O que a antropologia tem a dizer sobre a pandemia e seus efeitos sociais, políticos, culturais e econômicos

A Covid-19 e suas múltiplas pandemias apresenta pesquisas e reflexões sobre as experiências e vivências sociais, culturais e políticas deste momento crítico. O artigo abre o número especial Covid-19 – Antropologias de uma Pandemia, parceria entre Horizontes Antropológicos e a Rede Covid-19 Humanidades MCTI. Read More →

Nossas capas: relações entre antropologia e arte

A confecção das capas é parte importante do processo editorial de Horizontes Antropológicos. Escolhida pelas/pelos organizadoras/es e aprovada pelos editores, a imagem é uma tradução da temática e também um convite às/aos leitoras/es para que reflitam e interajam com o periódico. Read More →

Horizontes Antropológicos e sua contribuição para a área da Antropologia

Referência entre as publicações de Antropologia no Brasil e no exterior, Horizontes Antropológicos (Qualis A1) se destaca por seus números temáticos e pela divulgação do conhecimento científico de ponta produzido pela área. Periódico reúne contribuições de pesquisadoras e pesquisadores afiliados a instituições do Brasil e do exterior. Read More →

Fórum Debate – Revista Almanack convida os pesquisadores Hendrik Kraay, Celso Thomas Castilho, Teresa Cribelli e a debatedora professora Camila Borges da Silva para o debate do livro Press, Power, and Culture in Imperial Brazil

Press, Power and Culture in Imperial Brazil é uma produção que apresenta as mais recentes publicações sobre a imprensa oitocentista do Brasil, o vasto acervo documental disponível na Biblioteca Nacional e Hemeroteca Digital além de contribuir com a apresentação das principais metodologias para estudo dessas fontes. Read More →

Como estudantes de mestrado vivenciam o ensino da leitura e da escrita em sua formação

Mestrandos de um curso de Comunicação e Sociedade de uma universidade pública, considerando o trabalho realizado pelos professores universitários, narram suas experiências relacionadas às práticas de leitura e escrita dos gêneros acadêmicos, a exemplo da dissertação. Read More →

Não fazemos selfies só para sermos admirados: temos 5 motivos para gostar desse tipo de fotografia

Jovens de 18 a 28 anos explicam porquê fazem selfies e compartilham esse tipo de fotografia nas redes sociais. Esses relatos ajudam a entender quais são os fenômenos psíquicos envolvidos na popularização das selfies e nos mostram que existem, pelo menos, 5 razões diferentes para nos apegarmos a estes registros. Read More →

Pesquisar é uma arte? Processos criativos têm a ver com estudos acadêmicos?

Processos criativos (no cinema, artes visuais, literatura, teatro, música) podem ensinar, e muito, a quem pesquisa na área da educação. Aprendemos nos relatos de artistas que arte, pensamento e vida não se separam. Aprendemos também que um texto científico pode (e deve) mostrar-se com vitalidade e inclusive beleza estética. Read More →

Como a interdisciplinaridade é pensada por estagiários de cursos de Ciências da Natureza?

Para compreender como práticas interdisciplinares estão presentes na formação inicial de futuros professores de Ciências da Natureza, os autores analisam relatórios e roteiros de estágio. O trabalho sinaliza como o tempo escolar e a rigidez dos conteúdos precisam ser negociados quando a interdisciplinaridade é proposta. Read More →

Redução de danos como estratégia clínica de fortalecimento e ampliação da democracia brasileira

Ações de segurança pública em cenas de uso de drogas inviabilizam a estratégia de redução de danos e fortalecem políticas de governo que perpetuam o racismo estrutural e a criminalização da pobreza. Read More →

Pode o teste de Rorschach contribuir para a compressão das características de personalidade de crianças com TDAH?

A pesquisa propôs avaliar através do teste de Rorschach e da Entrevista Kiddie-Sads, as características de personalidade de crianças e adolescentes atendidos em instituição psiquiátrica com objetivo de ampliar a compreensão das mesmas para além da descrição dos manuais diagnósticos. Read More →

O mercado da competência linguística e o nível socioeconômico

Competência linguística é essencial para sucesso na vida escolar e laboral. Alguns autores defendem a tese de que a escola seria o principal locus para legitimar e perpetuar diferenças de classe. Parte do sucesso no manejo da língua oral/escrita é herança familiar. A escola não consegue equalizar estas diferenças. Isso é patente nos dados dos egressos do nível superior no Brasil. Read More →

Investindo na desigualdade: a distribuição de investimentos públicos em Curitiba

As desigualdades socioespaciais das cidades brasileiras reduzem o direito à cidade. Ao mesmo tempo, a aplicação de investimentos públicos em infraestrutura urbana parece reforçar padrões de disparidade. Cabe, então, discutir quais as soluções para uma melhor distribuição de investimentos nas cidades brasileiras. Read More →