Conversações públicas com a população LGBT

Laura Vilela e Souza, Docente da Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, SP, Brasil

Murilo dos Santos Moscheta, Professor adjunto da Universidade Estadual de Maringá, Maringá, PR, Brasil

Fabio Scorsolini-Comin, Docente da Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, SP, Brasil

A pesquisa, desenvolvida em uma cidade do estado de Minas Gerais, objetivou analisar o processo de facilitação de diálogos com padres, pastores, líderes comunitários, políticos, profissionais da saúde e educação, LGBTs (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais ou Transgêneros) e militantes LGBTs inspirado na metodologia de diálogo do Projeto de Conversações Públicas (HERZIG; CHASIN, 2006), com foco nos efeitos da estrutura da conversa para se pensar ações contra a violência a LGBTs.

O Projeto de Conversações Públicas nasceu de uma instituição de mesmo nome em Boston, nos EUA, na década de 1990. Trata-se de uma metodologia que coloca pessoas com opiniões polarizadas sobre temas polêmicos para conversar. Com acordos prévios à conversa, tais como não julgar a fala alheia e não interromper, a conversa é facilitada para explorar as histórias pessoais que ajudam a compreender as posições das pessoas sobre o tema polêmico, os momentos nos quais é difícil sustentar sua opinião, e permite que os participantes possam fazer perguntas de curiosidade uns aos outros em um clima de escuta mútua garantida.

No estudo intitulado “Grupos de conversações públicas como recurso contra a violência à população LGBT”, publicado no periódico Paidéia (v. 29), é descrito como foram realizados os três encontros que contaram com a participação de 13 pessoas envolvidas com a temática da violência a LGBTs. Esses encontros foram audiogravados e os discursos analisados segundo o construcionismo social (APOSTOLO; MOSCHETA; SOUZA, 2017; RASERA; JAPUR, 2001).

Os resultados abordam a possibilidade de a participação no diálogo fomentar novas formas de agir sobre o tema, entendendo linguagem como ação. Por exemplo, no grupo o Padre Henrique pode pedir para as feministas presentes o incluam em seus eventos sobre gênero e sexualidade, uma vez que dentro da Igreja Católica ele é um representante das discussões nessa temática. Juliana mostrou sua surpresa ao saber desse interesse de Henrique:

Juliana: Essa questão de criar mais parcerias vale muito a questão do dialogismo, sabe? Vamos procurar igual o padre…, o Henrique falou, né? É uma pessoa super né, aberta. Fiquei assim de cara, porque eu achei superengraçado, porque eu tinha ido numa missa dele.

Outro resultado se relaciona a como participar do diálogo pode colaborar para as/os participantes repensarem os efeitos de suas formas de conversar sobre o tema, como falaram Larissa e Daniela:

Larissa: Eu sempre entro em conflito com algumas pessoas, não tenho muita, é… paciência, igual falou a Tereza colocou, pra superar determinados pontos de vista, ainda falta trabalhar isso; ontem, por exemplo, ontem eu ria, na hora que algumas pessoas falavam eu olhava e ria eu não deveria ter tido essa postura.

Daniela: Às vezes eu sou um pouco incisiva na forma como eu falo (…) De parecer que eu tenho todas as armas pra desempoderar o outro, e eu não acho isso bacana, quando na verdade eu não sei se esse é o caminho.

Por fim, a autora e os autores discutem sobre o desafio de acolher a diversidade de opiniões, ao mesmo tempo, não perder de vista a defesa de valores éticos que nos são caros.

A seguir, convidamos os leitores para assistir o vídeo com comentários dos autores Laura e Murilo sobre o estudo desenvolvido.

Referências

APOSTOLO, M. V. A., MOSCHETA, M. S. and SOUZA, L. V. Discursos e posicionamentos em um encontro de diálogo sobre violência a LGBTs. Psicol. USP, v. 28, n. 2, p. 266-275, 2017. ISSN: 0103-6564 [viewed 9 may 2019].  DOI: 10.1590/0103-656420150064. Available from: http://ref.scielo.org/7t6ng8

HERZIG, M. and CHASIN, L. Fostering dialogue across divides: a nuts and bolts guide from the Public Conversations Project. Watertown, MA: Public Conversations Project, 2006. Avaliable from:  http://www.intergroupresources.com/rc/Fostering%20Dialogue%20Across%20Divides.pdf

RASERA, E. F. and JAPUR, M. Contribuições do pensamento construcionista para o estudo da prática grupal. Psicol. Reflex. Crit., v. 14, n. 1, p. 201-209, 2001. ISSN: 0102-7972 [acessado 26 abril 2019].  DOI: 10.1590/S0102-79722001000100017. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79722001000100017&lng=en&nrm=iso

Para ler o artigo, acesse

SOUZA, L. V., MOSCHETA, M. S. and SCORSOLINI-COMIN, F. Public conversations group as resource against LGBT violence. Paidéia (Ribeirão Preto), v. 29, e2905, 2019. ISSN: 0103-863X [viewed 9 may 2019]. DOI: 10.1590/1982-4327e2905. Available from: http://ref.scielo.org/4vkfbn

Link externo

Paidéia (Ribeirão Preto) – PAIDEIA: www.scielo.br/paideia

Sobre Laura Vilela e Souza

Laura Vilela e Souza

Laura Vilela e Souza

Docente do Departamento de Psicologia da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (USP-RP). Doutora em Psicologia pela Universidade de São Paulo. Coordenadora do DIALOG: Laboratório de Pesquisa em Práticas Dialógicas e Colaborativas (www.uspdialog.com.br). Especialista em Mediação de Conflitos e Facilitação de Diálogos. Membro associado do Taos Institute – EUA. Tem experiência na área de Psicologia com ênfase em Processos Grupais e de Comunicação e Construcionismo Social. E-mail: laura@ffclrp.usp.br

Sobre Murilo dos Santos Moscheta

Murilo dos Santos Moscheta

Murilo dos Santos Moscheta

Professor adjunto do Departamento de Psicologia da Universidade Estadual de Maringá-PR. Líder do Grupo de Pesquisa DeVerso – Sexualidade, Saúde e Política. Possui graduação, mestrado e doutorado em Psicologia pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto, da Universidade de São Paulo. Realizou estágio doutoramento na Universidade de New Hampshire e atuou como professor convidado do East Side Institute de Nova York. E-mail: murilomoscheta@me.com

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

SOUZA, L. V., MOSCHETA, M. S. and SCORSOLINI-COMIN, F. Conversações públicas com a população LGBT [online]. SciELO em Perspectiva: Humanas, 2019 [viewed ]. Available from: http://humanas.blog.scielo.org/blog/2019/05/09/conversacoes-publicas-com-a-populacao-lgbt/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post Navigation