Inclusão e diversidade na Administração: manifesta para o futuro-presente

Juliana Cristina Teixeira, professora do Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, Espírito Santo, Brasil.

Josiane Silva de Oliveira, professora do departamento e do Programa de Pós-graduação em Administração da Universidade Estadual de Maringá, Maringá, Paraná e do Programa de Pós-graduação em Administração da Universidade Federal de Goiás, Goiânia, Goiás, Brasil.

Ana Paula Rodrigues Diniz, professora no Insper Instituto de Ensino e Pesquisa, São Paulo, São Paulo, Brasil.

Mariana Mazzini Marcondes, professora da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Natal, Rio Grande do Norte, Brasil.

No artigo “Inclusão e diversidade na Administração: manifesta para o futuro-presente“, escrito para a edição especial de 60 anos da RAE, as pesquisadoras propõem uma agenda de reflexão e ação para um futuro diverso e inclusivo na Administração. As autoras iniciam o texto convidando as leitoras e leitores a um exercício crítico e reflexivo sobre os obstáculos enfrentados para promover pluralidade na área. A partir dessa reflexão e de seu engajamento profissional, acadêmico e político com o tema, elas propõem uma “manifesta” para promoção da diversidade e inclusão no campo da Administração.

A gestão da diversidade constitui um conjunto de práticas que visam tanto aumentar a participação de grupos excluídos nas organizações quanto adicionar valor às empresas (Fleury, 2000). A gestão da diversidade foi incorporada no Brasil nos anos 1990, trazida principalmente por subsidiárias de multinacionais norte-americanas (Fleury, 2000; Hanashiro & Carvalho, 2005). No entanto, a proposta nunca decolou em solo nacional (Conceição & Spink, 2013; Santos, Rodrigues, Dutra, & Costa, 2008).

Assim, as autoras contextualizam a emergência e desenvolvimento da temática na Administração, evidenciando os limites para uma ação transformadora rumo à inclusão que esteja sujeita à lógica de mercado hegemônica na área. Nesse contexto, elas propõem a ancoragem em teorias e práticas tributárias dos movimentos sociais para repolitizar e potencializar o debate no campo (Ramos, 1981). Para tanto, recorrem às categorias da interseccionalidade, decolonialidade e transversalidade.

As autoras apontam caminhos de atuação rumo à uma academia igualitária e diversa. Inicialmente, é preciso desnaturalizar os elementos que nos foram colocados como norma e que decorrem da forma de produção socioeconômica e organização da vida em termos de gênero, sexualidade, raça, etnia, classe, deficiência, entre outros. Para tanto, precisa-se de uma segunda frente dessa agenda, que diz respeito às normas de composição das instituições, elas podem ser pensadas, de maneira crítica e propositiva, em uma perspectiva interseccional. A terceira frente proposta para uma agenda sobre diversidade refere-se aos temas de pesquisas, considerando que a temática sobre desigualdades e diversidades é transversal e constituinte no campo da Administração. É necessário criar condições materiais e institucionais para que essa disputa possa ser reposicionada, deslocando-se da margem para o centro. É necessário avançar em uma agenda de temáticas que contemple um debate de desconstrução de silenciamentos, abarcando também “quem inventou” o que se denomina diversidade.

Imagem: Pexels.

Por fim, o que se propõe passa pela subversão da lógica estruturante do campo, incluindo a adoção de novas normas, práticas e linguagens, além da criação de mecanismos e infraestrutura adequada para o combate às desigualdades e a promoção da pluralidade com respeito às diferenças.

No vídeo, as autoras comentam o processo da pesquisa, destacando conceitos fundamentais como a Interseccionalidade, transversalidade e decolonialidade.

Referências

CONCEIÇÃO, E. B. AND SPINK, P. K. Which foot first: Diversity management and affirmative action in Brazilian business. Management International [online]. 2013, vol.17, pp.25-36 [viewed 12 May 2021]. https://doi.org/10.7202/1015809ar. Available from: https://www.erudit.org/fr/revues/mi/2013-v17-mi0591/1015809ar/

FLEURY, M. T. L. Gerenciando a diversidade cultural: Experiências de empresas brasileiras. RAE-Revista de Administração de Empresas [online]. 2000, vol.40, no.03, pp.18-25 [viewed 12 May 2021].  https://doi.org/10.1590/s0034-75902000000300003. Available from: http://ref.scielo.org/438m26

HANASHIRO, D. M. M. and CARVALHO, S. G. Diversidade cultural: Panorama atual e reflexões para a realidade brasileira. REAd [online]. 2005, vol.11, no.05, pp. 1-21 [viewed 12 May 2021]. Available from: https://seer.ufrgs.br/read/article/view/40623

SANTOS, G. C. M., et al. Gestão da diversidade: Um estudo sobre as “melhores empresas para você trabalhar”. Seminários de Administração [online]. 2008, 11, 1-16 [viewed 12 May 2021]. Available from: http://www.anpad.org.br/admin/pdf/EnGPR264.pdf

Para ler o artigo, acesse

TEIXEIRA, J. C., et al. INCLUSÃO E DIVERSIDADE NA ADMINISTRAÇÃO: MANIFESTA PARA O FUTURO-PRESENTE. Rev. adm. empres. [online]. 2021, vol.61, no.03 [viewed 18 May 2021]. https://doi.org/10.1590/s0034-759020210308. Available from: http://ref.scielo.org/8r3tv5

Links externos

RAE-Revista De Administração De Empresas – RAE: www.scielo.br/rae

Sobre as autoras

Ana Paula Rodrigues Diniz

Doutora em Administração Pública e Governo pela Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas (EAESP/FGV). Mestre em Administração pelo Centro de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração da Universidade Federal de Minas Gerais (CEPEAD/UFMG) e Bacharel em Administração pela Faculdade de Ciências Econômicas da mesma universidade (FACE/UFMG). Atualmente é Professora de Administração no Insper. E-mail: anaprd@insper.edu.br

 

Josiane Silva de Oliveira

Doutora em Administração pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PPGA/EA/UFRGS), com estágio doutoral realizado na Teluq da Université du Québec, Canadá. Possui mestrado e graduação em Administração pela Universidade Estadual de Maringá (PPA-UEM). É professora na Universidade Estadual de Maringá e na Universidade Federal de Goiás. E-mail: oliveira.josianesilva@gmail.com

 

Juliana Cristina Teixeira

Doutora em Administração pelo CEPEAD/UFMG, Mestre em Administração pela Universidade Federal de Lavras. Graduada em Administração pela Universidade Federal de São João del-Rei. É Professora na Universidade Federal do Espírito Santo e na Universidade Estadual de Maringá. Editora Adjunta da REGEC – Revista Gestão & Conexões. E-mail: julianacteixeira@yahoo.com.br

 

Mariana Mazzini Marcondes

Professora na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), é graduada em Direito pela Universidade de São Paulo (USP), mestra em Política Social pela Universidade de Brasília (UnB) e doutora em Administração Pública e Governo pela Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas (FGV EAESP). Realizou estágio doutoral no exterior na University of Texas at Austin (Estados Unidos), em pesquisa comparada na América Latina. E-mail: mariana.mazzini.m@gmail.com

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

TEIXEIRA, J. C., OLIVEIRA, J. S., DINIZ, A. P. R. and MARCONDES, M. M. Inclusão e diversidade na Administração: manifesta para o futuro-presente [online]. SciELO em Perspectiva: Humanas, 2021 [viewed ]. Available from: https://humanas.blog.scielo.org/blog/2021/05/21/inclusao-e-diversidade-na-administracao-manifesta-para-o-futuro-presente/

 

One Thought on “Inclusão e diversidade na Administração: manifesta para o futuro-presente

  1. Um artigo tão inspirador!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post Navigation