Estudo bibliométrico revela quando a palavra globalização deu lugar a internacionalização na pesquisa em Administração

Andréa Cerqueira Souza é especialista em marketing, atua com comunicação e marketing científico em publicações da Fundação Getulio Vargas, São Paulo, SP, Brasil

Eduardo de Rezende Francisco

Eduardo de Rezende Francisco

José Eduardo Ricciardi Favaretto

José Eduardo Ricciardi Favaretto

O pesquisador José Eduardo Ricciardi Favaretto e o professor Eduardo de Rezende Francisco, ambos da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV EAESP), apresentam a pesquisa bibliométrica realizada no acervo da RAE, que resultou na publicação do artigo “Exploração do acervo da RAE-Revista de Administração de Empresas (1961 a 2016) à luz da bibliometria, text mining, rede social e geoanálise”, divulgado na RAE, volume 57, número 4, 2017. O interesse dos autores em realizar a pesquisa está na possibilidade de compreender várias propriedades observáveis do acervo de publicações do periódico, entre elas: a quantidade dos diferentes tipos de documentos publicados, a passagem dos autores mais prolíficos pelo periódico, os períodos de ocorrência das publicações atrelados à variação da autoria, bem como a identificação de palavras mais frequentes e influentes nos documentos do acervo que refletissem a essência de seu conteúdo (FAVARETTO; FRANCISCO, 2017). Entre outras curiosidades, os pesquisadores identificaram diferentes períodos da gestão do periódico e ainda o momento em que a palavra “globalização” caiu em desuso, sendo substituída por “internacionalização” nas pesquisas científicas.

Para a realização do estudo, foram utilizadas técnicas bibliométricas (HOOD; WILSON, 2001; MINGERS; LEYDESDORFF, 2015), de análise de conteúdo via text mining (FEINERER; HORNIK; MEYER, 2008; HASHIMI; HAFEZ; MATHKOU, 2015; KAYSER; BLIND, 2017), de análise de rede social (ABBASI; HOSSAIN; LEYDESDORFF, 2012; ZHENG et al., 2016) e da análise geográfica ou geoanálise (CÂMARA et al., 2009; FLORIANI, 1987; FRANCISCO, 2011). Os autores construíram robots com códigos scripts redigidos nas linguagens de programação para automatizar a captação dos dados. Posteriormente, realizaram a filtragem e análise das informações, processo que eles descrevem no artigo. Foi analisado o período de 1961 até 2016, no qual constataram que a gestão do periódico passou por 22 diferentes períodos nos quais ocorreram várias mudanças, não apenas de periodicidade e linha editorial, mas também no modelo de gestão do periódico. Na década de sessenta, por exemplo, os próprios diretores eram os redatores-chefes do periódico. Já no início da década de 90, o cargo de redator-chefe foi extinto e o diretor passou a acumular a função de editor-chefe do periódico, modelo que permanece até os dias atuais. Já na década seguinte, a gestão foi marcada pela ampliação da publicação: fóruns e pensatas passaram a fazer parte do escopo da RAE. Além disso, nesse período foram lançadas as revistas RAE-eletrônica, com artigos exclusivamente on-line e a RAE-executivo, que posteriormente passou a ser chamada de GV-executivo (FAVARETTO; FRANCISCO, 2017).

Além do estudo sobre os diferentes períodos de gestão, os autores realizaram uma análise de conteúdo via SNA (Social Network Analysis), que possibilitou medir a colaboração entre autores dos artigos, com destaque para a frequência de publicação em parceria e sua importância no estabelecimento de ligações entre grupos de autores, afirmam. Um dos destaques do artigo se trata da análise de conteúdo via text mining, que permitiu identificar as palavras-chave mais utilizadas em determinados períodos, bem como elaborar uma lista das vinte e cinco palavras mais frequentes utilizadas nos textos publicados na RAE. Como resultado, uma curiosidade apresentada pelos autores: entre 1989 a 2002, a palavra globalização estava entre as quatro mais frequentes nos textos, porém, a partir de 2003, o termo deixou de ser usado pelos pesquisadores, dando lugar a palavra internacionalização (FAVARETTO, FRANCISCO, 2017).

Neste vídeo, os autores contam um fala um pouco mais sobre as técnicas empregadas na pesquisa e apresentam outras curiosidades encontradas nos resultados.

Referências

ABBASI, A., HOSSAIN, L., LEYDESDORFF, L. Betweenness centrality as a driver of preferential attachment in the evolution of research collaboration networks. Journal of Informetrics, v. 6, n. 3, p. 403-412, 2012. Doi:10.1016/j.joi.2012.01.002.

CÂMARA, G. et al. Geographical information engineering in the 21st century. In: NAVRATIL, G. (Ed.). Research trends in geographic information science. Berlin, Germany: Springer Berlin Heidelberg, 2009. p. 203-218. Doi:10.1007/978-3-540-88244-2_14.

FEINERER, I., HORNIK, K., MEYER, D. Text mining infrastructure in R. Journal of Statistical Software, v. 25, n. 5, p. 1-54, 2008. Doi: 10.18637/jss.v025.i05.

FLORIANI, L. de. Data structures for encoding triangulated irregular networks. Advances in Engineering Software, v. 9, n. 3, p. 122-128, 1987. Doi: 10.1016/0141-1195(87)90001-5.

HASHIMI, H., HAFEZ, A., MATHKOU, H. Selection criteria for text mining approaches. Computers in Human Behavior, n. 51, p. 729-733, 2015. Doi: 10.1016/j.chb.2014.10.062.

HOOD, W. W., WILSON, C. S. The literature of bibliometrics, scientometrics, and informetrics. Scientometrics, v. 52, n. 2, p. 291-314, 2001. Doi: 10.1023/A:1017919924342.

KAYSER, V., BLIND, K. Extending the knowledge base of foresight: The contribution of text mining. Technological Forecasting and Social Change, n. 116, p. 208-215, 2017. Doi: 10.1016/j.techfore.2016.10.017.

MINGERS, J., LEYDESDORFF, L. A review of theory and practice in scientometrics. European Journal of Operational Research, n. 246, p. 1-19, 2015. Doi: 10.1016/j.ejor.2015.04.002.

ZHENG, X. et al. Review of the application of social network analysis (SNA) in construction project management research. International Journal of Project Management, v. 34, n. 7, p. 1214-1225, 2016. Doi: 10.1016/j.ijproman.2016.06.005.

Para ler os artigos, acesse

FRANCISCO, E. R. RAE-eletrônica: exploração do acervo à luz da bibliometria, geoanálise e redes sociais. Rev. adm. empres. [online]. 2011, vol.51, n.3, pp.280-306. [viewed 23 August 2017]. ISSN 0034-7590. DOI: 10.1590/S0034-75902011000300008. Available from: http://ref.scielo.org/chjbgs.

FAVARETTO, J. E. R. and  FRANCISCO, E. R. Exploração do acervo da RAE-Revista de Administração de Empresas (de 1961 a 2016) à luz da bibliometria, text mining, rede social e geoanálise. Rev. adm. empres. [online]. 2017, vol.57, n.4, pp.365-390. [viewed 29 August 2017]. ISSN 0034-7590. DOI: 10.1590/s0034-759020170407. Available from: http://ref.scielo.org/k4nqwz

Link externo

Revista de Administração de Empresas – RAE: www.scielo.br/rae

Sobre Andréa Cerqueira Souza

Publicitária (Claretiano Faculdade) e especialista em marketing (FGV), atua com comunicação e marketing científico em publicações da Fundação Getulio Vargas. E-mail: andrea.csouza@fgv.br

 

 

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

SOUZA, A. C. Estudo bibliométrico revela quando a palavra globalização deu lugar a internacionalização na pesquisa em Administração [online]. SciELO em Perspectiva: Humanas, 2017 [viewed ]. Available from: http://humanas.blog.scielo.org/blog/2017/08/30/estudo-bibliometrico-revela-quando-a-palavra-globalizacao-deu-lugar-a-internacionalizacao-na-pesquisa-em-administracao/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post Navigation