A crença na própria capacidade de fazer uma mudança favorece a recuperação do alcoolismo

José Carlos de Carvalho Leite, Mestrado em Saúde e Desenvolvimento Humano – Universidade La Salle, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil

O abandono do tratamento para os problemas relacionados ao álcool continua sendo um desafio para a saúde pública internacionalmente. Um estudo recente, publicado esta semana no Brasil, mostra que a crença dos próprios usuários de serviços de saúde na capacidade de superar os desafios diários da dependência do álcool ajuda a pessoa a permanecer no tratamento. Esse dado está de acordo com uma recente revisão sistemática sobre o assunto (MARKER; NORTON, 2018). O estudo brasileiro foi publicado no periódico Estudos de Psicologia (Campinas, v. 35, n. 4) sob o título “Motivação e adesão ao tratamento psicossocial entre usuários de substâncias químicas”. Neste estudo, pesquisadores da Universidade La Salle, da Clínica Psiquiátrica Santa Tecla e da Secretaria da Saúde do Estado do Rio Grande do Sul entrevistaram 150 homens e mulheres vivendo com dependência grave de álcool, iniciando tratamento em um Centro de Atenção Psicossocial do SUS – Álcool e Drogas (CAPS-AD). Neste momento, a motivação dos usuários dos serviços de saúde para seguir o tratamento foi avaliada e após dois meses, quando os pesquisadores verificaram se esses pacientes continuavam a comparecer ou haviam abandonado o tratamento.

Os resultados mostram que as pessoas que acreditam que não irão consumir álcool em situações difíceis, como festas, momentos de ansiedade ou tristeza, e que se consideram capazes de seguir o tratamento até o final são mais propensas a manterem-se em tratamento. Níveis mais baixos de escolaridade (somente educação básica) e baixa renda ou nenhuma renda estão relacionados a uma probabilidade reduzida de permanecer em tratamento.

O estudo conclui que a baixa motivação é uma barreira à prestação de cuidados de saúde para pessoas com problemas relacionados ao uso de álcool e suas famílias. As motivações para seguir o tratamento e a identificação de riscos relacionados ao uso de álcool devem ser monitoradas desde o início do tratamento, como sugerido em estudo semelhante realizado no Sistema de Saúde Pública Inglês (NHS-UK) (LEITE et al., 2011). Finalmente, atenção especial deve ser dada tanto aos usuários com menor escolaridade quanto aos de menor renda.

Referências

LEITE, J. C. D. C. et al. The Psychosocial Treatment Expectations Questionnaire (PTEQ) for alcohol problems: Development and early validation. European Journal of Psychological Assessment, v. 27, n. 4, p. 228-236, 2011. e-ISSN: 2151-2426 [reviewed 10 November 2018].  DOI: 10.1027/1015-5759/a000077. Avaliable from: https://econtent.hogrefe.com/doi/10.1027/1015-5759/a000077

MARKER, I. and NORTON, P. J. (2018). The efficacy of incorporating motivational interviewing to cognitive behavior therapy for anxiety disorders: A review and meta-analysis. Clin Psychol Rev., v. 62, p. 1-10, 2018. ISSN: 0272-7358 [reviewed 10 November 2018]. DOI: 10.1016/j.cpr.2018.04.004. Avaliable from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/29727863

Para ler o artigo, acesse

LEITE, J. C. C. et al. Motivation and adherence to psychosocial treatment for alcohol and drug use-related problems. Estud. psicol. (Campinas) [online]. 2018, vol.35, n.4, pp.389-398. ISSN 0103-166X. [viewed 13 December 2018]. DOI: 10.1590/1982-02752018000400006. Available from: http://ref.scielo.org/25kg63

Link externo

Estudos de Psicologia (Campinas) – ESTPSI: www.scielo.br/estpsi

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

LEITE, J. C. C. A crença na própria capacidade de fazer uma mudança favorece a recuperação do alcoolismo [online]. SciELO em Perspectiva: Humanas, 2018 [viewed ]. Available from: http://humanas.blog.scielo.org/blog/2018/12/13/a-crenca-na-propria-capacidade-de-fazer-uma-mudanca-favorece-a-recuperacao-do-alcoolismo/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post Navigation