Pesquisa apresenta caminhos contra a marginalização social de italianos e estrangeiros

Maria Giovanna Guedes Farias, Professora doutora do Departamento de Ciências da Informação e do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Informação, Centro de Humanidades, Universidade Federal do Ceará Fortaleza, CE, Brasil

tinf_logoProfessora da Universidade Federal do Ceará (UFC) construiu modelo de integração social durante pesquisa de doutorado realizada na Itália, segundo artigo intitulado “A informação como potencializadora da autonomia e da integração social” publicado no periódico Transinformação, volume 28, número 3 de 2016. Os resultados demonstram que, para resolver problemas de marginalização social, é necessário possibilitar formas concretas, reais e legítimas de apropriação da informação, de autonomia e empoderamento cultural e social. Para isso, é preciso promover uma leitura permanente das condições do contexto, um acompanhamento constante de processos, uma presença assídua nos pontos de fragilidade, empreendendo ações de informação para e com os sujeitos pesquisados.

O percurso metodológico é composto pela abordagem qualitativa, tendo como método a pesquisa participante. Os dados foram coletados por meio de entrevistas com 23 pessoas, italianos e estrangeiros residentes na comunidade pesquisada, denominada de Rione Sanità, localizada em Nápoles. Foram entrevistados a líder do trabalho social, voluntários e pessoas atendidas por ações sociais. Os dados foram tratados pela técnica de análise de conteúdo com estabelecimento de categorias.

A experiência vivenciada na comunidade e os dados analisados forneceram elementos para a criação de um possível modelo de integração social, que teve como objetivo mostrar como ocorre o processo de integração social na Sanità. O modelo é composto pelas seguintes variáveis: contexto social/protagonismo social; cultura/aculturação; doposcuola/competências; outro; mediação; informação; conhecimento; comunicação e inteligência, além da forma de convergência com essas variáveis.

A marginalização social é ainda mais agravante para os moradores estrangeiros que sofrem também com a xenofobia. Por isso, o trabalho de integração social visa incentivar, nos moradores, um protagonismo baseado no desenvolvimento das habilidades cognitivas, no empoderamento de informações necessárias, no encorajamento de autovalorização, de autoestima e de autonomia, tendo a educação como base.

Ressalta-se que as entrevistas feitas com professores voluntários dos cursos de língua na Sanità mostram que eles procuram compreender e valorizar a cultura do estrangeiro, não tentando impor a italiana. Há uma tentativa de mediar as relações entre italianos e estrangeiros, mostrando que, para sair do estado de marginalização, todos devem participar ativamente do espaço público, do processo de emancipação social e das cobranças perante o poder público para a construção de uma vida digna.

Essa pesquisa desenvolveu-se no contexto de um estágio doutoral em Ciência da Informação. Essa experiência foi válida tanto do ponto de vista teórico (contato com autores italianos) quanto metodológico (produção do modelo), subsidiando e aprimorando as ações que foram implantadas posteriormente em uma comunidade na cidade de João Pessoa.

A pesquisa foi financiada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoa de Nível Superior (CAPES/MEC).

Para ler os artigos, acesse

FARIAS, M. G. G. A informação como potencializadora da autonomia e da integração social. Transinformação [online]. 2016, vol.28, n.3, pp.323-336, ISSN 2318-0889 [viewed 21 March 2017]. DOI: 10.1590/2318-08892016000300007. Available from: http://ref.scielo.org/4nq57q

Link externo

Transinformação – TINF: www.scielo.br/tinf

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

FARIAS, M. G. G. Pesquisa apresenta caminhos contra a marginalização social de italianos e estrangeiros [online]. SciELO em Perspectiva: Humanas, 2017 [viewed ]. Available from: http://humanas.blog.scielo.org/blog/2017/03/29/pesquisa-apresenta-caminhos-contra-a-marginalizacao-social-de-italianos-e-estrangeiros/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post Navigation