Como padronizar informações na admissão de idosos em Instituições de Longa Permanência?

Mirian Ueda Yamaguchi, Docente no Programa de Pós-Graduação em Promoção da Saúde, Centro Universitário de Maringá (UNICESUMAR), Instituto Cesumar de Ciência, Tecnologia e Inovação (ICETI), Maringá, PR, Brasil.

Pesquisadores do Instituto Cesumar de Ciência, Tecnologia e Inovação (ICETI) elaboraram uma ficha para ser utilizada na admissão de idosos em Instituições de Longa Permanência (ILP). A ficha, de fácil preenchimento, contempla diferentes domínios representativos da avaliação clínica do idoso institucionalizado. Todo o processo de elaboração e validação da ficha está descrito no artigo “Proposta de instrumento para admissão de idosos em Instituições de Longa Permanência: elaboração e validação” publicado na Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia (v. 22, n. 3).

A inciativa para elaborar a ficha partiu da dificuldade de alunos do Curso de Medicina do Centro Universitário de Maringá, associado ao ICETI, em coletar dados dos idosos nas ILP para o planejamento de estratégias interdisciplinares de Promoção da Saúde. Até então, não havia no país uma ficha padrão capaz de registrar informações relevantes para o cuidado integral da saúde dessa população.

A ficha é dividida entre anamnese e exame físico, recursos usualmente utilizados pelos profissionais da área da saúde. Além de tópicos referentes a identificação do idoso e do responsável legal, há sessões destinadas a compreender o motivo da institucionalização; histórico das doenças pregressas; avaliação nutricional, neurológica, auditiva, visual, digestiva e urinária; hábitos de vida; atividades básicas da vida diária; e outros itens com foco na qualidade de vida.

Apesar do padrão mínimo de funcionamento destas instituições estar estabelecido através da Resolução – RDC 283/2005, segundo De Carvalho VL (2014), muitas funcionam em condições limitadas, sem uma sistematização da assistência e com um atendimento pouco individualizado. Assim, o referido instrumento torna-se relevante para a padronização e planejamento da assistência geriátrica integral e humanizada. Ademais, espera-se que as informações obtidas mediante o uso da ficha admissional nas ILP viabilizem o desenvolvimento de estratégias direcionadas à melhoria da qualidade de vida dos idosos.

Referências

CARVALHO, V. L. de. Perfil das instituições de longa permanência para idosos situadas em uma capital do Nordeste. Cad. saúde colet. [online]. 2014, vol. 22, no. 2, pp.184-191, ISSN 1414-462X [viewed 19 March 2020]. DOI: 10.1590/1414-462X201400020012. Available from: http://ref.scielo.org/c7znxw

Para ler o artigo, acesse

CORREA, E. S. M. et al. Proposal for an instrument for the admission of the elderly to long-term care facilities: elaboration and validation. Rev. bras. geriatr. gerontol. [online]. 2019, vol. 22, no. 3, e180215, ISSN 1809-9823 [viewed 19 March 2020]. DOI: 10.1590/1981-22562019022.180215. Available from: http://ref.scielo.org/ksq2f6

Links externos

Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia – RBGG: www.scielo.br/rbgg/

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

YAMAGUCHI, M. U. Como padronizar informações na admissão de idosos em Instituições de Longa Permanência? [online]. SciELO em Perspectiva: Humanas, 2020 [viewed ]. Available from: https://humanas.blog.scielo.org/blog/2020/03/19/como-padronizar-informacoes-na-admissao-de-idosos-em-instituicoes-de-longa-permanencia/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Post Navigation