Como distinguir valores organizacionais do setor público?

Pedro Miguel Alves Ribeiro Correia, Doutor em administração pública e professor auxiliar da Universidade de Lisboa, Centro de Administração e Políticas Públicas (CAPP)/Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas/Universidade de Lisboa, Portugal

João Abreu de Faria Bilhim, Doutor em sociologia e professor catedrático jubilado da Universidade de Lisboa, Centro de Administração e Políticas Públicas (CAPP)/Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas/Universidade de Lisboa, Portugal

Os investigadores Pedro Correia e João Bilhim, do Centro de Administração e Políticas Públicas do ISCSP, Universidade de Lisboa, Portugal, são os autores de um novo estudo, publicado no final de 2017, sobre diferenças nas percepções dos valores organizacionais dos gestores públicos em Portugal. O estudo apresenta quatro principais contributos:

(1) tal como avançado por Bilhim e Correia (2016), a escala de valores organizacionais introduzida por Wal; Graaf; Lasthuizen (2008) pode ser adequadamente transposta para a realidade portuguesa;

(2) os valores organizacionais podem ser agregados em quatro dimensões unidimensionais estatisticamente robustas;

(3) existe uma diferença estatisticamente significativa nas perceções dos valores organizacionais associados ao setor público face a todos os demais valores organizacionais considerados, em particular, face aos valores organizacionais associados ao setor privado (apesar de, como um todo, as avaliações atribuídas serem extremamente elevadas);

(4) a metodologia empregada por Bilhim e Correia (2016) para o estudo das percepções sobre os valores organizacionais dos candidatos a cargos de direção superior do estado é generalizável para aplicação aos gestores públicos.

O artigo “Diferenças nas percepções dos valores organizacionais dos gestores públicos em Portugal”, publicado na Revista de Administração Pública (v. 51, n. 6), cinge-se aos valores públicos e reporta a análise estatística das percepções sobre valores organizacionais de gestores públicos portugueses. Contrariando a noção corrente acerca dos efeitos da reforma da administração pública. Resultados acarretam como implicação a necessidade de rever o debate sobre a extensão em que o paradigma europeu continental é tido como subjugado ao paradigma da common law.

A pesquisa contou com um instrumento de coleta de dados que incluiu 35 perguntas: quatro questões de caracterização do contexto dos inquiridos, 11 perguntas de caracterização pessoal dos mesmos e 20 perguntas de escala com foco nos valores organizacionais dos gestores públicos. A amostra foi constituída por gestores públicos que foram alvo de parecer obrigatório, mas não vinculativo, da Comissão de Recrutamento e Seleção para a Administração Pública (CReSAP). Foram obtidas 279 respostas válidas, correspondendo a uma taxa de resposta de 45,4% para uma dimensão populacional de 614 gestores públicos.

O estudo é particularmente relevante na medida em que contraria a narrativa sobre os efeitos de “empresarialização” do Estado por via das reformas da administração pública.

Por outras palavras e apesar de os valores associados ao setor privado estarem em “alta” no setor público, este setor continua a estar associado a valores muito específicos que não se confundem com os demais.

Referências

BILHIM, J. A. F. and CORREIA, P. M. A. R. Diferenças nas percepções dos valores organizacionais dos candidatos a cargos de direção superior na administração central do Estado. Sociologia, n. 31, p. 81-105, 2016. ISSN: 0872-3419 [viewed 16 March 2018]. Available from: http://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/14276.pdf

WAL, Z., GRAAF, G. and LASTHUIZEN, K. What’s valued most? Similarities and differences between the organizational values of the public and private sector. Public Administration, v. 86, n. 2, p. 465-482, 2008. ISSN: 1467-9299 [viewed 19 January 2018]. DOI: 10.1111/j.1467-9299.2008.00719.x. Available from: http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/j.1467-9299.2008.00719.x/abstract;jsessionid=49CAABDA90069A8DEBF43032D31A230E.f02t02

Para ler o artigo, acesse

CORREIA, P. M. A. R. and BILHIM, J. A. F. Diferenças nas percepções dos valores organizacionais dos gestores públicos em Portugal. Rev. Adm. Pública, v. 51, n. 6, p. 987-1004, 2017. ISSN: 0034-7612 [viewed 16 March 2018]. DOI: 10.1590/0034-7612168818. Available from: http://ref.scielo.org/cyr9ry

Link externo

Revista de Administração Pública – RAP: www.scielo.br/rap

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

Como distinguir valores organizacionais do setor público? [online]. SciELO em Perspectiva: Humanas, 2018 [viewed ]. Available from: http://humanas.blog.scielo.org/blog/2018/03/22/como-distinguir-valores-organizacionais-do-setor-publico/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post Navigation