Como a arte cinematográfica e o acesso às emoções contribuem na formação de profissionais em saúde?

Carlos Mourthé, educador do IADI – SUS, Nova Lima, MG, Brasil

A construção e o desenvolvimento de tecnologias educacionais que potencializam a aprendizagem de profissionais da saúde tem sido um dos eixos na trajetória dos autores do artigo “Integrando emoções e racionalidades para o desenvolvimento de competência nas metodologias ativas de aprendizagem”, publicado em Interface: Comunicação, Saúde e Educação (v. 22, n. 65). Ao explorar a arte cinematográfica na formação pós-graduada de profissionais do SUS, o estudo em questão apresenta uma tecnologia educacional voltada ao acesso das emoções. Essa tecnologia foi desenvolvida em cursos interdisciplinares e interprofissionais, construídos para o Programa de Apoio ao Desenvolvimento do SUS por meio da parceria entre o Ministério da Saúde, Conselho Nacional de Secretários de Saúde, Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde e Hospital Sírio Libanês.

A integração razão-emoção foi explorada em iniciativas orientadas por competência (LIMA, 2005) e baseadas na interação entre os profissionais de saúde de distintas carreiras. As potencialidades das metodologias ativas de aprendizagem foram discutidas em contraste com uma educação voltada à formação tecnicista e centrada no professor. As características da atividade educacional empregada para acessar as emoções assim como os critérios e fundamentos utilizados para apoiar o seu desenvolvimento foram discutidos pelos autores.

Os filmes utilizados como disparadores do processo ensino-aprendizagem foram selecionados pelos autores dos cursos e as atividades para o compartilhamento das emoções foram desenvolvidas em pequenos grupos, com apoio de um facilitador.

O compartilhamento de emoções favorece que elas sejam reconhecidas e compreendidas, no fluxo da atividade dialógica, particularmente por sua importância na construção de racionalidades e na transformação das culturas instituídas (MATURANA; VERDEN-ZÖLLER, 2003).

As emoções emergidas nos diálogos são colocadas sob reflexão, tanto no sentido da identificação dos valores subjacentes como das racionalidades a elas vinculadas. No compartilhamento de emoções, os estágios de complexidade dialógica encontrados vão desde uma abordagem descritiva até um acesso reflexivo dos desejos e interesses que fundamentam nossas racionalidades. No contexto da educação de profissionais de saúde no SUS, a integração das dimensões racional e emocional tem sido um dos importantes referenciais para o desenvolvimento de competência e de construções solidárias de saberes e práticas no cuidado à saúde.

Referências

LIMA, V. V. Competência: distintas abordagens e implicações na formação de profissionais de saúde. Interface (Botucatu) [online]. 2005, vol.9, n.17, pp.369-379. ISSN 1414-3283. [viewed 20 August 2018]. DOI: 10.1590/S1414-32832005000200012. Available from: http://ref.scielo.org/tsy4bt

MATURANA, H. R. and VERDEN-ZÖLLER, G. Amar e brincar. fundamentos esquecidos do humano. São Paulo: Palas Athena, 2003.

Para ler o artigo, acesse

MOURTHE JUNIOR, C. A., LIMA, V. V. and PADILHA, R. Q. Integrating emotions and rationalities for the development of competence in active learning methodologies. Interface (Botucatu) [online]. 2018, vol.22, n.65, pp.577-588. ISSN 1807-5762. [viewed 20 August 2018]. DOI: 10.1590/1807-57622016.0846. Available from: http://ref.scielo.org/xmfn72

Link externo

Interface – Comunicação, Saúde e Educação – ICSE: www.scielo.br/icse

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

MOURTHÉ, C. Como a arte cinematográfica e o acesso às emoções contribuem na formação de profissionais em saúde? [online]. SciELO em Perspectiva: Humanas, 2018 [viewed ]. Available from: http://humanas.blog.scielo.org/blog/2018/08/24/como-a-arte-cinematografica-e-o-acesso-as-emocoes-contribuem-na-formacao-de-profissionais-em-saude/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post Navigation