A espiritualidade é importante para pacientes com câncer em cuidados paliativos?

Andréa Carolina Benites, Programa de Pós-Graduação em Psicologia do Desenvolvimento e Aprendizagem da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Bauru, SP, Brasil

Carmen Maria Bueno Neme, Programa de Pós-Graduação em Psicologia do Desenvolvimento e Aprendizagem da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Bauru, SP, Brasil

Manoel Antônio dos Santos, Departamento de Psicologia da Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, SP, Brasil

Pesquisadores de duas universidades paulistas publicaram no Estudos de Psicologia (Campinas), volume 34, número 2 de 2017, o estudo “Significados da espiritualidade para pacientes com câncer em cuidados paliativos” no qual confirmam a dimensão humana da espiritualidade como recurso fundamental na vivência do processo de morrer. Nos depoimentos dos participantes da pesquisa, evidenciou-se que a espiritualidade significa manutenção da esperança, confiança e força de luta, gerando sentimentos de apoio e alento, e, principalmente, trazendo reflexões sobre o sentido da vida e sua ressignificação diante da possibilidade de morte.

A pesquisa qualitativa foi realizada numa unidade de cuidados paliativos de um hospital para tratamento de câncer. Foram entrevistados dez pacientes, sendo cinco homens e cinco mulheres, com idades entre 44 e 71 anos. Todos declararam ter alguma crença religiosa, sendo seis Católicos (um deles não praticante), três Evangélicos e um Espírita Kardecista (não praticante). Todos foram diagnosticados quando a doença oncológica já estava avançada e estavam exclusivamente em cuidados paliativos, tendo sido informados pelos médicos a respeito da impossibilidade de cura e sua condição de tratamento.

A análise fenomenológica das entrevistas revelou duas categorias temáticas: “A fé como esperança de cura, apoio e confiança e a busca de sentido/ressignificação da vida” e “A busca de sentido na morte e nas crenças sobre o pós-morte e a vivência da transcendência”. O agravamento da doença e a expectativa de morte iminente levaram a reavaliações de valores e à busca de apoio na dimensão espiritual (ASGEIRSDOTTIR et al., 2013), com maior ou menor intensidade, dependendo do tempo em que cada um se encontrava exclusivamente em cuidados paliativos. Os pacientes que receberam o diagnóstico e as informações sobre sua condição há menos tempo, reforçaram sua fé e buscaram a espiritualidade como apoio e esperança de cura. Os que se encontravam a mais tempo em cuidados paliativos se apoiavam na espiritualidade para vivenciar este momento sem desespero, porém, vislumbrando com maior aceitação os seus limites e a aceitação de sua finitude. A fé e as crenças pessoais ajudaram a lidar com o medo da morte e a se prepararem para ela, desejando uma morte digna e sem sofrimento, segundo os participantes (DOBRATZ, 2012).

O estudo conclui pela relevância da dimensão espiritual do ser humano no processo de morrer e ressalta a necessidade de estudos com populações com diferentes diagnósticos e fases dos tratamentos, incluindo também estudos sobre os significados da espiritualidade com os familiares e profissionais de saúde. Os pesquisadores chamam a atenção para a necessidade de uma formação das equipes de saúde que vá além dos aspectos técnicos tradicionais, capacitando-os para a atenção integral às necessidades das pessoas que se encontram fora de possibilidade terapêuticas de cura.

A pesquisa foi realizada com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Processo nº 2012/13092-8).

Referência

ASGEIRSDOTTIR, G. H. et al. “To cherish each day as it comes”: A qualitative study of spirituality among persons receiving palliative care. Supportive Care in Cancer, v. 21, n. 5, p. 1445-1451, 2013. https://doi.org/10.1007/s00520-012-1690-6.

DOBRATZ, M. All my saints are within me: Expressions of end-of-life spirituality. Palliative and Supportive Care, v. 11, n. 3, p. 191-198, 2012. https://doi.org/10.1017/S1478951512000235.

Para ler o artigo, acesse

BENITES, A. C., NEME, C. M. B. and SANTOS, M. A. Significados da espiritualidade para pacientes com câncer em cuidados paliativos. Estud. psicol. (Campinas) [online]. 2017, vol.34, n.2, pp.269-279. [viewed 9 August 2017]. ISSN 1982-0275. DOI: 10.1590/1982-02752017000200008. Available from: http://ref.scielo.org/pnhrrt

Link externo

Estudos de Psicologia (Campinas) – ESTPSI: www.scielo.br/estpsi

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

BENITES, A. C., NEME, C. M. B. and SANTOS, M. A. A espiritualidade é importante para pacientes com câncer em cuidados paliativos? [online]. SciELO em Perspectiva: Humanas, 2017 [viewed ]. Available from: http://humanas.blog.scielo.org/blog/2017/08/17/a-espiritualidade-e-importante-para-pacientes-com-cancer-em-cuidados-paliativos/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post Navigation