Casa Tina Martins: o feminismo no combate à violência de gênero

Thaís Zimovski Garcia de Oliveira, Universidade Federal de Minas Gerais, Centro de Pós-Graduação e Pesquisas em Administração, Belo Horizonte, MG, Brasil.

O Mapa da Violência (Waiselfisz, 2015) e o Projeto Gênero e Política na América do Sul (Corrêa & Kalil, 2020) mostram a persistência da violência de gênero no Brasil. Nesse contexto, foi criada a Casa de Referência da Mulher Tina Martins, em 2016, pelo movimento feminista Olga Benário, com a ocupação do refeitório do antigo prédio da Faculdade de Engenharia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Para desenvolver o texto “Memórias em movimento: histórias da Casa Tina Martins no combate à violência de gênero”, partimos de dois percursos principais a fim de apresentar as diversas histórias e memórias da Casa Tina Martins, que se destaca como uma das primeiras ocupações feministas da América Latina e sua luta no combate à violência de gênero.

Imagem: Galpão da Casa, fotografia realizada pelos autores (acervo pessoal).

Primeiro, mostramos o processo de criação do projeto, a partir de suas lutas travadas com o Governo do Estado de Minas Gerais e das ações coletivas voltadas para sua organização e manutenção. Em seguida, exploramos os sentidos presentes no cotidiano e no trabalho do grupo. Tendo isso em mente, escutamos algumas participantes da Casa, que hoje representa um dos principais centros de referência no combate à violência de gênero em Belo Horizonte, porque, indo além do simples abrigamento, permite o convívio e a livre circulação das diferentes mulheres como abrigadas, visitantes e militantes do Movimento Olga Benário, idealizadoras da ocupação. Assim, a Casa engloba toda uma discussão cotidiana sobre a violência em suas múltiplas dimensões com o mais diversificado público em eventos, feiras e ações coletivas. Com isso, consideramos as memórias dessas mulheres como um portal de entrada para o percurso histórico da Casa e apresentamos o ato de recordar como uma possibilidade política de transformação social e reelaboração dos sujeitos.

Além disso, o artigo busca contribuir com o campo do Estudos Organizacionais, trazendo para análise organizacional um espaço alternativo não hegemônico como esse, que contribui para tensionar as relações de poder na própria ciência por meio de métodos de pesquisa como a observação participante e a perspectiva histórica. Quer conhecer um pouco mais sobre a luta política da Casa Tina Martins pela ótica dos Estudos organizacionais? Leia nosso trabalho no site da Revista de Administração de Empresas.

No vídeo, a autora comenta sobre o estudo:

Referências

CORRÊA, S. and KALIL, I. Brasil: ¿La catástrofe perfecta? Projeto Gênero e Política na América Latina. Rio de Janeiro: Observatório de Sexualidade e Política (SPW), 2020.

WAISELFISZ, J. J. (2015). Mapa da violência: Homicídio de mulheres no Brasil. Brasília: Flacso Brasil, 2015.

Para ler o artigo, acesse

OLIVEIRA, T. Z. G., et al. MEMÓRIAS EM MOVIMENTO: HISTÓRIAS DA CASA TINA MARTINS NO COMBATE À VIOLÊNCIA DE GÊNERO. Revista de Administração de Empresas [online]. 2021, vol.61, no.04 [viewed 14 September 2021]. https://doi.org/10.1590/S0034-759020210402. Available from: http://ref.scielo.org/jxf87z

Links externos

Alexandre de Pádua Carrieri Orcid: https://orcid.org/0000-0001-8552-8717

RAE-Revista De Administração De Empresas – RAE: www.scielo.br/rae

RAE-Revista De Administração De Empresas: https://rae.fgv.br/

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

OLIVEIRA, T. Z. G. Casa Tina Martins: o feminismo no combate à violência de gênero [online]. SciELO em Perspectiva: Humanas, 2021 [viewed ]. Available from: https://humanas.blog.scielo.org/blog/2021/09/21/casa-tina-martins-o-feminismo-no-combate-a-violencia-de-genero/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Post Navigation