Category: Icse

Mães órfãs: a banalização da vida na separação de mulheres e seus filhos

Foto em alto contraste. A sombra de uma mulher negra grávida posando de perfil. Ela olha para baixo. Atrás, uma janela com muita iluminação e o ambiente todo escuro.

Quando mães e filhos em situação de vulnerabilidade são separados de forma compulsória, quais dinâmicas induzem esse afastamento? Por meio de um exercício cartográfico, foi possível encontrar movimentos indutores de segregação nos serviços públicos e espaços sociais com tentativas de controle das vidas dessas mulheres. Read More →

Saúde mental: potencializando o olhar sobre estudantes que vivenciam o sofrimento emocional

Homem segurando o pedaço de um espelho no qual seu rosto está refletido

É preciso que a universidade avance nas discussões sobre sua responsabilidade na construção do ser saudável, na atenção para as especificidades de seu público estudantil e no reconhecimento de que aspectos da desigualdade social também são percebidos e validados em seus espaços, sendo necessária a construção de estratégias para seu enfrentamento. Read More →

Jovens negros e seu vínculo com o Centro de Atenção Psicossocial infantojuvenil (CAPSij)

Ilustração vetorizada. Uma família negra composta por uma mulher adulta e duas crianças. Os três estão sorrindo. A mãe abraça uma das crianças. Do lado direito, cinco corações coloridos. Fundo branco com círculo meio rosa, meio vermelho.

Partindo do pressuposto que a sociedade brasileira (re)produz as iniquidades raciais e que, consequentemente, os efeitos psicossociais do racismo podem gerar o sofrimento na população negra, este estudo buscou identificar quais são as estratégias utilizadas na assistência à saúde mental de crianças e adolescentes negros de um serviço de saúde. Read More →

O que podem corpos negros? Uma narrativa poética que navega pela diáspora africana à luta e labuta da população negra até os dias atuais

Uma colagem de imagens: fundo escuro, linhas vermelhas "escorrendo" do topo da imagem, uma mulher negra performando, sobrepostas estão imagens um pouco ofuscadas de homens negros vendados com um pano branco e/ou algemadas.

A partir desta dessa narrativa-poesia, convidamos todas, todos e todes a embarcar nesta travessia de múltiplos afetos, em que ao qual exploramos a potência na produção de vida, dos corpos pretos, das vidas marginalizadas em meio genocídio e as políticas de morte produzidas de muitos modos no contexto brasileiro. Read More →

As dimensões intangíveis do cuidado no transplante de medula óssea

A produção científica sobre transplante de medula óssea costuma se ater aos aspectos biomédicos, deixando de lado os efeitos subjetivos. Por meio narrativas sob o referencial teórico da psicanálise, busca-se compreender os afetos que atravessam o profissional que afeta e é afetado em sua prática diária, possibilitando uma melhor compreensão do trabalho institucional. Read More →

Quando mulheres têm suas imagens íntimas divulgadas sem autorização: qual o lugar da saúde?

O artigo discute, a partir da escuta de mulheres expostas e de profissionais da saúde que atenderam mulheres nessa situação, que tipo de agravos essa violência tem gerado e quais cuidados em saúde ela demanda. Evidenciou-se a associação da exposição a outras violências e a centralidade da privacidade nos atendimentos. Read More →

Uma nova proposta para compreender e tratar da drogadição – o circuito dos afetos

Uma nova explicação para a drogadição permitiu reorganizar o trabalho de um CAPS-AD que passou a compartilhar um esquema referencial comum de ação terapêutica, que entende que o consumo abusivo de substâncias é decorrente de um modo particular de configuração dinâmica dos afetos e não é determinado pelas substâncias. Read More →

Reforma Sanitária e Saúde Coletiva – o direito e a formação em saúde no debate democrático

Os estudos da chamada Reforma Sanitária brasileira, entre 1970-1980, ainda se ressentem da compreensão de experiências regionais acerca da lógica vivida por grupos determinados, instituições e movimentos atrelados à luta pela democracia e o direito à saúde. Dentro dessa motivação, busca-se apresentar um estudo histórico sobre parte das experiências médico-sanitárias vividas no Estado de São Paulo. Read More →

25 anos de Interface: novos tempos, novos desafios

Alguns desafios atuais para os periódicos científicos são tratados. A necessidade de um website com design e organização de seu conteúdo que destaque o novo e se integre as redes socais. A necessidade de maior transparência e valorização do papel do revisor na avaliação por pares é também destacada. Read More →

Tempos de Coronavírus: vulnerabilidade e resposta social em territórios metropolitanos de São Paulo e Santos

Como enfrentar a pandemia de Covid-19? Saiba como 16 territórios metropolitanos de São Paulo e da Baixada Santista (SP, Brasil) lidaram com este desafio, em 2020. Pesquisa participativa enfocou as condições de vida, vulnerabilidades, redes de solidariedade e os direitos humanos. A resposta social requer o reconhecimento de necessidades, a troca de experiências e a caminhada conjunta de sujeitos e coletivos. Read More →

Por que a população negra é a principal vítima da pandemia COVID-19?

Marcadores sociais como raça, gênero, território, etário e situação econômica refletiram diretamente nos indicadores de infecções e mortes por Covid-19, acesso à vacinação e outros serviços, evidenciando uma grande falha na operacionalização das ações para mitigação e proteção da população negra contra a doença. Aborda-se a importância da atuação do GT Racismo e Saúde (Abrasco) na divulgação de informações científicas na grande imprensa sobre o impacto do racismo em contextos de crise sanitária, econômica, política, moral, alimentar e ética. Read More →

Já tomou a sua pílula hoje?

O artigo apresenta uma atividade do projeto de extensão “Prescrevendo histórias: desenvolvimento de competência narrativa em estudantes de medicina”, da UERJ. A partir da distribuição de pílulas literárias em sala de espera do ambulatório, foram produzidas narrativas pelos estudantes, que foram analisadas quanto à temática, recursos linguísticos e vozes enunciadas. Read More →