Agência comportamental: o que já sabemos e para onde vamos?

Rubens Mussolin Massa, Coordenador adjunto do Centro de Empreendedorismo e Novos Negócios da Fundação Getulio Vargas (FGV CENN), São Paulo, SP, Brasil.

Raul Beal Partyka, Doutorando em Administração de Empresas pela Escola de Administração de Empresas da Fundação Getulio Vargas (FGV EAESP), São Paulo, SP, Brasil.

Jeferson Lana, Professor nos Mestrados Acadêmico e Profissional e no Doutorado Acadêmico da Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI), Biguaçu e Itajaí, SC, Brasil.

O artigo “Pesquisa e teoria da agência comportamental: uma revisão e agenda de pesquisa”, publicado no periódico Cadernos EBAPE.BR (vol. 18, no. 2), teve como objetivo destacar a importância da teoria da agência comportamental para empresas que atribuem a tomada de decisões a um agente e seu comportamento, o que traz preocupações que geralmente levam a recomendações sobre o planejamento de planos de remuneração de executivos.

Foi adotada uma abordagem de pesquisa descritiva por meio de análise bibliométrica que forneceu uma visão geral da estrutura intelectual das publicações das agências comportamentais em artigos nacionais e internacionais. Foram utilizados os termos “Behavioral agency” ou “Behavior agency” para busca nas bases de dados Web of Science (woS) e Scopus. Como filtros, foram delimitadas as palavras para serem encontradas somente no título, resumo, palavras-chave e/ou referências e para artigos completos e artigos de revisões.

Os resultados do estudo, uma amostra de 107 artigos identificados, mostram que as pesquisas estão abordando predominantemente empresas familiares. Nesses, os resultados dos estudos respondem a perguntas sobre a remuneração do CEO devido ao risco assumido por esse agente no comportamento de executivo. Acima de tudo, a busca por respostas para esse problema de pesquisa leva em consideração a demanda por desempenho das empresas. Dessa forma, os resultados contribuem para uma melhor compreensão focada no comportamento dos agentes (CEO, equipe de gerência sênior, membros do conselho), e não nos princípios e seus interesses.

O método bibliométrico revelou um grande potencial para a confirmação quantitativa de categorias (como por exemplo aquelas utilizadas neste estudo, a evolução das publicações, os periódicos mais escolhidos pelos autores, os autores que mais publicam, as teorias mais citadas, a metodologia e a localização geográfica das amostras) derivadas subjetivamente nas avaliações publicadas, além de explorar o cenário de pesquisa e identificar categorias.

Finalmente, por meio de uma análise qualitativa foi proposta uma lista de lacunas no entendimento atual, bem como agendas de pesquisa para abordar essas lacunas. Destacam-se os resultados do estudo da indústria de restaurantes nos EUA que levaram os CEOs com excesso de confiança, apesar de terem uma compensação baseada em ações, a tomarem iniciativas em investimentos estrategicamente mais arriscados. Além disso, para os CEOs que detêm a riqueza das opções atuais e futuras, a probabilidade de falência enfraquece e aumenta a tomada de riscos, respectivamente, então esses desvios negativos do agente, enquanto a folga facilita a tomada de riscos no contexto de desvio positivo. Cabe ainda ressaltar que, os executivos de empresas familiares são importantes por causa de sua influência na exposição ao risco e no desempenho financeiro, e por este entre outros motivos, a agência comportamental se dedica primordialmente ao estudo de negócios familiares.

Para ler o artigo, acesse

MASSA, R. M.; PARTYKA, R. B. and LANA, J. Behavioral agency research and theory: a review and research agenda. Cad. EBAPE.BR [online]. 2020, vol. 18, no. 2, pp. 220-236, ISSN: 1679-3951 [viewed 20 July 2020]. DOI: 10.1590/1679-395177017. Available from: http://ref.scielo.org/pzc79x

Link externo

Cadernos EBAPE.BR – CEBAPE: www.scielo.br/cebape

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

MASSA, R. M.; PARTYKA, R. B. and LANA, J. Agência comportamental: o que já sabemos e para onde vamos? [online]. SciELO em Perspectiva: Humanas, 2020 [viewed ]. Available from: https://humanas.blog.scielo.org/blog/2020/08/20/agencia-comportamental-o-que-ja-sabemos-e-para-onde-vamos/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Post Navigation