O conceito de reprodução interpretativa e as pesquisas na Educação: aspectos e implicações teóricas

Nislândia Evangelista, Psicóloga, Professora no Centro Educacional Leonardo Da Vinci, Blumenau, SC, Brasil. 

Rita de Cássia Marchi, Socióloga, Professora na Fundação Universidade Regional de Blumenau (FURB), Florianópolis, SC, Brasil.

Logo do periódico Educação e PesquisaFruto de pesquisa teórica sobre dois conceitos centrais na Sociologia da Infância (SI) – reprodução interpretativa e culturas infantis –, o artigo Sociologia da Infância e reprodução interpretativa: um modelo redondo do desenvolvimento infantil apresenta o conceito de “reprodução interpretativa”. A dissertação de Mestrado em Educação, defendida em 2019 no PPGE da Universidade Regional de Blumenau (FURB) e escrita por Nislândia Evangelista sob a orientação de Rita de C. Marchi, mostrou-se relevante devido ao crescimento e à visibilidade que a SI tem tido no Brasil, sobretudo na área da Educação. Além disso, os conceitos apresentam uma nova forma e nova ética para se pensar as infâncias e se relacionar com as crianças nas pesquisas.

Reprodução Interpretativa (RI) é uma releitura do conceito clássico de socialização no sentido que coloca novos e mais complexos elementos para a compreensão do desenvolvimento infantil. O ponto central é considerar tal desenvolvimento a partir de uma perspectiva não somente psicológica (individual, linear, natural e universal) mas também social, com ênfase nas ações coletivas e nas interpretações das crianças (MARCHI, 2009). O conceito, aliado ao modelo “redondo” do desenvolvimento infantil (uma ”teia global”), propostos por Corsaro (2011), como novos paradigmas, são apresentados em sua trajetória e no contraponto das críticas que estabelecem ao conceito tradicional de socialização.

Modelo de “teia global”

Imagem: Corsaro (2011, p. 38).

É explorado, portanto, tanto o cenário em que surge o conceito de RI e sobre quais teorias e autores ele se sustenta – ou dos quais se afasta – ao passo que também se analisa de maneira crítica sua utilização em pesquisas com crianças, sendo esta a contribuição do artigo para as pesquisas na área da Educação.

O cenário que indica o crescente uso do conceito de RI nas pesquisas em instituições escolares e o uso não reflexivo deste conceito delineiam a relevância da sua discussão. Tal uso diz respeito ao fato dos pesquisadores tenderem a tratar de modo apenas superficial a ação das crianças, essa sendo vista como uma característica essencial, quase não mediada, e que não requer muitas explicações. É como se pesquisadores não conseguissem ou não se preocupassem em demonstrar (através dos dados de campo) onde e como a ação das crianças se manifesta no contexto social observado. Para melhor compreensão e aplicação do conceito de RI, portanto, além da necessidade de revisitar e compreender suas bases teóricas e epistemológicas (como feito neste artigo), é preciso ampliar as análises realizadas pelos pesquisadores sobre a ação das crianças na sociedade de forma que as linhas do debate sobre essas ações sejam distendidas e, inclusive, extrapolem os muros escolares.

Para ler o artigo, acesse

EVANGELISTA, N.S. Sociologia da infância: os conceitos de “reprodução interpretativa” e “culturas infantis” nas pesquisas em educação entre os anos 2013 e 2017. Educação e Pesquisa [online]. 2022, vol. 48,  e241891 [viewed 19 August 2022]. https://doi.org/10.1590/S1678-4634202248241891por. Available from: https://www.scielo.br/j/ep/a/nPN58zMrJBkkMZYLP8jWDJx/

Referências

CORSARO, W.A. Sociologia da infância. Porto Alegre: Artmed, 2011.

MARCHI, R.C. As teorias da socialização e o novo paradigma para os estudos sociais da infância. Educação & Realidade [online]. 2009, vol. 34, no. 1, pp. 227-246, 2009 [viewed 19 August 2022]. Available from: https://www.seer.ufrgs.br/index.php/educacaoerealidade/article/view/8467

Links externos

Educação e Pesquisa – EP: https://www.scielo.br/j/ep/

Educação e Pesquisa – Revista da Faculdade de Educação da USP: http://www.educacaoepesquisa.fe.usp.br/

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

EVANGELISTA, N.S. and MARCHI R.C. O conceito de reprodução interpretativa e as pesquisas na Educação: aspectos e implicações teóricas [online]. SciELO em Perspectiva: Humanas, 2022 [viewed ]. Available from: https://humanas.blog.scielo.org/blog/2022/08/19/o-conceito-de-reproducao-interpretativa-e-as-pesquisas-na-educacao-aspectos-e-implicacoes-teoricas/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Post Navigation