Category: Entrevistas

A filosofia do direito e suas limitações etnográficas

Estudo discute as limitações da filosofia do direito, à medida em que esta se baseia em intuições etnograficamente influenciadas. Neste sentido, o trabalho defende a existência de um caráter WEIRD (western, educated, industrialized, rich and developed) da filosofia analítica e aponta as dificuldades para a universalização de suas questões e conclusões. Read More →

Qual o perfil da pesquisa jurídica em mestrados profissionais?

Estudo destaca as principais características da pesquisa jurídica em mestrados profissionais discutindo suas especificidades e semelhanças em relação à pesquisa realizada em programas acadêmicos de pós-graduação. O texto aborda em especial as características metodológicas da pesquisa profissional, destacando seu viés prático e seus pontos de partida ligados ao ambiente profissional não acadêmico. Read More →

Varia Historia inaugura o Prêmio Ciro Flávio Bandeira de Mello

Varia Historia criou em 2017 o Prêmio Ciro Flávio Bandeira de Mello, que premiará, anualmente, o melhor artigo publicado no periódico. Em função da qualidade dos artigos que concorreram à primeira edição, o júri concedeu, além do prêmio, uma menção honrosa. Read More →

Varia Historia promove entrevistas com pesquisadores em parceria com o VI Encontro de Pesquisa em História da UFMG

Varia Historia, em parceria com o Encontro de Pesquisa em História (EPHIS) da UFMG, realizou uma série de entrevistas com pesquisadores renomados em seu canal no YouTube, focando temas como estudos de gênero e de sexualidade, usos públicos do passado e novas categorias teóricas para a escrita da história. Read More →

Claudio Mubarac lança seu olhar para os primórdios da gravura de estampa e encontra ressonâncias atuais no início da “civilização de imagens”

O artista visual e professor Claudio Mubarac aborda, na entrevista e no ensaio publicado em ARS, questões relacionadas à autoria e às estratégias de disseminação de imagens, empreendendo um sobrevoo pelo século XV para sinalizar a atualidade dessas discussões em tempos de voraz proliferação de imagens pela internet. Read More →

Uma pausa para reavaliação: desdobramentos e parcerias poéticas de Hélio Oiticica

Diante das múltiplas abordagens interpretativas sobre a produção de Hélio Oiticica, Frederico Coelho propõe uma análise pontual: focalizar a trajetória do artista em torno de 1970, ano em que ele avalia os rumos de suas criações e momento que se abre para um conjunto novo de interesses e parcerias artísticas. Read More →

O underground virou diversão de domingo: Cosmococas no Inhotim

As drogas, o cenário underground nova-iorquino e o espaço público da cidade foram projetados para Cosmococas, autoria de Hélio Oiticica e Neville d’Almeida durante os anos 1970. Mas algo parece incomum nessas idealizações quando as visitamos na galeria do Instituto Inhotim. Turistas, paisagismo, diversão: o que houve com suas instruções? Read More →

Conflitos e inserção da obra de Hélio Oiticica no debate da arte moderna

Passando rapidamente, Irene Small vê o movimento de um Parangolé que a atrai para dentro da pequena exposição curada por Cesar Oiticica Filho em Cuba. Desde então, dedica-se à investigação das obras de Hélio Oiticica e os debates sobre a modernização nos processos vanguardistas do país em desenvolvimento. Small relata a recepção do trabalho no ambiente norte-americano e conta como sua pesquisa insere as preocupações de Oiticica no debate moderno global. Read More →

Entrevista com Guilherme Wisnik sobre a ideia de espaço público na obra de Hélio Oiticica

Parte da produção artística brasileira dos anos 50 dedicou seus esforços a investigações de caráter ambiental tendo em vista a herança urbanística portuguesa e uma forte influência das vanguardas modernas. Nesse contexto, Hélio Oiticica destaca-se por trazer à esfera pública aspectos de uma subjetividade que ocorre na relação obra e participante. Read More →

Arquitetura, interfaces e conexões: uma discussão sobre os “lugares em ação”

A arquitetura pode transformar os espaços em “laboratórios” urbanos. A partir da perspectiva sociotécnica e da Teoria Ator Rede, discute-se as interfaces mutáveis a partir do conhecimento criadas pela conjuntura arquitetônica e pela criação de identidades na Arena do Morro (Natal) e no Museu do Amanhã (Rio de Janeiro). A discussão contempla entrevista por escrito e em vídeo. Read More →

Improvisação deliberada e planejamento urbano contemporâneo: reflexões com o professor Enrique Silva, do Lincoln Institute

As dinâmicas sociais, em constante transformação, exigem novos modos de pensar o planejamento urbano. Uma das perspectivas que emerge nesse contexto é o planejamento urbano improvisado que surge como alternativa para poder público (associado à participação popular) optar entre aspectos que precisam planejados ou que podem ser conduzidos improvisadamente. Professor Enrique Silva discute algumas questões sobre o planejamento urbano contemporâneo. Read More →

Malha ferroviária e patrimônio histórico e cultural: uma discussão sobre os “lugares centrais”

A malha ferroviária brasileira é parte de nosso patrimônio histórico e tema de debates sobre preservação da cultura nacional. Estudo propõe arranjo teórico para identificar centralidades dessa malha, apontando quais atributos e trechos devem ser preservados. A questão é apresentada a partir do caso de Recife, primordial no desenvolvimento da Rede Ferroviária Nordeste. A discussão contempla entrevista escrita e vídeo. Read More →