Os privilégios honoríficos na cultura jurídico-política brasileira do século XIX

O “direito da nobreza” analisado à luz das mudanças e da cultura jurídico-políticas brasileiras no século XIX é o objeto do artigo em questão, que buscou, através da Constituição outorgada de 1824, dos textos doutrinários e dos Anais do Parlamento Brasileiro compreender a relação estabelecida entre o estado constitucional e os antigos privilégios de nascimento. Sendo o sistema constitucional, na letra da Constituição, o responsável por prever as principais alterações nas legislações e procedimentos vigentes reiterando, assim, o espaço monárquico constitucional como não vinculado juridicamente à nobreza. Read More →

Desigualdade educacional no acesso ao ensino superior é marcada por aspectos estruturais étnico-raciais

O estudo indica, a partir da análise de informações do IBGE, que o processo de desigualdade no acesso de negros e negras ao ensino superior é influenciado pelas trajetórias escolares nas etapas que antecedem a chegada no ensino superior, em especial as relacionadas a frequência, permanência e conclusão do ensino médio. Read More →

Pesquisa da Ufopa aborda práticas das casas de saúde alternativas do Baixo Amazonas

Estudo destaca o perfil híbrido, mescla de tradição e inovação, da Casa Chico Mendes, em Santarém, e da Casa Verde, em Monte Alegre, ambas na região do Baixo Amazonas, no Pará. É em atendimento que articula tradição e inovação que se busca promover uma saúde global. Os tratamentos abrangem, assim, “conhecimentos tradicionais associados a plantas nativas, terapias bioenergéticas, florais e medicamentosas, estas últimas desenvolvidas em contatos recentes com instituições do meio científico,” escrevem as autoras. Read More →

Almanack no Bicentenário – Independência, política e produção historiográfica com a Prof.ª Dr.ª Cecília Helena de Salles Oliveira

O Ciclo de Encontros “Almanack no Bicentenário” é uma iniciativa da Revista Almanack que promete debater os temas centrais sobre a independência do Brasil a partir de seus significados pretéritos, presentes e futuros para o Brasil. Acompanhe conosco nosso primeiro encontro com uma análise iconográfica sobre a Independência. Read More →

Em busca de horizontes para a crise que assola os periódicos científicos

Neste texto de fechamento, não podemos nos furtar de discutir a pauta da sustentabilidade. Abordamos a questão do financiamento para a ciência e falamos sobre nossa busca por alternativas para sobreviver à crise que afeta os periódicos brasileiros, sobretudo os da área de Humanidades. Read More →

Espaço Aberto: entrevista com Anna Tsing

Apesar de ser uma publicação temática, Horizontes Antropológicos dedica uma seção específica a trabalhos inéditos e considerados de ponta na pesquisa antropológica. O Espaço Aberto do número 60 – Antropologia da Criança apresenta entrevista com Anna Tsing, pesquisadora do Departamento de Antropologia da Universidade da Califórnia-Santa Cruz. Com poucos de seus textos traduzidos, esta interlocução se soma a dois artigos, um ensaio e também a uma coletânea recentemente publicada em português. Read More →

O que as crianças têm a dizer à antropologia?

A antropologia e as crianças: da consolidação de um campo de estudos aos seus desdobramentos contemporâneos propõe o reconhecimento das crianças não como figurantes do trabalho antropológico, mas como atores centrais com potência de contribuir e ampliar as discussões mais contemporâneas da disciplina. Read More →

Pesquisa explora relação entre taxas de ocupação de leitos em UTIs e tomada de decisões pelo poder público em Porto Alegre – RS

O acompanhamento das taxas de internação em UTIs e das medidas do executivo municipal da capital gaúcha evidencia que decisões políticas para o enfrentamento da pandemia nem sempre são embasadas em critérios técnicos. Este artigo analisa a prática de estratégias como o lockdown e o isolamento social e reflete sobre a (in)efetividade de práticas universalizantes. Read More →

Pesquisadores apresentam um mapa da produção das Ciências Sociais brasileiras durante o primeiro ano de pandemia

Levantamento realizado a partir das publicações nos Boletins da ANPOCS aponta para uma rearticulação de forças das instituições científicas da área. Dentre as produções, 30% estão situadas nos campos temáticos Economia, Gênero, Ciência, Conjuntura Política, Religião e Educação. Análise também revela a preponderância das contribuições provenientes da Antropologia. Read More →

O que a antropologia tem a dizer sobre a pandemia e seus efeitos sociais, políticos, culturais e econômicos

A Covid-19 e suas múltiplas pandemias apresenta pesquisas e reflexões sobre as experiências e vivências sociais, culturais e políticas deste momento crítico. O artigo abre o número especial Covid-19 – Antropologias de uma Pandemia, parceria entre Horizontes Antropológicos e a Rede Covid-19 Humanidades MCTI. Read More →

Nossas capas: relações entre antropologia e arte

A confecção das capas é parte importante do processo editorial de Horizontes Antropológicos. Escolhida pelas/pelos organizadoras/es e aprovada pelos editores, a imagem é uma tradução da temática e também um convite às/aos leitoras/es para que reflitam e interajam com o periódico. Read More →

Horizontes Antropológicos e sua contribuição para a área da Antropologia

Referência entre as publicações de Antropologia no Brasil e no exterior, Horizontes Antropológicos (Qualis A1) se destaca por seus números temáticos e pela divulgação do conhecimento científico de ponta produzido pela área. Periódico reúne contribuições de pesquisadoras e pesquisadores afiliados a instituições do Brasil e do exterior. Read More →