Como os E.U.A. veem a crise ética nas organizações financeiras?

Guilherme Viana, Assistente editorial, Universidade de São Paulo, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Departamento de Contabilidade e Atuária, São Paulo, SP, Brasil

Sally Kathryn Widener, professora e pesquisadora da Clemson University, nos Estados Unidos da América, refletiu sobre a crise ética enfrentada pelas organizações financeiras nos dias de hoje. O artigo “Reagrupamento dos pesquisadores para examinar a interação entre controle gerencial e ética” compôs o editorial de número 80 da Revista Contabilidade & Finanças. A autora nota um aumento de comportamento antiético nas organizações, o que afeta a economia, e chama atenção para a necessidade de produção de pesquisas que examinem a interação entre práticas de controle gerencial e comportamentos éticos.

Widener analisa duas pesquisas sobre controle gerencial, tendo sido coautora em ambas, para exemplificar como o tema pode ser explorado. As pesquisas são recentes, publicadas entre 2017 e 2018, e analisam o uso de controles gerenciais na manutenção e no desenvolvimento de um ambiente com maior ética e menos riscos de comportamentos oportunistas.

A primeira pesquisa, feita por Burney, Radtke e Widener (2017), explora se há sempre benefício no uso do controle voltado à capacitação. Para tanto, houve definição de comportamento de trabalho contraproducente, que seriam ações dos funcionários contrárias aos objetivos da empresa. A conclusão do estudo foi de que o uso de controle com fins de capacitação está significativamente associado à diminuição das práticas de trabalho contraproducente, o que Sally Widener afirma ser uma lição de que o modo como as organizações usam os controles tem influência em comportamentos éticos.

A segunda pesquisa, de autoria de Bellora-Bienengräber, Radtke e Widener (2018), analisa o conteúdo desses controles gerenciais com o objetivo de saber como eles afetam os comportamentos éticos. No caso trazido pela autora, a imposição de um sistema de controle com conteúdo ético influencia os gestores a seguirem um comportamento ético; além disso, influencia, ainda, no estabelecimento de uma atmosfera ética, o que reforça as práticas éticas.

A reflexão acerca de pesquisas sobre controles gerenciais ocorre, segundo a autora, pautada em um contexto em que parece estar “se tornando tolerável ser intolerante, ser crítico, agir com malícia diante dos outros, postar tweets inadequados e adotar um mau comportamento generalizado”, o que diz muito a respeito da ética na esfera pessoal e profissional.

Referências

BELLORA-BIENENGRÄBER, L., RADTKE, R. R. and WIDENER, S. K. The ethical content of the control system and the importance of peer managers being good apples (Working Paper), 2018. Avaliable from:  https://ssrn.com/abstract=3232706

BURNEY, L. L., RADTKE, R. R. and WIDENER, S. K. The intersection of “bad apples,” “bad barrels,” and the enabling use of performance measurement systems. Journal of Information Systems, v. 31, n. 2, p. 25-48, 2017. e-ISSN: 1558-7959 [reviewed 22 May 2019]. DOI: 10.2308/isys-51624. Avaliable from: https://aaajournals.org/doi/10.2308/isys-51624

Para ler o artigo, acesse

WIDENER, S. K. Reagrupamento dos pesquisadores para examinar a interação entre controle gerencial e ética. Rev. contab. finanç., v. 30, n. 80, p. 167-171, 2019. ISSN: 1519-7077 [viewed 3 July 2019]. DOI: 10.1590/1808-057×201990300. Available from: http://ref.scielo.org/qgyjb6

Link externo

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

VIANA, G. Como os E.U.A. veem a crise ética nas organizações financeiras? [online]. SciELO em Perspectiva: Humanas, 2019 [viewed ]. Available from: https://humanas.blog.scielo.org/blog/2019/07/03/como-os-e-u-a-veem-a-crise-etica-nas-organizacoes-financeiras/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Post Navigation