Qual o cenário futuro da condição de cheia permanente no rio Xingu em Altamira/PA?

Vânia dos Santos Franco, Meteorologista – Instituto Tecnológico Vale, Belém, Pará, Brasil

A pesquisa fez parte do conjunto de trabalhos associados ao Projeto de Pesquisa “Rede de Mudanças Climáticas e Ambientais do Pará ‒ uma perspectiva de estudos integrados”, desenvolvido pela Universidade Federal do Pará (UFPA), tendo como parceiros no âmbito do Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais, o Museu Paraense Emílio Goeldi e a EMBRAPA Amazônia Oriental. Apresenta como resultado uma avaliação voltada ao antes e depois da implantação da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, que se trata do segundo projeto mais ambicioso de geração de energia implantado no Estado do Pará, após a UHE de Tucuruí. A pesquisa obteve como produto 3 artigos publicados em periódicos científicos com Qualis na área de Ciências Ambientais: “Evolução mensal da cota fluviométrica do Rio Xingu em Altamira-PA associada ao El Niño e La Niña” (Ciência e Natura, 2015); “Previsão Hidrológica de cheia sazonal do rio Xingu, Altamira-PA” (Revista Brasileira de Climatologia, 2018); e “Cheias e vulnerabilidade social: estudo sobre o Rio Xingu em Altamira/PA” (Ambiente & Sociedade, v. 21).

Os resultados obtidos refletem: a baixa densidade de informação existente, a necessidade de ampliar os estudos sobre impactos socioambientais decorrentes de grandes projetos e sobretudo a importância do monitoramento continuado dos efeitos da UHE de Belo Monte sobre as comunidades locais.

Limite da cota de 100 m na cidade de Altamira. Base de dados de CPRM (2008). Elaborado no Laboratório de Estudos de Modelagem Hidroambientais – LEMHA (2014).

Limite da cota de 100 m na cidade de Altamira. Base de dados de CPRM (2008). Elaborado no Laboratório de Estudos de Modelagem Hidroambientais – LEMHA (2014).

A vulnerabilidade social reflete o grau estimado de perda ou danos materiais decorrentes de um cenário de risco associado a uma determinada ameaça ou processo com potencial destrutivo (CUTTER, BORUFF; SHIRLEY, 2003). A metodologia utilizada baseou-se nos procedimentos definidos por Szlafsztein et al. (2010), que utiliza diferentes variáveis socioeconômicas (população total, idosa, infantil, nível de escolaridade e nível de pobreza) para a produção de um único valor numérico: o Índice de Vulnerabilidade Social (IVS). Os resultados obtidos indicaram um IVS predominantemente de moderado a baixo; relacionado à base de dados utilizada a partir do banco de dados agregados (SIDRA) do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Altamira reflete a complexidade dos municípios amazônicos com uma área de 159.695,938 km², e uma baixa densidade população, com sua concentração em torno da sua sede municipal. Este trabalho contribui para o debate sobre as externalidades decorrente da implantação da UHE de Belo Monte, que são associadas a diversos impactos nas áreas da: saúde, educação, segurança pública, exploração sexual, além da construção de moradias em lugares de risco, e invasão de áreas gerando conflitos fundiários.

Referências

CUTTER, S. L., BORUFF, B. and SHIRLEY, W. Social vulnerability to environmental hazards. Social Science Quarterly, v. 84, n. 2, p. 242-261, 2003. eISSN: 1540-6237 [reviewed 2 August 2018]. Avaliable from: https://www.jstor.org/stable/42955868

SZLAFSZTEIN, C. et al. Referências metodológicas para mapeamento de riscos naturais na Amazônia: mapeando as vulnerabilidades. Brasília: MMA/GTZ, 2010.

Para ler o artigo, acesse

FRANCO, V. S., SOUZA, E. B. and LIMA, A. M. M. Floods and social vulnerability: study on the Xingu river in Altamira / PA. Ambient. soc. [online]. 2018, vol.21, e01573. ISSN 1414-753X. [viewed 23 August 2018]. DOI: 10.1590/1809-4422asoc0157r3vu18l1ao. Available from: http://ref.scielo.org/mnhw7p

Links externos

Ambiente & Sociedade – ASOC: www.scielo.br/asoc

Anapu em foco: http://anapuemfoco.blogspot.com.br/2012/02/exercito-remove-atingidos-pela-cheia

ELB/ELN – ELETROBRAS/ELETRONORTE. Estudos de Viabilidade Técnica e Econômica CHE Belo Monte, versão Eletronorte: http://eletrobras.com/pt/AreasdeAtuacao/geracao/belo_monte/Evento-Altamira.pdf

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

FRANCO, V. S. Qual o cenário futuro da condição de cheia permanente no rio Xingu em Altamira/PA? [online]. SciELO em Perspectiva: Humanas, 2018 [viewed ]. Available from: http://humanas.blog.scielo.org/blog/2018/08/29/qual-o-cenario-futuro-da-condicao-de-cheia-permanente-no-rio-xingu-em-altamirapa/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post Navigation