Seria o uso de bebidas alcoólicas incentivado em propagandas de festas divulgadas em campi universitários?

Emílio Martins Curcelli, Graduando do Curso de Medicina, Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, SP, Brasil

Bruno José Barcellos Fontanella, Professor associado do Departamento de Medicina, Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, SP, Brasil

Pesquisadores do Departamento de Medicina da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) constataram um constante incentivo ao uso de bebidas alcoólicas, ao analisarem qualitativamente 170 cartazes de festas veiculados em um campus universitário. O estudo foi publicado no periódico Interface – Comunicação, Saúde, Educação (v. 23) com o título “Uso de bebidas alcoólicas por estudantes: análise de propagandas de festas em um campus universitário”. Trata-se, provavelmente, do mais extenso trabalho deste tipo já realizado no Brasil.

A coleta de dados ocorreu ao longo de doze meses, entre 2016 e 2017, tendo sido realizada no campus de São Carlos da UFSCar, frequentado por cerca de 8500 alunos de graduação e 3300 alunos de pós-graduação stricto sensu.

Os autores interpretaram as imagens plásticas, icônicas e linguísticas presentes nos cartazes, com atenção às menções a bebidas alcoólicas e, eventualmente, a outras substâncias. Abordaram qualitativamente os dados, com o uso de um método semiótico para imagens (JOLY, 2012). O trabalho analítico levantou no total 85 temas, que compuseram seis categorias de resultados: menções diretas a bebidas alcoólicas, sexualidade, gênero, produção das festas, estilos musicais e estilo de vida-grupos-comportamento.

Os elementos persuasivos ao consumo de álcool foram variados, envolvendo por exemplo a associação entre álcool e sexualidade e a apresentação de novos comportamentos e estilos de vida aos estudantes universitários. A produção das festas e questões de gênero presentes nos cartazes também foram abordadas na análise. Os achados da pesquisa indicam haver uma relação informal, não explícita em termos econômicos ou administrativos, entre a produção e o comércio de bebidas e o território do campus universitário investigado, que termina por servir de veículo às propagandas. A maioria dos cartazes não seguiu a legislação e a regulamentação para sua produção, por exemplo ao propagandear e oferecer a oportunidade de consumo de bebidas alcoólicas para menores de idade (parcela considerável dos estudantes universitários), além de diferenciar, para menos, o preço cobrado para as frequentadoras do sexo feminino.

O tema desta pesquisa tem sua importância em face de se constatar, nas últimas duas a três décadas, um uso persistentemente prevalente e intenso de álcool entre estudantes universitários brasileiros. “Tal consumo muito provavelmente se associa ao chamado ‘uso de risco’, ou seja, a uma maior probabilidade de eventos como acidentes de trânsito, danos físicos à saúde, episódios de violência, sexo sem proteção, prejuízos acadêmicos etc.” (p. 2).

A exposição à publicidade de bebidas alcoólicas pode se relacionar ao consumo feito por uma parcela da população. Segundo os autores, citando trabalhos de Vendrame et al. (2009) e Pinsky e Jundi (2008), a literatura internacional ratifica a hipótese de que conteúdos veiculados em mensagens publicitárias influenciam a tomada de decisões sobre consumir álcool, sobretudo quanto ao início precoce de consumo e quanto ao consumo em grandes quantidades.

“O processo de socialização dos estudantes universitários parece permeado […] por uma constante alternância entre tempo de estudo e trabalho e tempo de lazer – este último, aparentemente, correspondendo frequentemente a festas em que o consumo em grande quantidade de bebidas alcoólicas é incentivado. Os elementos persuasivos ao consumo que são veiculados por meio das imagens são variados, envolvendo apelos à associação com o exercício de sexualidade, a reificações e questionamentos de valores tradicionais, ao prazer, à alegria, à ideia de domínio territorial, à apresentação de novos comportamentos e estilos de vida e ao enfrentamento de problemas e dificuldades psicossociais” (p. 17-18).

Referências

JOLY, M. Introdução à análise da imagem. 14. ed. Campinas: Papirus, 2012.

PINSKY, I. and JUNDI, S. A. R. J. El. O impacto da publicidade de bebidas alcoólicas sobre o consumo entre jovens: revisão da literatura internacional. Rev. Bras. Psiquiatr., v. 30, n. 4, p. 362-374, 2008. ISSN: 1516-4446 [viewed 23 September 2019]. DOI: 10.1590/S1516-44462008005000015. Available from: http://ref.scielo.org/vk47w7

VENDRAME, A. et al. Apreciação de propagandas de cerveja por adolescentes: relações com a exposição prévia às mesmas e o consumo de álcool. Cad. Saúde Pública, v. 25, n. 2, p. 359-365, 2009. ISSN 0102-311X [viewed 23 September 2019]. DOI: 10.1590/S0102-311X2009000200014. Available from: http://ref.scielo.org/jyh6cx

Para ler o artigo, acesse

CURCELLI, E. M. and FONTANELLA, B. J. B. Uso de bebidas alcoólicas por estudantes: análise de propagandas de festas em um campus universitário. Interface (Botucatu), v. 23, e180621, 2019. ISSN: 1414-3283 [viewed 23 September 2019]. DOI: 10.1590/interface.180621. Available from: http://ref.scielo.org/v3hbv2

Link externo

Interface – Comunicação, Saúde, Educação – ICSE: www.scielo.br/icse

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

CURCELLI, E. M. and FONTANELLA, B. J. B. Seria o uso de bebidas alcoólicas incentivado em propagandas de festas divulgadas em campi universitários? [online]. SciELO em Perspectiva: Humanas, 2019 [viewed ]. Available from: https://humanas.blog.scielo.org/blog/2019/09/24/seria-o-uso-de-bebidas-alcoolicas-incentivado-em-propagandas-de-festas-divulgadas-em-campi-universitarios/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Post Navigation