Parcerias estratégicas de Machado de Assis no circuito editorial brasileiro

Tiago Seminatti, Assistente editorial da Machado de Assis em Linha – revista eletrônica de estudos machadianos, São Paulo, SP, Brasil.

Imagem: Colagem sobre fotos/ Biblioteca Nacional/ Tipografos.net

Raquel Bertol, da Universidade Federal Fluminense, e Bruno Guimarães Martins, da Universidade Federal de Minas Gerais, investigam, em estudo “Entre o crítico e o tipógrafo: Machado de Assis e a invenção de espaços editoriais, em dois tempos” publicado no periódico Machado de Assis em Linha (vol. 13, no. 29), como Machado atuou no circuito editorial brasileiro em dois momentos distintos: quando jovem, período no qual teria trabalhado em oficina tipográfica, experiência que contribuiria “para a construção de seu estilo de escrita literária”; e na fase final de sua carreira, em que a relação com o crítico José Veríssimo foi decisiva, pois Machado encontrou nele um aliado e “parceiro importante para a concretização de projetos” (p. 48). Nesse sentido, a análise e articulação desses dois momentos é reveladora do percurso ascendente de Machado de Assis no campo das Letras, pois alcançou em vida a aclamação de sua obra, tornando-se fundador e presidente da Academia Brasileira de Letras.

A partir de diálogo com Schapochnik (2008), o estudo considera que a atuação de Machado nas oficinas de Paula Brito e na Tipografia Nacional, na segunda metade da década de 1850, contribuiu para que o então jovem escritor dominasse as etapas que transformam um manuscrito em um impresso, algo que geraria desdobramentos em sua expressão literária. Além disso, Bertol e Martins sublinham que na segunda metade do século XIX popularizaram-se na imprensa jogos literários que operavam como espécie de quebra-cabeças tipográficos. Conforme observam, Machado trabalhou nas oficinas de Paula Brito no período em que se publicava a Marmota Fluminense, periódico que apresentava uma série desses jogos. Assim, a proximidade de Machado com tal universo teria funcionado como mola propulsora para a “imaginação tipográfica” do autor (p. 53).

Já no outro momento em que analisam a atuação de Machado de Assis no circuito editorial brasileiro, aquele da fase final de sua carreira, os pesquisadores destacam a importância da relação do autor com o crítico José Veríssimo. Ela começa com a crítica elaborada por Veríssimo, publicada em 1892 no Jornal do Brasil, acerca de Quincas Borba (1891), que inaugura uma parceria fundamental para o debate literário brasileiro, mas que também ultrapassa as páginas escritas. Machado e Veríssimo conviveram com outros nomes importantes das letras nacionais na redação da Revista Brasileira, algo que seria decisivo no processo de criação da Academia Brasileira de Letras (ABL).

O artigo estabelece um diálogo produtivo com importantes estudos machadianos, como os de Magalhães Júnior (1955), João Cesar de Castro Rocha e Pedro Meira Monteiro (2014), evidenciando como Machado soube atuar, desde jovem, nos espaços editoriais, fazendo com que estes, por seu turno, ganhassem maior importância na vida social brasileira.

Referências

MAGALHÃES JÚNIOR, R. Machado de Assis desconhecido. São Paulo: Civilização Brasileira, 1955.

MONTEIRO, P. M. O personagem em ação. Prefácio. In: PASSOS, J.L. Romance com pessoas: a imaginação em Machado de Assis. Rio de Janeiro: Objetiva, 2014.

ROCHA, J. C. de C. Machado de Assis: por uma poética da emulação. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2013.

SCHAPOCHNIK, N. Malditos tipógrafos. In: RAMOS, A.F.; PATRIOTA, R.; PESAVENTO, S.J. (orgs.). Imagens da história. São Paulo: Hucitec, 2008.

Para ler o artigo, acesse

BERTOL, R. and MARTINS, B. G. Entre o crítico e o tipógrafo: machado de assis e a invenção de espaços editoriais, em dois tempos. Machado Assis Linha [online]. 2020, vol. 13, no. 29, pp. 47-61, ISSN: 1983-6821 [viewed 29 June 2020]. DOI: 10.1590/1983-6821202013294. Available from: http://ref.scielo.org/mwfwgy

Links externos

Machado de Assis em Linha – MAEL: www.scielo.br/mael

www.facebook.com/machadodeassisemlinha/

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

SEMINATTI, T. Parcerias estratégicas de Machado de Assis no circuito editorial brasileiro [online]. SciELO em Perspectiva: Humanas, 2020 [viewed ]. Available from: https://humanas.blog.scielo.org/blog/2020/08/05/parcerias-estrategicas-de-machado-de-assis-no-circuito-editorial-brasileiro/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Post Navigation