Comportamento do mercado de ações brasileiro dentro das mudanças econômicas das últimas décadas

Gilberto Perez, Editor-chefe da Revista de Administração Mackenzie – RAM, São Paulo, SP, Brasil.

Vitória Batista Santos Silva, Suporte técnico da Revista de Administração Mackenzie – RAM, São Paulo, SP, Brasil.

Imagem: Licenciado Pixabay

O mercado de ações no Brasil vem crescendo muito nas últimas décadas, e muitas vezes funciona como reflexo de acontecimentos do cenário político e econômico do país. Eventos como a crise do subprime em 2008 provocaram uma série de impactos para o crescimento do país, ainda que em um primeiro momento o Brasil tivesse adotado medidas que impulsionassem o consumo, justamente com o objetivo de atenuar os efeitos negativos da crise. Já entre 2014 e 2015, o país enfrentou uma das maiores crises fiscais da história, além de precisar lidar com os impactos da Operação Lava-Jato para as expectativas dos agentes do mercado financeiro. Quando o país ensaiava então sua retomada econômica, o vírus COVID-19 provoca uma paralisação generalizada das atividades econômicas em termos mundiais, dificultando projeções e tornando o futuro do país uma incógnita.

Nesse contexto, o que é preciso saber sobre o mercado financeiro? A Revista de Administração Mackenzie – RAM (vol. 21, no. 2) reuniu três estudos que tratam de características presentes do mercado acionário brasileiro, e os impactos de variáveis como comunalidade na liquidez, governança corporativa e eventos extremos para o comportamento das ações.

O artigo de Silva Júnior e Machado (2020), intitulado “A comunalidade na liquidez é um fator de risco precificável?” busca por identificar se a comunalidade na liquidez, que pode ser definida como o conjunto de determinantes comuns que está presente tanto na liquidez quanto em outras características das ações, pode ser precificável, com o objetivo de identificar ou não a presença desse fenômeno no mercado acionário brasileiro, sendo este um assunto ainda pouco abordado na literatura. São analisadas todas as empresas listadas na B3 no período de janeiro de 2007 a dezembro de 2015. Os resultados indicam resposta positiva para a presença da comunalidade na liquidez no caso do mercado acionário brasileiro, com valores maiores para os períodos de crises internacionais. Além disso, foi identificado que a comunalidade pode ser interpretada como um fator de risco precificável, que sofre os efeitos dos demais fatores de riscos aos quais é exposto.

No estudo de Ganz, Schlotefeldt e Rodrigues Junior (2020), “Modelos de precificação de ativos financeiros e governança corporativa”, é analisada a influência da governança corporativa sobre os modelos de precificação de ativos de 3 e 5 fatores de Fama e Frech (1993, 2015), que têm como objetivo central testar empiricamente o modelo CAPM. O tema é relevante principalmente pela literatura não apresentar muitas tentativas de verificação a respeito da influência da variável governança corporativa nos modelos de precificação anteriores. Para a verificação é utilizada uma amostra composta por 387 empresas listadas na B3, que têm seus ativos avaliados para o período entre 2012 e 2016, utilizando a técnica estatística de dados em painel. Os resultados indicam que a governança corporativa traz impactos negativos para os retornos de ações de empresas de pequeno porte, enquanto para empresas de grande porte ocorre o efeito oposto. De forma geral, o estudo corrobora a hipótese de que uma empresa que valoriza a governança corporativa em seus princípios, como a transparência e a prestação de contas, via de regra consegue melhores resultados.

Por fim, o estudo de Resende e Pedro (2020), “Eventos extremos e o mercado de petróleo: abordagem de saltos condicionais”, analisa o impacto de eventos extremos que ocorrem no mercado de petróleo, segundo a abordagem de saltos condicionais ARJI−GARCH de Chan e Maheu (2002). A importância do tema se dá pela posição de destaque da commodity no mercado internacional. Dentre os resultados, foi possível identificar que os eventos extremos exercem efeitos significativos no comportamento do preço do petróleo, o que contraria a hipótese de mercados eficientes, a qual considera que o mercado se adapta rapidamente a todas as informações disponíveis.

Referências

CHAN, W. H. and MAHEU, J. M. Conditional jump dynamics in stock market returns. Journal of Business & Economic Statistics [online]. 2002, vol. 20, no. 3, pp. 377-389. e-ISSN: 1537-2707 [viewed 8 April 2020]. DOI: 10.1198/073500102288618513. Avaliable from: https://amstat.tandfonline.com/doi/abs/10.1198/073500102288618513

FAMA, E. F. and FRENCH, K. R. Common risk factors in the returns on stocks and bonds. Journal of Financial Economics [online]. 1993, vol. 33, no. 1, pp. 3-56. ISSN: 0304-405X [viewed 8 April 2020]. DOI: 10.1016/0304-405X(93)90023-5. Avaliable from: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/0304405X93900235

FAMA, E. F. and FRENCH, K. R. International tests of a five-factor asset pricing model. Fama-Miller Working Paper; Tuck School of Business Working Paper No. 2622782, 2015. [viewed 8 April 2020]. DOI: 10.2139/ssrn.2622782. Available at SSRN: https://ssrn.com/abstract=2622782

Para ler os artigos, acesse

SILVA JUNIOR, C. P. and MACHADO, M. A. V. IS COMMONALITY IN LIQUIDITY A PRICED RISK FACTOR?. RAM, Rev. Adm. Mackenzie [online]. 2020, vol. 21, no. 2, eRAMF200158, ISSN 1678-6971 [viewed 15 April 2020]. DOI: 10.1590/1678-6971/eramf200158. Available from: http://ref.scielo.org/g57b2g

GANZ, A. C. S.; SCHLOTEFELDT, J. O. and RODRIGUES JUNIOR, M. M. CORPORATE GOVERNANCE AND CAPITAL ASSET PRICING MODELS. RAM, Rev. Adm. Mackenzie [online]. 2020, vol. 21, no. 2, eRAMF200010, ISSN 1678-6971 [viewed 15 April 2020]. DOI: 10.1590/1678-6971/eramf200010. Available from: http://ref.scielo.org/jqk35d

RESENDE, M. C. and PEDRO, E. C. EXTREME EVENTS AND THE OIL MARKET: CONDITIONAL JUMP PROCESS. RAM, Rev. Adm. Mackenzie [online]. 2020, vol. 21, no. 2, eRAMF200086, ISSN 1678-6971 [viewed 15 April 2020]. DOI: 10.1590/1678-6971/eramf200086. Available from: http://ref.scielo.org/vj4j66

Links externos

RAM. Revista de Administração Mackenzie – RAM: www.scielo.br/ram

https://www.mackenzie.br/pos-graduacao/mestrado-doutorado/sao-paulo-higienopolis/administracao-de-empresas/corpo-docente/

http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/RAM

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

PEREZ, G. and SILVA, V. B. S. Comportamento do mercado de ações brasileiro dentro das mudanças econômicas das últimas décadas [online]. SciELO em Perspectiva: Humanas, 2020 [viewed ]. Available from: https://humanas.blog.scielo.org/blog/2020/05/28/comportamento-do-mercado-de-acoes-brasileiro-dentro-das-mudancas-economicas-das-ultimas-decadas/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Post Navigation