(Re)Construindo revoluções: disputas pelas memórias de 1989 na Europa Central contemporânea

Nathálya Aparecida Ferreira, estagiária da revista Varia Historia, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG, Brasil.

As comemorações dos 30 anos das revoluções de 1989 funcionaram como ocasiões para a reescrita da História. É essa a conclusão de Janaína Martins Cordeiro, professora adjunta de História Contemporânea na Universidade Federal Fluminense (UFF), no artigo De volta à Europa: Rememorar as revoluções de 1989 trinta anos depois, Praga e Budapeste, publicado na mais recente edição (v. 38, n. 76) da revista Varia Historia.

Resultado de um estágio de pós-doutoramento desenvolvido na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), a pesquisa visa a apresentar as diferentes narrativas produzidas (ou resgatadas) na Europa em meio ao trigésimo aniversário das revoluções de 1989. Para a isso, a autora promove um estudo comparado de duas exposições em cartaz durante o ano de 2019: 1989 – Pád železné opony (1989 – A queda da Cortina de Ferro), apresentada em Praga, na República Tcheca, e ‘89 ‘90 – 30 Éve Szabadon (‘89 ‘90 – 30 anos de liberdade), realizada em Budapeste, na Hungria.

Cordeiro aponta que as mostras, apesar da temática compartilhada, destacam-se mais pelas suas diferenças que por suas semelhanças. Enquanto a exposição tcheca apresentou um caráter transnacional, exibindo fotografias produzidas nos diferentes países da antiga União Soviética, sua equivalente húngara privilegiou o uso de pôsteres e de discursos pautados na criação de uma identidade nacional húngara. As escolhas de conteúdos a expor, aliadas aos locais de instalação, aos meios de financiamento e às equipes de curadoria, resultaram em apresentações distintas dos eventos ao público. Tais construções narrativas foram, assim, impactadas por questões identitárias e políticas próprias de cada país.

Pôster da exposição ‘89 ‘90 – 30 Éve Szabadon (‘89 ‘90 – 30 anos de liberdade), Budapeste. Fundo vermelho com colagens de trechos de textos e imagens.

Imagem: Acervo pessoal de Janaína Cordeiro.

Figura 1. Pôster da exposição ‘89 ‘90 – 30 Éve Szabadon (‘89 ‘90 – 30 anos de liberdade), Budapeste

Sob essa perspectiva, a autora esclarece como e por que a exposição organizada em Praga procurou enfatizar as diferentes versões sobre as revoluções, indo do “desencanto com as instituições à nostalgia das mobilizações sociais de 1989 e à permanência da crença da democracia como destino” manifesto da República Tcheca (p. 275). A historiadora faz o mesmo movimento para compreender a visão una e maniqueísta, deliberadamente voltada ao silenciamento de vozes dissonantes, apresentada durante a exibição de pôsteres em Budapeste.

Como argumentou Helenice Rodrigues da Silva, “a comemoração das datas nacionais demonstra que os acontecimentos tidos por inaugurais exercem ainda uma função eminentemente simbólica” (2002, p. 456). Nesse sentido, a pesquisa de Cordeiro se mostra importante não só por sua análise do passado, como também pelas ligações que estabelece com o presente. Se considerarmos as revoluções de 1989 sob a ótica de Timothy Carton Ash (2009), isso é, como um evento internacional, compreenderemos que autora direciona sua pesquisa para além de estudos de caso restritos às atuais Hungria e República Tcheca. Em um momento de enfraquecimento das instituições políticas, fortalecimento das extremas direitas e ascensão do belicismo justamente na porção leste da Europa, a pesquisa de Cordeiro pode contribuir para o debate sobre os usos e manipulações da História por parte de grupos antidemocráticos.

Leia mais

ASH, T.G. 1989! The New York Review of Books. 2009 [viewed 25 May 2022]. Available from: https://www.nybooks.com/articles/2009/11/05/1989/

SILVA, H.R. “Rememoração”/Comemoração: as utilizações sociais da memória. Revista Brasileira de História [online]. 2022, vol. 22, no. 44, pp. 425-438 [viewed 25 May 2022]. https://doi.org/10.1590/S0102-01882002000200008. Available from: https://www.scielo.br/j/rbh/a/kyjmJTTrkQy9w9RD6DdTBfw/

Para ler o artigo, acesse

CORDEIRO, J.M. De volta à Europa: Rememorar as revoluções de 1989 trinta anos depois, Praga e Budapeste. Varia Historia [online]. 2022, vol. 38, no. 76, pp. 261-297 [viewed 25 May 2022]. https://doi.org/10.1590/0104-87752022000100009. Available from: https://www.scielo.br/j/vh/a/GzJ8bfSwThDKDwwPTYxfcRy/

Link(s)

Janaína Martins Cordeiro: http://pesquisadores.uff.br/researcher/jana%C3%ADna-martins-cordeiro

Varia Historia: http://www.variahistoria.org/

Nathálya Aparecida Ferreira – Facebook: https://www.facebook.com/nathalya.ferreira.779857/

Universidade Federal de Minas Gerais: https://www.facebook.com/ufmgbr/

Redes Sociais – Varia Historia: Facebook | Twitter | Instagram

Varia Historia – VH: https://www.scielo.br/j/vh/

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

FERREIRA, N.A. (Re)Construindo revoluções: disputas pelas memórias de 1989 na Europa Central contemporânea [online]. SciELO em Perspectiva: Humanas, 2022 [viewed ]. Available from: https://humanas.blog.scielo.org/blog/2022/05/26/reconstruindo-revolucoes-disputas-pelas-memorias-de-1989-na-europa-central-contemporanea/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Post Navigation