Vamos discutir literatura e ditadura? Esse é o tema da chamada de artigos da Estudos em Literatura Brasileira Contemporânea

Laeticia Jensen Eble, Doutora em literatura e editora-executiva da Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea, Palmas, TO, Brasil

No Brasil até o momento faltou-se ao encontro marcado com os mortos pela ditadura civil-militar e com seus sonhos.
Márcio Seligmann-Silva (2014)

 

Publicado pelo Grupo de Estudos em Literatura Brasileira Contemporânea (GELBC) da Universidade de Brasília, o periódico Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea tem o compromisso de fomentar o debate crítico sobre a literatura contemporânea produzida no Brasil, em suas diferentes manifestações, a partir dos mais diversos enfoques teóricos e metodológicos, com abertura para o diálogo com outras literaturas e outras expressões artísticas.

Em seu número 60, o periódico propõe uma discussão em torno das relações entre Literatura e Ditadura. De acordo com Tânia Pellegrini, a ditadura engendrou modificações relevantes na ficção brasileira contemporânea, permanecendo como “uma espécie de parâmetro inescapável para a compreensão de tudo o que veio depois” (PELLEGRINI, 2014, p. 151).

Seção temática: Literatura e Ditadura

A crítica e a criação literárias têm refletido sobre a violência das relações autoritárias como uma das marcas consubstanciais da sociedade brasileira. A representação da ditadura militar e do seu legado autoritário originou textos escritos no calor da hora, relatos testemunhais e memorialísticos de vítimas da repressão ou, mais recentemente, romances de autores mais jovens, nascidos em torno de 1964, que refletem e transfiguram essa experiência, como observa Eurídice Figueiredo (2017) no mapeamento que realiza dessa produção, intitulado “A literatura como arquivo da ditadura brasileira”.

Para esse dossiê, proposto por Rita Olivieri-Godet (Université Rennes 2/Institut Universitaire de France) e Mireille Garcia (Université Rennes 2) serão aceitos artigos que coloquem em perspectiva narrativas recentes consagradas à memória traumática da ditadura militar, examinando os procedimentos estéticos que desvelam, entre outras questões: a persistência das marcas do autoritarismo nas relações sociais e políticas, a representação brutal da violência, a hipertrofia do poder policial, a dimensão íntima e subjetiva da história, a experiência do exílio, as tensões entre memória, esquecimento e ocultamento do trauma. Dar-se-á destaque às estratégias literárias para intervir na rede dos discursos sociais, no contexto atual da sociedade brasileira marcado pelo eco da ideologia totalitária que considera os seres humanos como instrumentos para realização de um projeto político, como lembra Todorov em “Face à l’extrême” (1994).

Data de envio: até 30 de julho de 2019.

Publicação: Número 60 (maio/ago. 2020).

O periódico conta também com uma seção de tema livre, onde são publicados artigos de diversas abordagens sobre a literatura brasileira contemporânea. Há ainda espaço para resenhas de obras de ficção, poesia, crítica literária e teoria literária publicadas nos últimos 24 meses.

As colaborações para a seção de tema livre são recebidas em fluxo contínuo.

As normas para publicação estão disponíveis em: https://goo.gl/lpWufc

As colaborações serão recebidas pelo sistema do periódico. Para enviar seu texto, acesse a área de Submissões: https://goo.gl/kPHVuh

Para outras informações, entre em contato conosco por e-mail: revistaestudos@gmail.com

Referências

FIGUEIREDO, E. A literatura como arquivo da ditadura brasileira. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2017.

PELLEGRINI, T. Relíquias da casa velha: literatura e ditadura militar, 50 anos depois. Estud. Lit. Bras. Contemp., n. 43, p. 151-178, 2014. ISSN: 2316-4018 [viewed 2 June 2019]. DOI: 10.1590/S2316-40182014000100009. Available from: http://ref.scielo.org/2fh9w5

SELIGMANN-SILVA, M. Imagens precárias: inscrições tênues de violência ditatorial no Brasil. Estud. Lit. Bras. Contemp., n. 43, p. 13-34, 2014. ISSN: 2316-4018 [viewed 2 June 2019].  DOI: 10.1590/S2316-40182014000100002. Available from: http://ref.scielo.org/f9vgvy

TODOROV, T. Face à l’extrême. Paris: Points, 1994.

Links externos

Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea – ELBC: www.scielo.br/elbc

Grupo de Estudos em Literatura Brasileira Contemporânea – www.gelbc.com 

ELBC nas redes sociais: Facebook

Para enviar seu artigo: http://submission.scielo.br/index.php/elbc/user

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

EBLE, L. J. Vamos discutir literatura e ditadura? Esse é o tema da chamada de artigos da Estudos em Literatura Brasileira Contemporânea [online]. SciELO em Perspectiva: Humanas, 2019 [viewed ]. Available from: https://humanas.blog.scielo.org/blog/2019/06/27/vamos-discutir-literatura-e-ditadura-esse-e-o-tema-da-chamada-de-artigos-da-estudos-em-literatura-brasileira-contemporanea/

 

2 Thoughts on “Vamos discutir literatura e ditadura? Esse é o tema da chamada de artigos da Estudos em Literatura Brasileira Contemporânea

  1. ana maria lopes on July 1, 2019 at 10:53 said:

    Prezados,
    Há dois dias tento enviar a resenha do livro Outono, de Lucília Garcez. O livro é ambientado nos tempos de chumbo e a ditadura militar, com todas as suas consequências, é o pano de fundo para a história de uma personagem cujo marido desapareceu na prisão. Faz uma contundente retrospectiva daquele tempo, dando voz a uma mulher de meia idade. Não consigo enviar porque o site não está operante. Vocês podem me mandar uma mensagem explicando o por quê? Grata.
    Ana Maria Lopes

    • Henrique Rodrigues on July 2, 2019 at 17:40 said:

      Prezada Ana Maria, qual o site que você está tentando submeter sua resenha?

      Obrigado.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post Navigation