Author: Trans/form/ação

A cantoria de viola como um sistema cognitivo distribuído de “signos em ação”

Repentistas, rappers, emboladores são sistemas cognitivos distribuídos. Eles resolvem problemas complexos (por exemplo, dialogar em sentenças metrificadas e rimadas) através do uso de artefatos com os quais estão densamente conectados. Qual a natureza desses dispositivos? Em nossa abordagem, o repente é um sistema distribuído de “signos em ação”. Read More →

A retórica como conhecimento multidisciplinar e seu emprego na música colonial brasileira

Refletir sobre o diálogo da retórica com as outras áreas do conhecimento humano, a saber, Música, Filosofia e Hermenêutica, bem como sua influência e utilização na música colonial brasileira por alguns compositores. Read More →