Periódico do Museu recebe nota máxima em avaliação feita pela CAPES

Jimena Felipe Beltrão, Jornalista, Núcleo Editorial/Museu Paraense Emílio Goeldi, Belém, PA, Brasil

bgoeldi_logoO ano de 2017 trouxe logo em seu início duas boas notícias para o Boletim do Museu Paraense Emilio Goeldi. Ciências Humanas. Primeiramente, o crescimento no conceito Web Qualis de Linguística de B2 para A1 e a reinserção no Diretório de Periódicos de Acesso Aberto o DOAJ. Estar no nível mais alto do conceito estabelecido da Capes – Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal Superior – para classificar periódicos científicos e figurar entre os periódicos de livre acesso, revela a qualidade de uma das publicações mais antigos do Brasil.

Para o diretor do Museu Goeldi, Nilson Gabas Jr., “o resultado positivo da avaliação reflete a importância e a atenção que a instituição dá à publicação dos resultados das pesquisas sobre a Amazônia, e ao trabalho incansável de toda a equipe na editoração do periódico”. De acordo com Gabas, o processo editorial foi recentemente readequado, em função de mudanças nas exigências dos avaliadores e indexadores. “Tivemos que fazer mudanças tanto de pessoal técnico, editores associados, e editoria executiva, quanto de trâmite administrativo, como a publicação exclusivamente online, contratação de empresa especializada em formatação .xml, e utilização de software específico para o controle e trâmite de submissões. E o resultado apareceu, até antes do que se imaginava”.

O fato de o Boletim do Museu Paraense Emilio Goeldi. Ciências Humanas ter sido classificado como A1 no Web Qualis na avaliação divulgada em 2016 “reflete a relevância do Boletim para divulgação científica e a inserção do periódico nos programas de pós-graduação do Brasil”, explica a linguista Ana Vilacy Galucio, também coordenadora de Pesquisa e Pós-Graduação do Museu Goeldi.

Captar conteúdos de qualidade em diversas línguas – o Boletim publica em português, espanhol, inglês e francês – é uma constante nas ações editoriais. A abertura de canais de acesso os mais variados e reconhecidos é outra conduta para avalizar o periódico.

Em segundo lugar, a outra boa notícia de 2017 diz respeito exatamente a um maior acesso ao conteúdo do Boletim. “A reinserção do Boletim do Museu Paraense Emilio Goeldi. Ciências Humanas no Directory of Open Access Journals, o DOAJ, garante o acesso ao conhecimento divulgado em artigos científicos que é um compromisso, particularmente verdadeiro para instituições públicas como o Museu Goeldi”, diz a Editora Científica do Boletim de Ciências Humanas, a jornalista Jimena Felipe Beltrão. Para ela, “A disponibilização dos conteúdos do Boletim na base auxilia no exercício contínuo de democratizar a informação.”

Apresentado desde 2016 apenas em versão eletrônica, o Boletim tem sua edição disponível também em canais como o Issuu. O alcance de públicos que transitam nas redes sociais também fez o Boletim abrir perfil no Facebook, onde divulga sistemática e individualmente os artigos publicados nas edições mais recentes.

Dentre os conteúdos do Boletim, além de artigos, publicam-se dossiês. Entre os mais recentes estão: Variação em línguas Tupí (v. 10, n. 2, 2015) e Dinâmicas das Agriculturas Amazônicas (vol. 11, n. 1, 2016).

Link externo

Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas – BGOELDI: www.scielo.br/bgoeldi

Confira os conceitos do Boletim no Web Qualis e envie seu trabalho: https://goo.gl/kkSO9E.

Visite o site do Boletim: http://www.museu-goeldi.br/editora/humanas/index.html

Leia o Boletim no Issuu: http://issuu.com/bgoeldi_ch

Siga o Boletim no Facebook: http://www.facebook.com/boletimgoeldiCH

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

BELTRÃO, J. F. Periódico do Museu recebe nota máxima em avaliação feita pela CAPES [online]. SciELO em Perspectiva: Humanas, 2017 [viewed ]. Available from: http://humanas.blog.scielo.org/blog/2017/03/14/periodico-do-museu-recebe-nota-maxima-em-avaliacao-feita-pela-capes/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post Navigation