A epistemologia da complexidade a favor da sociologia clínica

Tânia Mara Campos de Almeida e Christiane Girard, Professoras do Programa de Pós-Graduação em Sociologia, Universidade de Brasília (UnB), Brasília, DF, Brasil.

Imagem: Prof. Jean-Michel Fourcade em Brasília (Brasil), 2012. Arquivo pessoal da profa. Christiane Girard.

Escrito em língua francesa e integrante do dossiê “Ciências Sociais e Saúde Mental: diálogos teóricos e experiências inovadoras”, o artigo “Sociologie Clinique et Psychanalyse Intégrative”, publicado no periódico Sociedade e Estado (vol. 35, no. 1), contribui teoricamente com o avanço de uma Epistemologia da Complexidade, aproximando mutuamente a Sociologia Clínica e a Psicanálise Integrativa. Comprova, ainda, a hipótese de um evolucionismo do psiquismo humano em interações com o meio sociocultural e corporal do sujeito, o que é argumentado sobre um estudo de caso clínico. Com sofisticação, transita por perspectivas e conceitos interdisciplinares, evidenciando a relevância da compreensão sociológica para processos de subjetivação em que o sujeito se encontra hoje em conflitos emocionais e mentais.

De autoria do renomado professor Jean-Michel Fourcade, falecido em abril de 2020, o referido artigo é uma das suas últimas obras. Inúmeros de seus artigos e livros tiveram notável reconhecimento, tendo sido publicados na Europa e em outros continentes, onde conta com grande público. O autor deixou uma herança intelectual significativa, participando da fundação, consolidação e difusão da Sociologia Clínica e da Psicanálise Integrativa, sempre de modo interdisciplinar.  Atualmente, era presidente da Association Fédérative Française des Organismes de Psychothérapie (AFFOP), diretor da Nouvelle Faculté Libre (NFL) e associado do Laboratoire de Changement Social et Politique da Université Paris 7 (França).

Parte de inquietações do autor e dos seus grupos de pesquisa por longa data, se volta a responder à pergunta sobre como ocorre a passagem de uma sociedade caracterizada por um modelo dominante de organização psíquica a outra e, se nessa passagem evolutiva, emergiriam períodos de anomia. O artigo chega, então, a conclusões que afirmam ser a “personalidade-limite”, com seus aspectos e psicopatologias próprios, a estruturação psíquica considerada típica nas sociedades ocidentais do século XXI. Para alcançar essa afirmação, foi necessário que suas reflexões deixassem a compreensão de um psiquismo autônomo, vigente de modo geral no pensamento psicanalítico tradicional, para se aproximar de um psiquismo de constituição interconectada a fatores socioculturais e corporais, em abordagem sistêmica oriunda da Epistemologia da Complexidade.

A Sociologia Clínica, portanto, permite introduzir uma interrogação fundamental no saber psicanalítico sobre sua história, suas práticas e suas técnicas, enfim sobre o objetivo do seu trabalho e do observador social, tanto que possibilita aos terapeutas e cientistas sociais discutirem em maior profundidade o que é patológico e normal dentro dos grupos sociais atuais, marcados por dilemas econômicos, subjetivos, políticos dentre outros do século XXI. De todo modo, essas interações teóricas, metodológicas e clínicas estão distantes de estarem esgotadas no artigo, mas este poderá se tornar importante referência bibliográfica no país e no exterior para futuros estudos científicos.

Referências

FOURCADE, J.-M. Personalidades-limite – Hipersensíveis, à flor da pele, em carne viva… Todos bordelines? Curitiba: Juruá, 2014.

FOURCADE, J.-M.  Les patients-limites. Psychanalyse intégrative et psychothérapie. Toulouse: Éditions Érès, 2010.

FOURCADE, J.-M.  Les patients-limites. Pour une psychothérapie émotionnelle intégrative. Paris: Éditions Desclée de Brouwer, 1997.

Para ler o artigo, acesse

FOURCADE, J.-M. Sociologie clinique et psychanalyse intégrative. Soc. estado. [online]. 2020, vol. 35, no. 1, pp. 39-59, ISSN: 1980-5462 [viewed 28 May 2020]. DOI: 10.1590/s0102-6992-202035010003. Avaliable from: http://ref.scielo.org/vtzbdx

Links externos

Sociedade e Estado – SE: www.scielo.br/se

– Grupo de pesquisa “Diálogos em Sociologia Clínica” – https://dialogosemsociologiaclinica.wordpress.com/

– Réseau International de Sociologie Clinique (RISC) – https://www.sociologie-clinique.org/

– Sociedade Brasileira de Psicanálise Integrativa – https://www.sbpi.org.br/

– Jean-Michel Fourcade – https://www.jeanmichelfourcade.com/

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

ALMEIDA, T. M. C. and GIRARD C. A epistemologia da complexidade a favor da sociologia clínica [online]. SciELO em Perspectiva: Humanas, 2020 [viewed ]. Available from: https://humanas.blog.scielo.org/blog/2020/06/16/a-epistemologia-da-complexidade-a-favor-da-sociologia-clinica/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Post Navigation