Formação e desafios profissionais do Assistente Social

Maria Carmelita Yazbek, Doutora em Serviço Social, docente do Programa de Estudos Pós-Graduados em Serviço Social da PUC-SP, pesquisadora do CNPq, São Paulo, SP, Brasil

Serviço Social e Sociedade (n. 134), organizado pelas editoras Maria Carmelita Yazbek (PUC-SP), Raquel Raichelis (PUC-SP) e Rosangela Paz (PUC-SP) apresenta como tema central os desafios colocados ao Serviço Social brasileiro e latino americano num contexto profundamente adverso, caracterizado pelo avanço do pensamento conservador e reacionário que, na atualidade questiona valores básicos do Estado democrático de direito, buscando construir uma nova política funcional à sociabilidade do capital, moldando um perfil particular para a questão social latino-americana e global e a desigualdade fundante que a constitui. Desigualdade intensificada no padrão atual de acumulação capitalista, trazendo consequências nefastas para a “classe que vive do trabalho” (ANTUNES, 2018), que se expressa no cotidiano profissional e nos processos formativos dos assistentes sociais.

Nesse contexto, “o trabalho de assistentes sociais, experimenta, assim como os demais trabalhadores assalariados, a precarização do trabalho e da vida, a desproteção social e trabalhista, o assédio moral, o sofrimento e o adoecimento decorrentes do trabalho” (RAICHELIS, 2018).

Nesta edição apresenta ainda, uma análise ampla da formação acadêmica na América Latina que comparece no artigo de abertura “A formação acadêmico-profissional em Serviço Social: uma experiência em construção na América Latina” que trata do pronunciamento da professora Marilda V. Iamamoto por ocasião da Conferência Mundial: Serviço Social, Educação e Desenvolvimento Social (SWSD) realizada em Dublin, Irlanda, em julho de 2018. Texto que é uma emblemática exposição da força política e organizativa do Serviço Social brasileiro e de seu avanço “na construção de uma proposta essencialmente crítica da formação acadêmico-profissional”, no Campo da Ciências Humanas e Sociais.

Tendo como tema central os desafios da formação e do trabalho profissional, outros artigos que compõem esse número abordam, sob ângulos distintos, temas relevantes como os sentidos da pobreza, da miséria e das violências no capitalismo globalizado, as novas sociabilidades que requisitam o trabalho do assistente social, o papel e a direção política das entidades da categoria profissional e suas formas de resistência, bem como temáticas que exigem novos olhares, amadurecimento e respostas que reafirmam o compromisso e o respeito dos assistentes sociais com os direitos humanos e com a diversidade, além do debate sobre história, tempo e memória, a determinação ontológica da realidade e o método em Marx. A educação popular se coloca nesse contexto como importante estratégia para o trabalho profissional.

Referências

ANTUNES, R. O privilégio da servidão: o novo proletariado de serviços na era digital. São Paulo: Boitempo, 2018.

RAICHELIS, R. Serviço Social: trabalho e profissão na trama do capitalismo contemporâneo. In: RAICHELIS, R.; VICENTE, D.; ALBUQUERQUE, V. (Org.). A nova morfologia do trabalho no serviço social. São Paulo: Cortez, 2018. p. 25-65.

Para ler o artigo, acesse

IAMAMOTO, M. V. A formação acadêmico-profissional em Serviço Social: uma experiência em construção na América Latina. Serv. Soc. Soc., n. 134, p. 13-33, 2019. ISSN: 0101-6628 [viewed 18 February 2019]. DOI: 10.1590/0101-6628.163. Available from: http://ref.scielo.org/3dzrwp

Link externo

Serviço Social & Sociedade – SSSOC: www.scielo.br/sssoc

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

YAZBEK, M. C. Formação e desafios profissionais do Assistente Social [online]. SciELO em Perspectiva: Humanas, 2019 [viewed ]. Available from: http://humanas.blog.scielo.org/blog/2019/03/19/formacao-e-desafios-profissionais-do-assistente-social/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post Navigation