Reflexão sobre comida de rua e o futuro da alimentação encerra a Semana Especial da RAE no blog SciELO em Perspectiva | Humanas

Marina Heck, pós-doutora pela University of London-Institute for Romance Studies, professora na Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV EAESP), São Paulo, SP, Brasil

Em vez de democratizar o espaço social da alimentação, a autenticidade e exotismo oferecidos por sofisticados restaurantes onívoros distanciou os consumidores dos cozinheiros e vendedores de ingredientes étnicos, reforçando as diferenças sociais (JOHNSTON; BAUMANN, 2010). Ainda assim, chefs-celebridades e críticos gastronômicos que tentavam adequar e enobrecer a comida de rua dependiam do conhecimento culinário e da inovação dos cozinheiros raciais (RAY, 2016). Por isso, ao avaliar o complexo mundo social da cozinha, os pesquisadores precisam considerar os pontos de vista de produtores e consumidores, além das dimensões discursiva e sensorial dos alimentos, é o que propõe o trabalho “Quando comer se torna um negócio”, publicado na RAE-Revista de Administração de Empresas (v. 58, n. 3).

O projeto colaborativo chamado “City Food” procura repensar as diferenças culinárias e identificar o lugar da alimentação em comunidades diaspóricas. Nele, pesquisadores da área de Estudos de Alimentos têm reunido programas acadêmicos, centros, museus e associações sem fins lucrativos com o objetivo de aumentar a colaboração entre os Norte e Sul globais. Um dos focos é a linha de pesquisas sobre vendas de rua que, nos últimos 50 anos, tem sido menos frequente comer na rua na Europa e América do Norte, por causa da riqueza, fortalecimento do estado e a associação entre trabalho e comer, uma marca do passado pobre para o presente rico. O desaparecimento da comida de rua está relacionado com o alcance e poder do estado de bem-estar social moderno, da rigorosa regulação municipal e do gerenciamento de risco. Em contrapartida, o negócio de comida de rua do cotidiano é um repositório de democracia cultural em execução no Sul global, e há muito a aprender com ele.

O prazer proporcionado pela comida de rua muda o sabor da política e da poética de bom gosto; desfazendo as expectativas palatais e filosóficas da gastronomia que dominaram a área desde a França do século XVIII, estabelecendo o marco da transição da política de bem-estar social do século XX para um mundo inexplorado de microempreendedorismo, risco e precariedade no século XXI. A teoria do prazer via comida de rua também permite aos estudiosos uma abastada e profunda descrição de nossos assuntos. Os estudiosos precisam mudar de opinião. Nesse projeto colaborativo, os pesquisadores esperam abrir espaço para a epistemologia da alegria sob os conceitos de vivacidade e frescor em comprar e comer na rua. Só o tempo vai dizer se eles podem encontrar essa abertura.

A chamada de trabalhos “The business of eating: Entrepreneurship and cultural politics” recebeu 47 artigos e gerou uma edição especial da RAE inteiramente dedicada ao tema. São nove Artigos, duas Pensatas, dois textos em Perspectivas, uma Resenha e Indicações Bibliográficas elaboradas por diferentes pesquisadores do assunto. Os resultados demonstram que, tanto os pesquisadores quanto os periódicos estão ávidos por discutir a questão do negócio alimentar.

Marina Heck conta sobre a experiência de organizar um fórum internacional e o futuro dos Estudos de Alimentos no Brasil. Clique abaixo para assistir o vídeo.

Referências

JOHNSTON, J. and BAUMANN, S. Foodies: democracy and distinction in the gourmet foodscape. New York: Routledge, 2010.

RAY, K. The ethnic restaurateur. London: Bloomsbury, 2016.

Para ler o artigo, acesse

HECK, M., PILCHER, J., RAY, K. and BRITO, E. When eating becomes business. Rev. adm. empres. [online]. 2018, vol.58, n.3, pp.217-222. [viewed 29 June 2018]. ISSN 0034-7590. DOI: 10.1590/s0034-759020180302. Available from: http://ref.scielo.org/36djzt

Link externo

Revista de Administração de Empresas – RAE: www.scielo.br/rae

 

Como citar este post [ISO 690/2010]:

HECK, M. Reflexão sobre comida de rua e o futuro da alimentação encerra a Semana Especial da RAE no blog SciELO em Perspectiva | Humanas [online]. SciELO em Perspectiva: Humanas, 2018 [viewed ]. Available from: http://humanas.blog.scielo.org/blog/2018/06/29/reflexao-sobre-comida-de-rua-e-o-futuro-da-alimentacao-encerra-a-semana-especial-da-rae-no-blog-scielo-em-perspectiva-humanas/

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post Navigation