2021, vol.31 [viewed 13 August 2021]. https://doi.org/10.1590/1982-4327e3111. Available from: http://ref.scielo.org/fwxgtm

Links Externos

Editora Appris – Por Que Fazemos Selfies?: https://editoraappris.com.br/produto/4399-por-que-fazemos-selfies

Paidéia (Ribeirão Preto) – PAIDEIA: www.scielo.br/paideia

Psia – Laboratório de Pesquisas e Intervenções em Psicanálise no Facebook: https://www.facebook.com/labpsia

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

SILVA, I. G. Não fazemos selfies só para sermos admirados: temos 5 motivos para gostar desse tipo de fotografia [online]. SciELO em Perspectiva: Humanas, 2021 [viewed ]. Available from: https://humanas.blog.scielo.org/blog/2021/08/16/nao-fazemos-selfies-so-para-sermos-admirados-temos-5-motivos-para-gostar-desse-tipo-de-fotografia/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Post Navigation