Paulo Freire e a educação de pessoas trabalhadoras

Maria Margarida Machado, Professora da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Goiás, Goiânia, Goiás, Brasil.

No contexto das celebrações do Centenário de Paulo Freire, ressalta-se a presença e a influência deste que é o Patrono da Educação Brasileira na formação de muitos educadores. No estudo foi utilizado como método de pesquisa a memória que contou os passos da pesquisadora, como professora, na educação de pessoas trabalhadoras, inicialmente como alfabetizadora em Círculos de Cultura, nos anos de 1980 e 1990, chegando a pesquisadora e formadora de professores da Educação de Jovens e Adultos das redes públicas de ensino, além da contribuição e depoimentos de outras pessoas envolvidas nas experiências analisadas, que se apoiou em fontes documentais e bibliográficas, permitindo a reconstituição da trajetória das práticas educativas e suas conexões com a proposta de educação freireana.

O artigo Círculos de Cultura e EJA: Presença de Paulo Freire na Educação de Trabalhadoras, publicado no periódico Educação & Sociedade (vol. 42), é de natureza autobiográfica (BOLÍVAR BOTÍA, 2002), mas é também uma produção que buscou assumir a dimensão coletiva das experiências analisadas. O que chamamos de reconstrução da fisionomia de acontecimentos de práticas educativas apoiadas em conceitos de memória individual e coletiva, histórias de vida, lembranças, que resguardando suas nuances, são acionados para auxiliar a compreensão dos sentidos produzidos pelas experiências refletidas (FERRAROTTI, 2011). Partimos neste processo reflexivo, tomando de empréstimo uma expressão muito utilizada por Freire, de um “saber de experiência feito”, para chegar a problematizar a experiência como lócus do saber.

As práticas de alfabetização de adultos em Círculos de Cultura, apresentadas no artigo, ocorreram no contexto das décadas de 1980 e 1990, na periferia do Distrito Federal, utilizando-se do referencial freireano para alfabetização por meio de palavras geradoras (FREIRE, 1967, 1987; FÁVERO, 2012). Tais práticas se desdobraram em ações políticas (PEREIRA; TÔRRES, 2015) em defesa da educação de pessoas trabalhadoras na escola pública, reafirmando o desafio colocado por Freire (2001) de, partindo da experiência da militância progressista dos Círculos de Cultura, buscar forças para seguir formando professores e professoras progressistas.

As ações e reflexões que partem das iniciativas de alfabetização e chegam à defesa da escola pública popular para trabalhadores, relembradas neste artigo, conectam-se com a reafirmação da importância da luta em defesa da educação pública brasileira, tão ameaçada nos contextos atuais por discursos conservadores e negacionistas, que tentam inclusive desqualificar Paulo Freire e suas contribuições como Patrono dessa educação.

Leia mais

BOLÍVAR BOTÍA, A. “¿De nobis ipsis silemus?”: Epistemología de la investigaciòn biográfico-narrativa en educación. REDIE [online]. 2002, vol. 4, no. 1, pp. 1-26. ISSN 1607-4041 [viewed 9 November 2021]. Available from: http://www.scielo.org.mx/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1607-40412002000100003&lng=es&nrm=iso

FÁVERO, O. As fichas de cultura do Sistema Paulo Freire: um “Ovo de Colombo”. Linhas Críticas [online]. 2012, vol. 18, no. 37, pp. 465-483. e-ISSN: 1981-0431 [viewed 9 November 2021]. https://doi.org/10.26512/lc.v18i37.3988.  Available from: https://periodicos.unb.br/index.php/linhascriticas/article/view/3988

FERROAROTTI, F. Las histórias de vida como método. Acta Sociologica [online], 2011, no. 56, pp. 95-119, ISSN: 0186-6028 [viewed 9 November 2021]. https://doi.org/10.22201/fcpys.24484938e.2011.56.29459. Available from: http://www.revistas.unam.mx/index.php/ras/article/view/29459

FREIRE, P. Educação como prática da liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1967.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FREIRE, Paulo. Política e educação: ensaios. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2001. (Coleção Questões de Nossa Época, vol. 23.)

PEREIRA, M.L.P. and TÔRRES, M.M. Relações entre a Universidade de Brasília e o Movimento Social Grupo de Trabalho Pró-Alfabetização de Jovens e Adultos do DF (GTPA) / Fórum de Educação de Jovens e Adultos (EJA) do DF – tensões e desafios de um longo e permanente caminho de lutas. In: RÊSES, E.S. (ed.). Universidade e movimentos sociais. Belo Horizonte: Fino Traço, 2015.

Link(s)

Página da Educação & Sociedade no SciELO:www.scielo.br/es

Facebook da Educação & Sociedade: https://www.facebook.com/ES.cedes/

Twitter da Educação & Sociedade: https://twitter.com/ES_cedes

LinkedIn da Educação & Sociedade: www.linkedin.com/in/educação-e-sociedade

Para ler o artigo, acesse

MACHADO, M.M. Círculos de cultura e EJA: presença de Paulo Freire na educação de trabalhadoras. Educação & Sociedade [online]. 2021, vol. 42, e254978 [viewed 20 December 2021]. https://doi.org/10.1590/ES.254978. Available from: https://www.scielo.br/j/es/a/WHbTMH5BNxXRtNhMFLF4mRP/abstract/?lang=pt#

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

MACHADO, M.M. Paulo Freire e a educação de pessoas trabalhadoras [online]. SciELO em Perspectiva: Humanas, 2021 [viewed ]. Available from: https://humanas.blog.scielo.org/blog/2021/12/21/paulo-freire-e-a-educacao-de-pessoas-trabalhadoras/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post Navigation