Perspectivas de carreira de jovens do ensino médio de escolas públicas

Luciano Mendes, Professor associado na Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” da Universidade de São Paulo (ESALQ/USP), Piracicaba, SP, Brasil.

Heliani Berlato, Professora associada na Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” da Universidade de São Paulo (ESALQ/USP), Piracicaba, SP, Brasil.

Imagem: picjumbo_com, pixabay.

O artigo intitulado “Perspectivas de carreiras de jovens do ensino médio de escolas públicas: transgressão ou reprodução das condições sociais?”, publicado nos Cadernos EBAPE.BR (vol. 18, no. 4), teve como objetivo compreender as perspectivas de carreiras de jovens do ensino médio de escolas públicas num município no interior de São Paulo. A intenção maior era verificar se esses jovens possuíam ou não perspectivas de crescimento profissional a partir da continuidade dos estudos. O estudo foi realizado em 15 escolas públicas e teve 3.287 questionários válidos respondidos. Deste número de respondentes, 54% eram de meninas e 46% eram de meninos. Das escolas pesquisadas, houve a coleta de informações de alunos estudantes em período integral (4 escolas), período noturno (4 escolas) e período matutino (11 escolas), totalizando 82 salas de aula visitadas. A pesquisa foi realizada pelos autores do artigo, que são a profa. Dra. Heliani Berlato, o prof. Dr. Luciano Mendes e o aluno de mestrado Danilo Andretta.

Após as análises sobre os resultados da pesquisa, foram encontrados seis grupos de respondentes. O primeiro foi o grupo dos inseguros (35,2% do total de respondentes), pois são jovens que, apesar da importância sobre a escolha na profissão, eles precisam de dinheiro para o sustento da família. O segundo grupo foi dos estagnados (19,2%), pois eles não observam o ensino como forma de progressão numa possível carreira. O terceiro grupo foi dos decididos (13,4%), pois esses podem até continuar estudando, desde que consigam continuar trabalhando. O quarto foi o grupo dos orientados (12,3%), pois eles possuem pais com ensino superior e veem possibilidade de continuar os estudos. O quinto grupo foi dos indecisos (10,1%), pois esses não sabem o que farão após o término do ensino médio. E, por fim, o sexto grupo foi dos pessimistas (9,8%), pois esses observam que o ensino público pode prejudicar o alcance do ensino superior.

Os resultados evidenciam que o sistema educacional é reprodutor dos elementos das classes dominantes, mas também evidencia algumas distinções, pois as diferenças entre as classes sociais ficam evidentes, mostrando que os indivíduos das classes baixas apresentam perspectivas de comportamentos inseguros e estagnados em relação ao que fazer após sair do ensino médio. Aqueles jovens em que a família possui um nível maior de renda representam jovens com perspectivas comportamentais de decisão e indecisão em relação à escolha profissional.

Sendo o sistema educacional um elemento importante, no âmbito das teorias sobre carreira, no processo de desenvolvimento de carreiras, então compreender tal sistema como reprodutor de classes insere limitações evidentes em quem pode ou não ter uma carreira. São essas possíveis limitações que precisam ser debatidas no âmbito dos estudos sobre carreira, deixando evidentes “carreiras para quem” e “quem pode ter carreira”. Esse tipo de reflexão ajudará a pensar o sistema educacional e suas contribuições para a carreira dos indivíduos e também formas de neutralização das classes sociais nas possibilidades e continuidade dos estudos. Como estudos futuros, pode-se ampliar a amostra para outros municípios e outras regiões do Brasil, assim como estabelecer um comparativo do ensino médio em escolas públicas e escolas privadas.

Referências

BOURDIEU, P. et al. A reprodução: elementos para uma teoria do sistema de ensino. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1975.

VARGAS, M. L. F. Estudos sobre o funcionamento do sistema de ensino: da reprodução das desigualdades sociais ao efeito escola. Cadernos de Educação [online]. 2009, no. 32, p. 105-122. ISSN: 2178-079X [viewed 7 January 2021]. HTTPS://DOI.ORG/10.15210/CADUC.V0I32.1682. Available from: https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/caduc/article/view/1682

Para ler o artigo, acesse

BERLATO, H. et al. Perspectivas de carreira de jovens do ensino médio de escolas públicas: transgressão ou reprodução das condições sociais? Cad. EBAPE.BR [online]. 2020, vol. 18, no. 4, pp. 865-876. ISSN: 1679-3951 [viewed 7 January 2021]. https://doi.org/10.1590/1679-395120200102. Available from: http://ref.scielo.org/z8wyqy

Links Externos:

Cadernos EBAPE.BR – CEBAPE: www.scielo.br/cebape

Economia, Administração e Sociologia – Docentes: http://www.economia.esalq.usp.br/equipe/docentes

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

MENDES, L. and BERLATO, H. Perspectivas de carreira de jovens do ensino médio de escolas públicas [online]. SciELO em Perspectiva: Humanas, 2021 [viewed ]. Available from: https://humanas.blog.scielo.org/blog/2021/02/04/perspectivas-de-carreira-de-jovens-do-ensino-medio-de-escolas-publicas/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Post Navigation