Investindo na desigualdade: a distribuição de investimentos públicos em Curitiba

Ricardo Biaobock – Mestre e doutorando em Gestão Urbana na Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Membro do corpo editorial da Revista Urbe. Curitiba, Paraná, Brasil.

As desigualdades socioespaciais reproduzidas nas cidades podem ser parcialmente atribuídas a efeitos dos processos de planejamento urbano e sua subordinação às relações econômicas mundiais (HARVEY, 2006). Logo, existe a preocupação dos atores urbanos no entendimento de como os investimentos públicos em infraestrutura urbana contribuem para a manutenção das desigualdades, propiciando discussões sobre quais são os parâmetros utilizados na distribuição desse capital. Somando a esse debate, os autores Tainá Andreoli Bittencourt e José Ricardo Vargas de Faria trazem a cidade de Curitiba como objeto de análise de investimentos públicos no artigo intitulado “Distribuição de investimentos públicos, infraestrutura urbana e desigualdade socioespacial em Curitiba”, recentemente publicado na Revista Urbe, vol. 13/2021. Vale ressaltar que a cidade de Curitiba tem sido um exemplo difundido de bom planejamento urbano, sendo um caso pertinentemente debatido por planejadores e gestores urbanos. Para o entendimento dos níveis de precariedade na cidade de Curitiba, os autores analisaram elementos como as condições dos domicílios e a infraestrutura distribuída no território (figura 1).

Figura 01: Condições de precariedade no espaço intraurbano de Curitiba, por bairro (à esquerda) e por setor censitário (à direita). Imagem: Bittencourt; Faria, 2019.

O estudo conduzido por Bittencourt e Faria (2021) destaca a centralidade do Estado na condução de políticas públicas. Ao mesmo tempo, reflete sobre o papel da iniciativa privada nos processos de urbanização e a sua influência nas ações do Estado no território da cidade. De forma complementar, os autores trazem reflexões sobre as relações de poder que ocorrem no ambiente urbano e que afetam a construção do espaço economicamente e socialmente. Com efeito, a análise executada demonstra que a maior parte dos investimentos públicos aplicados no município de Curitiba estão destinados a bairros com maiores níveis de renda e infraestrutura. Assim, atestou-se que os bairros mais precários recebem menos investimentos, tanto em termos absolutos como proporcionais. É igualmente constatado a existência de uma relação entre a localização dos investimentos públicos na cidade de Curitiba e o interesse do mercado imobiliário. Outro fator expressivo foi a presença da dimensão política na alocação desses recursos.

 

Figura 02: Mapas bivariados entre investimentos públicos (R$/hab.ano) entre 2005 e 2016 e nível de precariedade (à esquerda), e aumento do preço dos lançamentos imobiliários (à direita). Imagem: Bittencourt; Faria, 2019.

 

Diante disso, verifica-se que a desigualdade socioespacial vem sendo reforçada pelos parâmetros de investimento adotados, além de capitalizada pelos interesses financeiros e políticos presentes na cidade de Curitiba.

Referências

HARVEY, D. A produção capitalista do espaço (2. ed.). São Paulo: Anablume, 2006.

Para ler o artigo, acesse

BITTENCOURT, T. A. and FARIA, J. R. V. Distribuição de investimentos públicos, infraestrutura urbana e desigualdade socioespacial em Curitiba. urbe. Revista Brasileira de Gestão Urbana [online]. 2021, vol.13 [viewed 22 July 2021]. https://doi.org/10.1590/2175-3369.013.e20190300. Available from: http://ref.scielo.org/w2dy8x

Links Externos

urbe. Revista Brasileira de Gestão – URBE: https://www.scielo.br/revistas/urbe/paboutj.htm

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

BIAOBOCK, R. Investindo na desigualdade: a distribuição de investimentos públicos em Curitiba [online]. SciELO em Perspectiva: Humanas, 2021 [viewed ]. Available from: https://humanas.blog.scielo.org/blog/2021/07/22/investindo-na-desigualdade-a-distribuicao-de-investimentos-publicos-em-curitiba/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Post Navigation