Intercom discute aspectos teóricos e metodológicos da comunicação digital contemporânea

Mariana Guedes Conde, Jornalista e mestre em Comunicação, Teresina, PI, Brasil

Intercom – Revista Brasileira de Ciências da Comunicação (RBCC), encontra-se disponível na base da SciELO e no Portal da Intercom. A edição apresenta dez artigos, uma entrevista e três resenhas, reunindo 19 autores brasileiros e três estrangeiros.

Como ponto em comum entre os textos deste fascículo estão discussões sobre as nossas atuações comunicacionais no contemporâneo, principalmente no espaço digital, o que promove reflexões sobre teorias e metodologias comunicacionais, memórias e engajamentos. Para propor uma organização da leitura, a versão impressa do periódico distribui os trabalhos em dois eixos temáticos.

O primeiro eixo temático, “Provocações teóricas e metodológicas”, discute teorias e metodologias da comunicação contemporânea.  Compõem este eixo os artigos “Entre la espada y la pared. Periodismo ciudadano y ética periodística en México”, de Gustavo Adolfo León Duarte e Alonso Castillo Riviera, da Universidade de Sonora (México); “Sentidos culturais da Radio Rebelde Zapatista: imaginários de outros mundos possíveis”, de autoria de Ismar Capistrano Costa Filho, da Universidade Federal do Ceará, e que toma como uma das referências a relação entre as matrizes culturais e as competências de recepção a partir da proposta teórico-metodológica de Martín-Barbero (1998); “Conteúdo de Marca Audiovisual e regimes interacionais: reflexões sobre o engajamento digital do consumidor”, de Rogério Luiz Covaleski e Olga Angélica Santos Siqueira, da Universidade Federal de Pernambuco; e “Mídia e desastres: panorama da produção científica internacional de 1996 a 2016”, escrito por Clóvis Reis, Marcos Mattedi e Yanet Reimondo Barrios, da Universidade Regional de Blumenau.

O segundo eixo, “Comunicação, cidadania, engajamento e memória”, reúne artigos que abordam processos sociais como o movimento ativista, interações digitais e internet como lugar de memória. São eles: “Como ocupar uma escola? Pesquiso na internet!”: política participativa nas ocupações de escolas públicas do Brasil, de Richard Romancini e Fernanda Castilho, da Universidade de São Paulo, que tem como base o conceito de política participativa a partir de Cohen e Kahne (2011) e Jenkins (2016); “O jornalismo feito para a comunidade e inserido no ‘novo espírito do capitalismo’: um estudo de caso do jornal Alô Comunidade”, de autoria de Rodrigo Nuñez Viégas e Livia dos Santos Mendes, do Centro Universitário de Volta Redonda; “MST e Escola Nacional Florestan Fernandes: formação, comunicação e socialização política”, de Pablo Nabarrete Bastos, da Universidade Federal Fluminense; “Violência contra as mulheres: o caso do estupro coletivo na esfera pública digital”, de Anelisa Maradei e Marli dos Santos, da Universidade Metodista de São Paulo; e “Elas merecem ser lembradas: feminismo, emoções e memória em rede”, de Tatiane Leal, da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

A seção “Arena”, espaço flexível destinado a debates de temas polêmicos e emergentes relacionados à Comunicação, apresenta o artigo “Quién dice qué a quién. Necesidad de una nueva teoría de la comunicación, de Yamile Haber Guerra”, da Universidade de Oriente (Cuba), sobre as necessidades de se repensar modelos funcionalistas das teorias da Comunicação, especialmente quando aplicados a práticas comunicacionais como o jornalismo.

A Entrevista desta edição é com o professor e pesquisador Robert Stam, da Universidade de Nova York (Estados Unidos da América), realizada por Roberto Gustavo Reiniger Neto e Luiz Antonio Vadico, da Universidade Anhembi Morumbi, com o título “Robert Stam — Cinema, Literatura e a trajetória de uma metodologia de pesquisa”.

Por fim, são apresentadas as resenhas das obras “Teoria ator-rede e estudos de comunicação”, organizada por André Lemos e resenhada por Antonio Teixeira de Barros, do Programa de Pós-Graduação da Câmara dos Deputados; “A forma bruta dos protestos: das manifestações de junho de 2013 à queda de Dilma Rousseff em 2016”, de Eugênio Bucci, resenhado por Rodrigo Gabrioti, da Universidade Metodista de São Paulo; e Um peso, duas medidas: desvelando a comunicação pública na sociedade midiatizada, de Tiago Mainieri, resenhado por Quezia Alcântara, da Universidade Federal de Goiás.

Com essa organização, que corrobora com o caráter multitemático da Intercom – Revista Brasileira de Ciências da Comunicação (RBCC), espera-se estimular discussões sobre teorias e metodologias em Comunicação Social de modo interdisciplinar e abrangente. O periódico tem periodicidade quadrimestral e recebe contribuições em fluxo contínuo. A edição é das professoras Maria Ataide Malcher, da Universidade Federal do Pará, e Iluska Coutinho, da Universidade Federal de Juiz de Fora, editoras do periódico.

Referência

MARTÍN-BARBERO, J. Dos meios às mediações: comunicação, cultura e hegemonia. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 1998.

Para ler os artigos, acesse

Intercom, Rev. Bras. Ciênc. Comun. vol.40 no.2 São Paulo May/Aug. 2017

Link externo

Intercom – Revista Brasileira de Ciências da Comunicação – INTERC: www.scielo.br/interc

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

CONDE, M. G. Intercom discute aspectos teóricos e metodológicos da comunicação digital contemporânea [online]. SciELO em Perspectiva: Humanas, 2017 [viewed ]. Available from: http://humanas.blog.scielo.org/blog/2017/11/14/intercom-discute-aspectos-teoricos-e-metodologicos-da-comunicacao-digital-contemporanea/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post Navigation